Cuiabá, Terça-feira 23/10/2018

Economia - A | + A

14.01.2018 | 07h45

Escola não pode exigir marca dos materiais escolares

Facebook Print google plus

Pesquisar preços e negociar para obter desconto é uma prática que ganhou mais adeptos entre os consumidores com a crise financeira no país. Neste período de férias, a maioria dos pais elaboram orçamentos e fazem cotações dos materiais escolares antes de adquiri-los. Antes disso, as escolas devem fornecer a lista de materiais escolares para que os pais possam realizar as pesquisas. Neste sentido, a instituição de ensino deve respeitar a livre escolha do consumidor e não exigir marca de produtos ou estabelecimentos comerciais para compra dos materiais, alerta o Procon Estadual.

Otmar de Oliveira

A exceção a regra se aplica as apostilas de materiais didáticos, sendo que somente para este item pode haver exigência de compra em determinados estabelecimentos ou na própria escola, informa o Procon.

Cobrança da taxa de material escolar sem a apresentação de uma lista é considerada prática abusiva pelo órgão de defesa do consumidor. A escola é obrigada a informar quais itens devem ser adquiridos, sendo que a opção entre comprar os produtos solicitados ou pagar pelo pacote oferecido pela instituição é sempre do consumidor.

Como estratégia para economizar, cabe avaliar a qualidade dos materiais escolares que restaram do último ano letivo e reutilizá-los. Essa é a opção da funcionária pública Lídia Lima Furtado, 33. Mãe de 2 filhos em idade escolar que foram rematriculados nas unidades que frequentaram em 2017, pretende reaproveitar alguns itens, como mochilas e algumas peças de uniformes.

Otmar de Oliveira

“Ainda não pesquisei preços, mas acho difícil pagar a vista”. A reutilização também pode ser combinada entre os pais, com a troca de livros usados ou novos e com restauração de livros já usados que continuam sendo adotados pela escola, sugere o Procon.

Outra dica para os pais que desejam evitar gastos é abdicar de materiais com personagens, logotipos e acessórios licenciados. Geralmente são itens com preços mais elevados. Outra estratégia que ajuda a manter o foco na aquisição dos itens realmente necessários e controlar impulsos consumistas é manter-se fiel a lista. É importante sempre exigir a nota fiscal e conferir se os produtos estão descritos no documento.

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

O país vai voltar a se unir após as eleições?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 23/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,50 0,70%

Algodão R$ 100,58 -0,27%

Boi a Vista R$ 135,57 0,80%

Soja Disponível R$ 70,24 -0,44%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.