Cuiabá, Sexta-feira 21/09/2018

Política de MT - A | + A

14.04.2018 | 08h00

Mato Grosso tem R$ 1,3 bilhão de restos a pagar e não vai quitar tudo este ano

Facebook Print google plus

O secretário de Estado de Fazenda, Rogério Gallo, afirmou que o governo do Estado possui R$ 1,3 bilhão em restos a pagar e não há previsão para o pagamento de todas as dívidas – algo que só deve ocorrer com a entrada de “dinheiro novo” no caixa do Estado.

Otmar de Oliveira

Estado de MT tem R$ 1,3 bilhão de restos a pagar

Os valores do deficit são relativos a 2017, conforme dados do relatório do Cumprimento das Metas Fiscais do Terceiro Quadrimestre de 2017, apresentado na última quarta-feira (11).

De acordo com Gallo, não há possibilidade de se quitar todo o deficit, mas o Estado vem trabalhando para diminuir o passivo da dívida e conseguir o chamado “dinheiro novo”. “O Estado deve para seus fornecedores algo em torno de R$ 1,3 bilhão. São os chamados restos a pagar. E para quitar isso, temos que encontrar o chamado dinheiro novo”, disse.

Entre as medidas para obter o “dinheiro novo” está o Fundo Emergencial de Estabilização Fiscal (FEEF) que prevê a arrecadação de R$ 180 milhões dos recursos dos Poderes e de alguns setores econômicos, por no máximo 2 anos.

O projeto deve ser enviado esta semana à Assembleia Legislativa, junto com outras medidas, a fim de promover uma reforma tributária em Mato Grosso e garantir o ajuste fiscal e o equilíbrio econômico-financeiro do Estado.

Leia mais - Estado prepara 'pacote de leis' para fazer reforma tributária

“Infelizmente, não será possível pagar tudo. Mas podemos atenuar o problema e virar o ano, do ponto de vista fiscal, melhor do que chegamos em 2018. Mas dizer que até o final do ano nós vamos ter condição de superar toda a crise, não. Mas vamos chegar a uma condição muito melhor, fazendo ainda o dever de casa no corte de custeio”, afirmou.

Com as medidas de ajuste fiscal, a expectativa, segundo Gallo, é conseguir quitar ao menos parte da dívida. “Nosso objetivo é que tenhamos dinheiro novo por meio do combate à sonegação fiscal, de modo que a gente quebre essa cadeia de evasão fiscal. Queremos chegar com pelos menos metade desse valor quitado”, disse.

Caso o governador Pedro Taques (PSDB) encerre seu mandato neste ano com o acúmulo de dívida e restos a pagar não empenhados, ele pode ser penalizado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “E que não tenhamos um aumento dos restos a pagar para 2019. Que nós contenhamos, então, o aumento desses restos a pagar. E, aí, a gente comece a pagar para o equilíbrio fiscal. Esse é nosso objetivo”, disse o secretário. 

Voltar Imprimir

Comentários

said adjassem - 14/04/2018

O agronegócio recebeu 3,5 bilhões em incentivos!!! é só tirar deles esse pequeno incentivo (eles não vão quebrar, e a China vai continuar comprando), que o Estado terá 1,3 bilhões em saldo positivo!!!

1 comentários

1 de 1

Enquete

O horário político no rádio e TV foi útil na sua escolha pelos candidatos?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 21/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 25.350 -0.390

Algodão R$ 119.750 0.530

Boi a Vista R$ 129.500 1.340

Soja Disponível R$ 75.000 -0.660

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.