Cuiabá, Domingo 21/10/2018

Cidades - A | + A

16.05.2018 | 11h15

Pontos vulneráveis para exploração sexual crescem 29% em rodovias de MT

Facebook Print google plus

Postos de combustíveis, bares e casas de shows estão entre os 106 pontos vulneráveis para exploração sexual infantil nas rodovias federais de Mato Grosso. Mapeamento divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Instituto Childhood Brasil aponta um crescimento de 29% nos pontos detectados no Estado. No levantamento anterior, referente aos anos de 2013/2014, eram 82 pontos. Mato Grosso é o 8º estado com maior número de pontos críticos detectados, 23 ao todo.

Chico Ferreira

Pontos de vulnerabilidade para prostituição incluem bares, postos de combustíveis e casas de shows situados nas proximidades de rodovias 

O levantamento faz parte do “Projeto Mapear” que classifica como pontos vulneráveis ambientes em condições favoráveis a exploração sexual de crianças e adolescentes. Dentre as características presenciadas pelos agentes da PRF estão os locais onde há adultos se prostituindo, ausência de iluminação e vigilância privada, lugares onde há constante parada de veículos e consumo de bebidas alcoólicas.

O novo levantamento é referente ao biênio 2017/2018. Mato Grosso, segundo o levantamento, concentra 26% dos pontos vulneráveis da região Centro-Oeste e cerca de 5% do país. As estradas que são importantes vias de escoamento do Estado e que se destaca no agronegócio também tem as marcas da exploração sexual infantil.

Lindacir Rocha Bernardon, presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca), frisa que em muitos casos a exploração pode estar escondida em paradas de alimentação ao longo das rodovias. “As vítimas, sem dúvida, são as crianças e adolescentes que são atraídos muitas vezes para superar dificuldades financeiras”, complementa.

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da PRF, inspetor Álvaro Daniel de Souza confirma que apesar do aumento dos casos, o que tem sido observado é que há indícios da migração de pontos vulneráveis. Segundo ele, com o trabalho de repressão da polícia, os pontos estão migrando para as rodovias estaduais e até mesmo adentrando nos municípios.

“De forma geral são postos de combustíveis, bares e casas de shows, são locais de maior vulnerabilidade. O que podemos confirmar é que houve aumento dos locais vulneráveis e diminuição de pontos críticos. Um dos fatores pode ser a migração. Através deste estudo podemos nortear as acoes preventivas e direcionar a atuação repressiva”, avalia Álvaro.

Dados

Essa edição do Mapear identificou 2.487 pontos vulneráveis a exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais do país. Considerando o estudo anterior, houve um acréscimo de 20% dos pontos vulneráveis. Entre os anos de 2013 e 2014, eram 1.969 pontos vulneráveis.

O estudo, no entanto, aponta queda significativa dos pontos considerados críticos, onde é maior a possibilidade de ocorrência de exploração sexual de crianças e adolescentes. Do biênio 2013/2014 para o biênio 2017/2018 houve uma redução de 77 pontos, aproximadamente 14%. 

Voltar Imprimir

Comentários

GD

GD

Enquete

Qual sua avaliação do governo Temer nesse final de mandato?

Parcial

Edição digital

Domingo, 21/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 24,65 1,02%

Algodão R$ 100,28 -0,28%

Boi a Vista R$ 136,00 -0,26%

Soja Disponível R$ 69,90 0,00%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.