Cuiabá, Domingo 23/09/2018

Judiciário - A | + A

10.07.2018 | 13h54

Juiz nega pedido de construtora e mantém ação contra Wilson Santos pelo Rodoanel

Facebook Print google plus

O juiz federal Raphael Casella de Almeida Carvalho, da 8ª Vara de Cuiabá, negou recurso para determinar o trancamento de uma ação civil contra o deputado estadual Wilson Santos (PSDB), réu por fraude à licitação e pagamento indevido na construção do Rodoanel, em Cuiabá, danos estimados em R$ 10 milhões (atualizados em R$ 20 milhões).

Rodinei Crescêncio

O pedido de trancamento constava em recurso de Embargos de Declaração em nome da Conspavi Construcao e Participacao Ltda, também ré no processo.

A construtora argumentava passar por recuperação judicial, assim, a 8ª Vara seria incompetente para julgar o processo, devendo, segundo entendimento da defesa, toda a ação ser suspensa.

Leia também - Empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré pede liberdade no STF

“A parte alega que a empresa ré, ora em referência teve sua falência decretada em 13/12/2011 pela 1ª Vara Cível, Recuperação Judicial e Falência da comarca de Cuiabá, solicitando o declínio de competência por tratar-se de juízo universal”, afirma trecho do processo.

Em sua decisão, Raphael Casella considerou que a ação por ato de improbidade administrativa não deve ser distribuído por dependência ao mesmo gabinete responsável pela ação de recuperação judicial. A distribuição deveria assim proceder somente se existisse liquidação de valores, ou seja, caso a construtora já estivesse condenada a restituir dinheiro público.

A decisão é do dia 28 de junho.

A ação

A ação do Ministério Público Federal (MPF) foi recebida pelo juiz Raphael Cazelli em agosto de 2016. Além de Wilson, que na época era candidato a prefeito de Cuiabá, se tornaram réus os ex-secretários municipais Enedino Antunes Soares e Orozimbo José Guerra Neto, e as empresas Conspavi Construção e Participação Ltda e Três Irmãos Engenharia Ltda.

O magistrado livrou 8 pessoas das acusações: seis pela prescrição dos supostos ilícitos e dois pela falta de indicação de quais atos irregulares elas teriam praticado.

Em janeiro de 2015 o juiz federal substituto Fábio Henrique Rodrigues havia decretado o bloqueio de bens do ex-prefeito dos ex-secretários das construtoras e dos empresários Manoel Avalone e Luis Francisco Félix até o total de R$ 22,9 milhões.

Segundo o MPF, Wilson teria promovido a licitação da obra sem cobertura orçamentária, apenas para escolher previamente a empreiteira que executaria as obras e desmotivar outros potenciais interessadas a participar do certame.

Outro lado

Wilson santos emitiu a seguinte nota:

O deputado Wilson Santos (PSDB) esclarece que esse recurso não foi de sua autoria e que conseguiu na Justiça aquilo que solicitou no que se refere a esse caso, que é a autorização para a perícia.

Reitero que minha defesa está em tratativa com o juízo sobre como e quando fazer essa perícia.
 
A decisão dada pelo juiz, neste caso do recurso negado, não muda em absolutamente nada. Esse recurso é da empresa.

Sustento que desejo refazer a perícia porque as decisões anteriores referentes a esse caso foram feitas com base em auditoria feita pelo Exército que não condiz com os fatos.

Queremos que o juiz nos autorize um perito indicado pela justiça para fazer toda essa medição.
 
Ressalto que todas as cinco medições pagas possuíam relatório técnico que embasaram a aplicação dos recursos.

Jamais fiz um único pagamento sem parecer técnico com engenheiros.

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Qual sua opinião sobre os aplicativos para denúncias de infrações eleitorais?

Parcial

Edição digital

Domingo, 23/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21.400 -2.730

Algodão R$ 118.950 -0.220

Boi a Vista R$ 131.320 0.170

Soja Disponível R$ 69.800 -0.710

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

Enquete

Que importância tem o candidato a vice?

Parcial

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.