Cuiabá, Segunda-feira 24/09/2018

Polícia - A | + A

15.04.2018 | 12h00

10 quilos drogas são apreendidos por dia pela PM

Facebook Print google plus

Ao menos 10 quilos de drogas são apreendidos por dia pela Polícia Militar na Grande Cuiabá. A estimativa é com relação aos 3 primeiros meses do ano, o que reflete um aumento de 208% comparado com o mesmo período do ano passado.

OTMAR DE OLIVEIRA

O balanço foi apresentado no Quartel do Comando Geral e também mostra que 134 pessoas são conduzidas à delegacia todos os dias. Destas, 50 são presas em flagrante.

Conforme informações do subchefe de Estado Maior da Polícia Militar, coronel Henrique da Silva Santos, o aumento expressivo no trabalho dos militares é fruto das operações e ações de combate que estão sendo realizadas em Cuiabá e Várzea Grande principalmente no combate ao furto, roubos e no tráfico de drogas, pois Mato Grosso acaba sendo o 'caminho' para atuação dos traficantes. A atuação também irá se estender para todas as cidades do Estado.

De acordo com o estudo, de janeiro a março deste ano, 12.087 pessoas foram levadas para delegacia. O número representa 11% menor comparado com o ano passado quando o balanço alcançou 13.594.

Outra curiosidade é o aumento destacado pela polícia com o total de apreensão de simulacros de arma de fogo que cresceu 7%, também no mesmo período. Em 2017, foram 107 e neste ano 114.

A razão se dá porque no Código Penal não tem uma lei que proíbe o cidadão andar com o simulacro. Com isso, a prática só se torna crime quando o objeto é usado para cometer roubos ou ameaças a outra pessoa.

No artigo 157, por exemplo diz que emprego de armas são considerados: arma branca, arma de fogo, facão, canivete e outros artefatos que geram dano a integridade física e o simulacro de arma de fogo acaba não entrando no mérito.

Até 2002, o Superior Tribunal de Justiça aumentava a pena para o criminoso que era pego com arma de brinquedo. Mas, a súmula 174 acabou sendo cancelada.

Divulgação

"A apreensão no número maior dos simulacros é por conta da abordagem da polícia, pois quem é pego com a arma de brinquedo acaba no final com uma pena menor na Justiça.Além disso, chega ser um reflexo da negociação do crime, pois muitos ladrões não tem arma e alugam para cometer o delito. Então com a apreensão, o revólver é perdido e quem alugou precisa pagar que na verdade para eles acabam se tornando mais caro a prática do crime. E, no momento do roubo tanto faz a arma de brinquedo ou não porque a vítima não tem tempo para pensar nisso em um momento de tensão", detalhou.

Um exemplo citado pelo coronel foi uma família proprietária de um comércio que foi vítima de um assalto e ainda mantidos como reféns dos criminosos no bairro Dom Aquino, em Cuiabá. A ocorrência foi registrada depois que um dos suspeitos perguntou o valor do lanche, e, logo em seguida sacou a arma da cintura e anunciou o crime.

Mas, na fuga a polícia chegou e surpreendeu a dupla que tentava fugir com os pertences pessoais das vítimas e o simulacro de pistola.

 

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Qual sua opinião sobre os aplicativos para denúncias de infrações eleitorais?

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 24/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21.400 -0.470

Algodão R$ 115.180 1.080

Boi a Vista R$ 126.750 0.130

Soja Disponível R$ 69.000 1.470

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

Enquete

Que importância tem o candidato a vice?

Parcial

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.