Parentes ainda procuram por desaparecidos vivos ou mortos em Colniza | Gazeta Digital

Quarta, 26 de abril de 2017, 09h05

Parentes ainda procuram por desaparecidos vivos ou mortos em Colniza

Keka Werneck, redação de A Gazeta


Uma semana após a chacina provocada por antigo conflito agrário na gleba Taquaruçu do Norte, em Colniza (1.065 km de Cuiabá), em que nove homens adultos, com idades de 28 a 58 anos, foram torturados e executados a tiros e golpes de facão, familiares afirmam que ainda há moradores da gleba desaparecidos.

Divulgação PJC

Um dos corpos estava a 12 quilômetros dos demais

Integrantes da Comissão Pastoral da Terra (CPT), que estiveram anonimamente no local da matança conversando com sitiantes, confirmaram que familiares e amigos estão formando grupos por conta própria e saindo a procura de outros possíveis corpos em região de mata amazônica, já que a polícia está concentrada em investigar a autoria dos crimes brutais.

A perícia identificou vítimas decapitadas e outras com sinais de tortura. Um dos corpos foi encontrado a 12 quilômetros dos demais, o que leva a crer que outros podem estar mais distantes do que isso.

A terra em disputa está em uma área de 110 mil hectares.

“Não tem uma, nem duas ou três pessoas desaparecidas, são várias, que embrenharam no mato e até agora nada delas. Estão desaparecidas desde que foram vendo aqueles assassinatos em série, a tiros e facãozadas e foram correndo e fugindo. Acontece que já se passou uma semana e de duas coisas uma: ou fugiram para não voltar mais, traumatizadas com o que viram, ou como estariam se virando no mato, se correram só com a roupa do corpo?” - questiona o coordenador da CPT em Mato Grosso, Cristiano Apolucena Cabral.

Marcus Vaillant

Cristiano Cabral, da CPT

Ele relata que o clima na gleba Taquaruçu, onde vivem aproximadamente 100 famílias, é tenso e as pessoas estão extremamente amedrontadas, principalmente mulheres e crianças. “Isso porque sabem que correm risco real e enfrentam isso sem suporte financeiro ou psicológico por parte do Estado”, lamenta o coordenador.

'Guerra' no campo

Ao todo, 40.028 famílias estão envolvidas em conflitos agrários violentos, em risco de morte em MT, como aponta o Caderno de Conflito Agrários 2016, com dados de 2015, lançado ontem (25), em Cuiabá. De acordo com o coordenador da CPT em Mato Grosso, os alvos da violência no campo são pobres, pequenos produtores rurais, assentados, acampados ou posseiros, indígenas, trabalhadores tratados como escravos e quilombolas, além daqueles que se colocam contra a invasão de usinas hidrelétricas nos rios locais. O relatório mostra que 775 famílias foram despejadas em 2015 e outras 175 famílias expulsas de áreas rurais devido à disputa agrária.



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quinta, 18 de maio de 2017

19:17 - Madeireiro é apontado como mentor de chacina

Segunda, 15 de maio de 2017

14:48 - Cinco são denunciados por chacina em Colniza

Quarta, 03 de maio de 2017

10:26 - Chacina em Colniza é fruto da omissão do Estado, denunciam especialistas

Terça, 02 de maio de 2017

18:04 - Presos 2 criminosos que mataram 9 em chacina

10:41 - Força-tarefa prende 2 suspeitos de matar 9 trabalhadores em Colniza

Domingo, 30 de abril de 2017

08:07 - Mais de 38 milhões de ha de terras públicas são foco de violência no campo em MT

Sábado, 29 de abril de 2017

11:25 - Comissão de Direitos Humanos vai pedir federalização de chacina em MT

Quinta, 27 de abril de 2017

07:04 - Polícia avança em investigação sobre assassinatos em Colniza

Terça, 25 de abril de 2017

12:03 - Mais de 40 mil famílias estão envolvidas em conflitos agrários em MT, diz CPT

10:28 - Polícia tem pista de pistoleiro de chacina em MT


// leia também

Quinta, 25 de maio de 2017

17:21 - Entidades médicas vão processar deputado que chamou médico de mentiroso

16:32 - Sema e Aneel buscam parceria para aprimorar licenciamento no setor de energia

16:10 - Decon e Procon Municipal apreendem mercadorias vencidas em supermercado

16:01 - Acidente mata piloto e garupa de moto na BR-364

15:29 - Prefeitura de Cuiabá realiza ação de restruturação nas unidades de saúde

11:49 - Hospitais filantrópicos começam a suspender atendimentos

10:48 - Um menor desaparece na capital a cada 2 dias

10:12 - PF desarticula grupo que extraía madeira de reserva indígena

Quarta, 24 de maio de 2017

19:23 - Vazamento de gás em escola municipal mobiliza equipe dos Bombeiros em VG

18:28 - SES muda diretoria do Hospital Regional de Sorriso após denúncias


 veja mais
Cuiabá, Quinta, 25/05/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado waze

titulo_jornal Quinta, 25/05/2017
2bfe5dfa7ceff93a31b5aca3dea94fda anteriores




Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O presidente Michel Temer fez certo ao baixar decreto convocando as Forças Armadas para atuar em Brasília?



Logo_classifacil









Loja Virtual