Cuiabá, Segunda-feira 24/09/2018

Variedades - A | + A

09.02.2018 | 17h59

'Vou beijar-te agora não me leve a mal...' Amor no Carnaval sobrevive?

Facebook Print google plus

Carnaval é o momento em que as pessoas se preparam para realizar algumas fantasias que não se permitem durante todo o resto do ano.

Divulgação

Está inserido culturalmente que no decorrer desse período, tudo é permitido. Podemos usar roupas mais provocantes, homens podem se vestir de mulher e a paquera corre solta. Beija-se aqui, aperta-se dali e isso não é julgado como libertinagem, já que a liberação sexual durante o Carnaval é permitida.

É interessante retomarmos aqui as origens históricas do Carnaval. A palavra Carnaval em si relaciona-se a "Carro Naval" – Barco, no Antigo Egito e relaciona-se, em sua origem histórica, a uma maravilhosa celebração de transição da Natureza, onde o Homem se percebia sendo um com o Universo que se transformava e se recriava através de um processo inicial de desordem criativa, para que uma nova etapa de vida pudesse ter início.

É dentro desse contexto que entram a ausência de limites e regras típicas do Carnaval. No entanto, o que se perdeu é exatamente a noção de passagem para uma nova etapa de vida na qual o Caos tem uma função de transcendência. E é aqui que está o perigo da ausência de limites da festividade.

O Carnaval pode ser em si um processo muito saudável se tivermos este nível de consciência, na qual temos a oportunidade de nos conhecer na ausência de limites, encarar nossos "demônios", vivenciar partes de nós que não nos permitimos no dia a dia estruturado por papéis e responsabilidades que nem sempre escolhemos como nossos.

Durante a maior comemoração festiva brasileira, os humores ficam mais amistosos e tudo que queremos é "ser feliz" e isso é direcionado aos excessos que podemos cometer sem sentir culpa, já que no Carnaval tudo é consentido.

Analisando este comportamento, podemos verificar que as pessoas se desprendem de alguns pudores que são preservados em seu dia a dia e aventuram-se em seus desejos reprimidos pela vida cotidiana, em que tal comportamento não é aceito para a maioria. Por isso, durante a folia, as pessoas querem mesmo é namorar com várias outras sem compromisso, apenas curtindo o momento de euforia, muitas vezes impulsionado pelo alto consumo de álcool, já que tem o aval do Carnaval para não sentir culpa pelos atos.

Mas nada impede que grandes romances possam surgir nessa data, pois para as surpresas do coração, não tem fantasia certa e nem marchinha ganhadora.

Então, vale o aviso: viva seu Carnaval e recrie-se no processo.

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Qual sua opinião sobre os aplicativos para denúncias de infrações eleitorais?

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 24/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22.900 -0.870

Algodão R$ 121.220 0.130

Boi a Vista R$ 128.100 0.150

Soja Disponível R$ 71.800 1.130

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

Enquete

Que importância tem o candidato a vice?

Parcial

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.