Cuiabá, Terça-feira 23/10/2018

Cidades - A | + A

02.02.2018 | 19h26

Sem receber, terceirizados do Pronto-Socorro suspendem serviço de limpeza

Facebook Print google plus

Trabalhadores terceirizados da empresa Luppa, responsável pelo setor de limpeza no Hospital Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá, deflagraram nesta sexta-feira (2), uma paralisação depois de dois meses sem receber os salários. Com isso, a unidade ficou sem limpeza e os profissionais garantem que vão ficar de braços cruzados por tempo indeterminado. 

Divulgação/Assessoria

“Nosso protesto é para alertar o governo a pagar a empresa para que ela nos pague. O hospital está sujo, e a gente só vai retornar depois do pagamento”, disse Ana da Silva, uma das manifestantes. De acordo com as trabalhadoras, elas devem cumprir o horário de trabalho nos próximos dias na frente do Pronto-Socorro, sem entrar.

A justificativa dada pela empresa para a ausência de pagamento é que o Estado não fez os repasses. A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) enfrentou problema semelhante no início de 2016, também com a Luppa, o que motivou a substituição da empresa.

No entanto, a Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (Adufmat) diz que é justamente a precariedade do tipo de relação imposta pelo contrato terceirizado que preocupa a entidade.

Com um documento da Luppa em mãos, as trabalhadoras disseram que estão sem receber pelos meses de setembro, outubro, novembro, dezembro de 2017 e agora janeiro deste ano. Afirmam que nesse período estão em nenhum pagamento apesar de continuarem trabalhando, fora a repactuação há 5 anos.

A informação é de que empresa não tem como bancar sozinha, sem o repasse da Prefeitura. "Tem mais de 5 anos que eles não repassam a diferença salarial. Há uma dívida enorme da Secretaria com a empresa”, insistiram.

Além do Pronto-Socorro, também estão paralisados os trabalhadores da Luppa lotados na UPA Morada do Ouro, UPA Pascoal Ramos e outras unidades de saúde.

A Prefeitura de Cuiabá, responsável pela administração do Pronto-Socorro não se manifestou sobre o assunto até o momento. (Com informações da assessoria da Adufmat)

Voltar Imprimir

Comentários

GD

GD

Enquete

O país vai voltar a se unir após as eleições?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 23/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,70 -0,48%

Algodão R$ 121,48 0,52%

Boi a Vista R$ 133,70 -0,11%

Soja Disponível R$ 71,00 -0,70%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.