Cuiabá, Quarta-feira 26/09/2018

Política de MT - A | + A

28.06.2018 | 15h18

Vereadores saem em defesa de colega e dizem que vão à lua se quiserem

Facebook Print google plus

Os colegas parlamentares do vereador Renivaldo Nascimento (PSDB), que viajou à Russia para assistir os jogos da seleção brasileira na Copa do Mundo, saíram em defesa do peessedebista na manhã desta quinta-feira (28), durante sessão plenária. Na tribuna, eles disseram que a justificativa para a viagem foi um "mero erro formal” e que, com seus próprios recursos, podem ir até a Lua, se desejarem.

Luiza Oliveira/UOL

Vereador Renivaldo assistindo o jogo da Russia ao lado da família Neyamr

Renivaldo viajou na última semana e justificou sua ausência nas sessões plenárias sob o argumento de que estaria “a serviço das atividades do mandato”. Desse modo, ele não teria a falta contabilizada e o salário cortado. No entanto, a justificativa veio à tona e causou polêmica, pois foi vista como uma inverdade por parte do vereador.

Leia mais - Vereador vai à Copa 'a trabalho pela Câmara'

Mesmo ainda na Russia, o vereador Renivaldo recebeu o apoio dos colegas. O vereador Wilson Kero Kero (PSL) chegou a dizer que a justificativa foi apenas um erro cometido pelo gabinete do Renivaldo. Ele, inclusive, lembrou que já cometeu “falha” semelhante, ocasionada também por seu gabinete, e que não houve má-fé.

“Já houve, em outro momento, um erro formal da minha parte, com pedido de licença para comparecer a sessão. Mas quem conhece Renivaldo sabe que ele viaja muito e para o exterior. É um cara independente em termos de situação financeira. É fiscal da Secretaria de Fazenda, é muito bem remunerado, e o fez sem maldade alguma, com certeza”, disse.

Para o vereador Adevair Cabral (PSDB), a situação não passou de um “falso moralismo” por parte de quem fez críticas a Renivaldo. Isto porque o parlamentar não usou dinheiro público para custear a viagem e os ingressos para os jogos, segundo Adevair.

João Vieira

Nadaf diz que vai até a lua, se quiser

Renivaldo assistiu a partida do Brasil contra a Sérvia ao lado da família do jogador Neymar no estádio e só deve voltar, segundo ele mesmo afirmou em vídeo gravado ao final do jogo, na próxima semana.

Leia mais - Renivaldo com a 'família Neymar' na Rússia

“Se ele não usou dinheiro público e se a Câmara cortar o ponto dele se ele não veio trabalhar, o que há de mais nisso? O que eu vi foi um falso moralismo da sociedade, com relação a uma pessoa que viajou com seu próprio recurso. É um direito dele, que ele tem, pois todos podem ir. Menos vereador? Político não pode nada?”, questionou.

O vereador Mário Nadaf (PV) também reafirmou que o colega parlamentar pode fazer o que quiser com seus próprios recursos, assim como qualquer político. Ele, inclusive, pediu desculpas aos eleitores, mas afirmou que com seu dinheiro vai até para a “lua” se quiser.

“Eu faço o que eu quiser com meu dinheiro. Vou até para lua e ninguém pode me impedir. O que não é permitido é que a justificativa foi estar a serviço do mandato. Isso cabe à Mesa Diretoria verificar se corresponde à realidade. O que eu faço com meu dinheiro, o eleitor que me respeite, eu vou a quatro Copas. Cada um faz o que gosta”, encerrou.

Apesar da polêmica sobre o caso, o presidente da Câmara de Cuiabá, Justino Malheiros (PV), não informou se serão adotadas medidas  para apurar a conduta do vereador Renivaldo. Isto porque Malheiros também não esteve na sessão plenária de hoje.

Paralelo aos acontecimentos no Legislativo, o advogado mato-grossense Ulysses Lacerda Moraes pediu ao procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, Mauro Curvo, que seja aberta  uma investigação no Ministério Público (MPE) para apurar as possíveis  irregularidades na viagem  realizada pelo vereador.

Leia mais - Advogado pede investigação contra vereador que viajou para assistir Copa

Voltar Imprimir

Comentários

Cuiabano - 28/06/2018

A questão não se ele foi com recursos proprios,é faltar ao trabalho e não querer que seja descontado do seu salario.e isso não é falso moralismo senhores vereadores.E ainda não quer ser chamada de casa dos horrores???

cidadao - 28/06/2018

hiprocrisia corporativa, fez a justificativa para não descontar ponto. Desconta e pronto. ponto Papo furado desses pífios Edis que pensam apenas em se defenderem...

2 comentários

1 de 1

Enquete

Qual sua opinião sobre o voto nulo e voto em branco?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 26/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21.900 0.920

Algodão R$ 117.240 -0.220

Boi a Vista R$ 131.000 0.000

Soja Disponível R$ 73.500 0.000

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.