Cuiabá, Domingo 23/09/2018

Política de MT - A | + A

10.07.2018 | 07h08

Galli pede que Selma Arruda não 'radicalize' restrições a políticos

Facebook Print google plus

No mesmo partido e ainda em busca de aliados, o deputado federal Victório Galli afirmou, nesta segunda-feira (9), que a juíza aposentada Selma Arruda não deve ‘radicalizar’ suas restrições a políticos com problemas na Justiça ou acusados de corrupção. A declaração dada em entrevista à rádio Capital FM foi um recado à correligionária, que ameaçou desistir de sua candidatura ao Senado, caso o PSL se coligue com políticos esta situação.

Chico Ferreira

Galli está especialmente interessado na chapa de Wellington Fagundes (PR) que, dizem, pode eleger até seis deputados. A coligação ainda vai ser definida, mas o republicano aproveitou encontro realizado na última semana para convidar, tanto Selma quanto Galli, para se juntarem a ele.

Leia também - Apenas Adilton Sachetti conta com declaração de voto de Maggi

‘A gente não pode ser tão radical nesse sentido. Se formos olhar, em todos os segmentos têm pessoas erradas no meio’, disse o deputado. ‘Temos que trabalhar nesse sentido, para não radicalizar totalmente a situação’, defendeu.

O convite feito por Fagundes agrada Galli, principalmente, porque o grupo poderá alavancar sua reeleição para a Câmara dos Deputados. Chamada por ele de ‘chapão’, a coligação liderada pelo PR também poderá ser uma mão na roda para o précandidato à presidente pelo PSL, Jair Bolsonaro, que carece de forças políticas em Mato Grosso. ‘A melhor chapa, um chapão para federal, é essa com o Wellington Fagundes’, comentou. ‘Mas tem os demais. Tem a senadora Selma, tem o Nelson Barbudo. Nosso entendimento estadual é que nossa chapa seja pura’, ponderou.

Welington Sabino

Bem mais flexível, Galli disse que tem ouvido todas as propostas e citou as do grupo que deve lançar Pedro Taques (PSDB) à reeleição. O governador, contudo, também está, de certa forma, entre as restrições de Selma, já que ela julgou ações penais oriundas da Operação Rêmora, que teve como alvo a gestão tucana. ‘Inclusive o Mauro Mendes (DEM) também nos chamou. Esse momento agora é de ajustes. É como se estivéssemos diante de um semáforo, discutindo, e, por enquanto, o sinal está vermelho’, metaforizou o deputado.

Questionada sobre as declarações de Galli, Selma foi breve: ‘nada a declarar, meu caro’, escreveu em mensagem de texto.

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Qual sua opinião sobre os aplicativos para denúncias de infrações eleitorais?

Parcial

Edição digital

Domingo, 23/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21.800 -0.680

Algodão R$ 117.240 -0.220

Boi a Vista R$ 129.500 1.570

Soja Disponível R$ 72.000 -0.690

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

Enquete

Que importância tem o candidato a vice?

Parcial

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.