Cuiabá, Sexta-feira 19/10/2018

Cidades - A | + A

06.12.2017 | 14h18

Empresa deixa cabeceira de ponte 'abandonada' e perde a obra

Facebook Print google plus
Internauta

Após viralizarem nas redes sociais fotos mostrando condições aparentemente precárias da cabeceira da ponte Benedito de Figueiredo, sobre o Rio Coxipó, em Cuiabá, a Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) informou que rescindiu o contrato com a empresa A.I Fernandes Serviços de Engenharia, responsável pelas obras de reconstrução da cabeceira, por não cumprimento do cronograma previsto em contrato.

A ponte fica entre os bairros Coophema e Praeirinho.

A Secid ressalta que, apesar da aparência da cabeceira, que não está conclusa, e das chuvas, não existe qualquer risco de desabamento.

Quanto à obra, já terminou o prazo de 90 dias estabelecido para a conclusão total da obra, mas apenas 33% dos serviços foram executados, mesmo diante das notificações da equipe de fiscalização da pasta.

Um dos que divulgou o problema foi o deputado estadual petista Allan Kardec, que faz oposição à gestão do governador Pedro Taques (PSDB) na Assembléia Legislativa de Mato Grosso. " Olha a situação da Cabeceira da Ponte sobre o Rio Coxipó. Venho cobrando esse reparo sistematicamente.Tem mais de um ano que estou nesse caso, já foram vários requerimentos, ofícios e visitas na Secretaria de Cidades, empresa e no local, o próximo passo infelizmente é notificar a Defesa Civil pra interdição da Ponte e oficializar o Ministério Público pra processar a empresa e o governo", criticou na página do Facebook.

O Gazeta Digital tentou falar com a empresa A.I Fernandes Serviços de Engenharia mas não conseguiu fazer contato até o fechamento desta matéria.

Confira informações divulgadas pela Secid.

"A Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) vai rescindir o contrato com a empresa A.I Fernandes Serviços de Engenharia, responsável pelas obras de reconstrução da cabeceira da ponte Benedito de Figueiredo, sobre o Rio Coxipó, localizada entre os bairros Coophema e Praeirinho, em Cuiabá, por não cumprimento do cronograma previsto em contrato. Terminado o prazo de 90 dias estabelecido para a conclusão total da obra, apenas 33% dos serviços foram executados, mesmo diante das notificações da equipe de fiscalização da pasta.

A empresa venceu a licitação de Tomada de Preço em agosto e recebeu a ordem de serviço para iniciar os trabalhos no dia 4 de setembro. O período fixado para finalização das atividades era de três meses com vigência contratual de 180 dias. O orçamento projetado ficou em R$ 626,34 mil. “Passado o período de 90 dias, que era o tempo estabelecido para término de toda a obra, a empresa não conseguiu cumprir com o cronograma e ao final dispensou os funcionários. Não temos como aditar prazo para uma empresa que não conseguiu performar até agora”, explicou o secretário adjunto de Obras Públicas da Secid, Ernesto Negretti.

Agora, a equipe técnica da Secid estuda a possibilidade de contratar uma nova empresa em caráter emergencial. O secretário adjunto estima ser necessário mais 60 dias para a conclusão total dos trabalhos, a partir do momento em que uma outra construtora assumir os serviços. “Essa obra não tem problema de projetos, é de rápida execução e vamos concluir”, afirmou Negretti, alertando que o tempo total para finalização também dependerá do volume de chuvas nos próximos meses. Segundo a equipe de fiscalização da Secid, até o momento a empresa recebeu R$ 209,32 mil pelos serviços executados e medidos e a assessoria jurídica avalia as medidas cabíveis devido ao não cumprimento do contrato.

Entre os itens previstos na obra estão a estabilização da margem esquerda da cabeceira da ponte com a utilização de gabiões caixa (tipo de estrutura armada, flexível, drenante e de grande durabilidade e resistência) e o reaterro compactado da área.

Sem risco

Apesar das chuvas e da não conclusão da obra, não existe qualquer risco de desabamento da cabeceira da ponte Benedito Figueiredo. A Defesa Civil do município já vistoriou a área e descartou perigos eminentes. “Por precaução talvez vamos reduzir a faixa destinada ao tráfego de veículos, com uma mão de ida e outra de volta. Isso porque, não podemos prever intemperes da natureza e possíveis sinistro devido a chuvas”, destacou o secretário adjunto, Ernesto Negretti.

Em fevereiro de 2017, a ponte chegou a ser inteditada devio ao desmoronamento de parte da margem esquerda da estrutura. O problema deveu-se à mudança no curso do rio Coxipó, que corta o local. Os reparos emergenciais foram feitos pela Prefeitura Municipal de Cuiabá com projeto da Secid.

A Ponte

A ponte Benedito Figueiredo possui 155 metros de extensão, 12,8 metros de largura e duas faixas de circulação. A sua construção foi idealizada para a Copa do Mundo de 2014 e teve orçamento final de R$ 5,83 milhões. O objetivo da edificação era desafogar o trânsito na Avenida Fernando Corrêa, uma das principais de Cuiabá."

Voltar Imprimir

Comentários

GD

GD

Enquete

Qual sua expectativa sobre os políticos que vão ocupar o Congresso Nacional?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 19/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 24,20 0,62%

Algodão R$ 95,74 -0,47%

Boi a Vista R$ 136,23 -0,38%

Soja Disponível R$ 72,00 -1,37%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.