Pezão admite falha na segurança do carnaval do Rio | Gazeta Digital

Quarta, 14 de fevereiro de 2018, 19h30

Pezão admite falha na segurança do carnaval do Rio


Estadao

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), admitiu nesta Quarta de Cinzas que o esquema de segurança do Rio no carnaval teve falha e que ainda precisa ser aprimorado. Ao ser questionado pelo jornal O Estado de S. Paulo sobre o grande número de ocorrências policiais, Pezão disse que ‘sempre dá para melhorar mais‘. E justificou: ‘Mas estivemos com o maior contingente dos últimos dez anos‘.

Em entrevista à Rede Globo, Pezão admitiu que o governo não estava preparado para o evento. ‘Houve uma falha nos dois primeiros dias e depois a gente reforçou aquele policiamento. Mas eu acho que houve um erro nosso. Não dimensionamos isso‘, disse.

Já o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse à reportagem que ainda não recebeu a avaliação da Secretaria de Segurança do Rio sobre o esquema. ‘Estive envolvido no carnaval com a crise dos venezuelanos em Roraima‘, disse, referindo-se ao fluxo migratório naquele Estado.

No dia 12 de janeiro, Jungmann e Pezão deram uma entrevista sobre planos de segurança para o carnaval do Rio. O ministro disse, na ocasião, que não era favorável ao apoio das Forças Armadas na segurança durante o evento porque ‘não há descontrole nem desordem no Estado‘. Jungmann argumentou que o Rio enfrentou grandes eventos recentemente, sem a necessidade de recorrer aos militares.

Jungmann descartou o uso das Forças Armadas depois de o prefeito Marcelo Crivella (PRB) anunciar que pediria o apoio. Por lei, porém, o reforço só poderia ser requisitado por Pezão, que declarou que não faria a solicitação.

‘É muito justo que o prefeito se preocupe com a sua comunidade e efetivamente com o carnaval, mas imagine vocês se nós viéssemos, por acaso, a atender solicitação do Rio, como é que ficaria a nossa posição diante de outras cidades, como Salvador, Recife, Olinda, Fortaleza e Natal, que também têm grandes carnavais e que, evidentemente, todos os prefeitos se preocupam com sua comunidade?‘, disse o ministro na ocasião.

Já Pezão afirmou, na época, que ‘existe um plano de segurança nosso que sempre existiu no carnaval‘. ‘Em nenhum momento passou pela gente pedir Forças Armadas. A gente teve o réveillon com três milhões de pessoas aqui e a gente viu que não teve problema nenhum‘, disse.

Pezão passou o carnaval em sua casa em Piraí, no sul fluminense. Já Crivella foi para a Europa e afirmou que decidiu ‘tirar uma folguinha‘. Em um vídeo, disse que o carnaval estaria ‘sob o controle‘. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 20 de fevereiro de 2018

20:10 - PGR defende detalhamento de decreto sobre intervenção

Segunda, 19 de fevereiro de 2018

20:00 - MP do Rio investiga Crivella por falhas no carnaval

16:56 - Policiais atiram por engano em vigilante de banco no Rio

13:08 - Veremos se existe recurso adicional do orçamento para Forças no Rio, diz Meirelles

10:33 - Parecer está pronto e é favorável, diz relatora do decreto de intervenção no Rio

Sábado, 17 de fevereiro de 2018

12:30 - Policiais militares reforçam a segurança no Rio para a passagem de blocos de rua

Sexta, 16 de fevereiro de 2018

18:10 - General Braga Netto é nomeado interventor na segurança pública do Rio

16:47 - Câmara marca para segunda-feira votação de decreto sobre intervenção no Rio

15:23 - Pezão diz que não se sente desconfortável com intervenção no Rio

15:15 - Deputados da base rebatem oposição e defendem decreto de Temer


// leia também

Terça, 20 de fevereiro de 2018

19:15 - STF concede prisão domiciliar a presas grávidas ou com filhos de até 12 anos

16:13 - Após 27 anos, comissão identifica ossada de desaparecido político

15:07 - Grávida de 9 meses está em presídio de SP por furto de comida

09:17 - Polícias e Forças Armadas fazem operação em comunidade da Penha

09:03 - Por que mais de 13 milhões de pessoas passam fome no Brasil?

Segunda, 19 de fevereiro de 2018

18:30 - Intervenção militar no Rio gera temor em moradores de favelas

16:47 - Especialistas divergem sobre abrangência de habeas a gestantes e mães presas

14:52 - Seis em cada dez brasileiros são contra a legalização da maconha

14:28 - Justiça condena homens que tatuaram testa de jovem no ABC

11:31 - Protestos contra Previdência fecham estradas e paralisam terminais de ônibus


 veja mais
Cuiabá, Terça, 20/02/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Terça, 20/02/2018
768bdb65035787436f1bc4ad07df1cf3 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Após 15 anos, Arcanjo deixa a prisão e vai cumprir regime semiaberto




Logo_classifacil









Loja Virtual