Cuiabá, Terça-feira 25/09/2018

Judiciário - A | + A

11.07.2018 | 14h25

Mendes vai recorrer contra anulação de leilão de mineradora

Facebook Print google plus

Após tomar conhecimento da anulação do leilão em que adquiriu a empresa Minérios Salomão, o ex-prefeito de Cuiabá e pré-candidato ao governo do Estado, Mauro Mendes (DEM), anunciou que irá recorrer da sentença proferida pela juíza Eleonora Alves Lacerda, da 5ª Vara do Trabalho de Cuiabá, junto ao Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região (TRT 23). Informa que, se preciso, irá até o Tribunal Superior do Trabalho (TST) contra a decisão, divulgada nesta quarta-feira (11) pelo Gazeta Digital. A defesa de Mendes já impetrou embargos de declaração para que a magistrada reveja sua posição.

João Vieira

Mauro Mendes

De acordo com nota emitida pelo advogado do político, Leonardo da Silva Cruz, a decisão da Justiça trabalhista em nada prejudica Mauro Mendes e seus sócios na Mineração Casa de Pedra Ltda, que funciona na região do Coxipó do Ouro, na extração de ouro. Conforme a defesa, a sentença apenas anulou o leilão e manteve a mineradora com a empresa Minérios Salomão, impedindo nova adjudicação.

Leia também - Justiça anula leilão de mineradora adquirida por Mauro Mendes

O advogado explica que o sócio de Mendes, Valdiney Souza comprou 75% da Minérios Salomão, em 2011. Em setembro de 2012, ambos compraram a empresa integralmente. Por conta disso, o efeito prático da anulação do leilão é o retorno da mineradora à posse da Minérios Salomão e, consequentemente, o bem continua sendo de propriedade da empresa de Mauro Mendes e Valdiney Souza.

Apesar disso, o recurso será impetrado porque Mauro Mendes entende que a decisão da juíza trabalhista não analisou corretamente as nulidades processuais cometidas pela autora da ação, a IDEPP Desenvolvimento de Projetos Ltda, uma das participantes do leilão do Minérios Salomão, que segundo a defesa do político, é uma empresa inexistente, já que não possui sede física no endereço informado.

Leia também - Juiz interroga Mauro Mendes sobre fraude em licitação de mineradora

A defesa reforçou ainda que não houve qualquer ilegalidade no processo e que os fatos não possuem qualquer relação com o exercício de Mauro Mendes como prefeito de Cuiabá.

Confira a nota na íntegra:

NOTA À IMPRENSA

Em relação à sentença proferida pela juíza Eleonora Alves Lacerda, da Justiça do Trabalho, a defesa de Mauro Mendes esclarece que:

1) A decisão não gera nenhum prejuízo a Mauro Mendes e aos atuais sócios da Mineração Casa de Pedra Ltda, uma vez que a sentença apenas anulou o leilão e manteve a mineradora com a empresa Minérios Salomão, impedindo nova adjudicação.

2) A empresa Minérios Salomão foi parcialmente adquirida por Valdiney Souza em 2011 (75%) e comprada em definitivo pelos dois em 09/2012. Logo, o efeito prático da anulação do leilão é o retorno da mineradora à posse da Minérios Salomão e, consequentemente, o bem continua sendo de propriedade da empresa de Mauro Mendes e Valdiney Souza.

3) Mesmo assim, por considerar que a decisão não enfrentou corretamente as graves nulidades processuais cometidas pela autora IDEPP, que sequer possui sede física no endereço informado (empresa inexistente), a defesa noticia que já opôs recurso de Embargos de Declaração, irá recorrer da sentença ao Tribunal Regional do Trabalho e, se necessário, recorrerá também ao Tribunal Superior do Trabalho.

4) A defesa reitera que não houve a ocorrência de qualquer ato ilegal ou imoral no decorrer do processo e que os fatos não possuem qualquer relação com o exercício de Mauro Mendes como prefeito de Cuiabá, que sequer foi parte do processo.

Cuiabá, 11 de julho de 2018

Leonardo da Silva Cruz
Advogado 

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Qual sua opinião sobre o voto nulo e voto em branco?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 25/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21.100 0.720

Algodão R$ 99.560 -0.310

Boi a Vista R$ 125.200 0.160

Soja Disponível R$ 75.500 0.000

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

Enquete

Você já anotou os números dos seis candidatos em quem irá votar nesta eleição?

Parcial

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.