Registros de ocorrências policiais trazem novas classificações criminais no Rio | Gazeta Digital

Domingo, 07 de janeiro de 2018, 08h58

Novas classificações

Registros de ocorrências policiais trazem novas classificações criminais no Rio


Agência Brasil

A pedido da Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDMHI) do Rio de Janeiro, os registros de ocorrência nas delegacias da Polícia Civil passaram a incluir, esta semana, os motivos presumidos de transfobia (aversão contra pessoas e grupos com identidades de gênero travestis, transgêneros, transexuais), lesbofobia (negatividade em relação às mulheres lésbicas) e xenofobia (desconfiança, temor ou antipatia por pessoas estranhas ao meio, ou pelo que é incomum ou vem de fora do país). Essas novas classificações se somam aos motivos de intolerância religiosa e intolerância racial, já existentes.

O secretário de Direitos Humanos, Átila Alexandre Nunes, em entrevista à Agência Brasil, ressaltou que a classificação da intolerância é fundamental no combate a esse tipo de crime no estado. “Acreditamos que, com a inclusão destes novos motivos presumidos, as pessoas se sentirão mais amparadas e encorajadas a denunciar, uma vez que terão seus direitos assegurados e respeitados. Cada caso será investigado respeitando as suas especificidades”.

Divulgação

Nunes acha que a ampliação das classificações criminais pode fortalecer o combate ao preconceito existente no Rio de Janeiro. Por meio das novas classificações criminais, será possível ter um real panorama dos diversos casos de preconceito que ocorrem no Rio de Janeiro. “Com isso, poderemos obter dados mais concretos para subsidiar a criação de políticas públicas efetivas e, assim continuarmos a combater qualquer caso de intolerância que ocorra no estado”.

Sensibilização

A secretaria solicitou à Polícia Civil que haja uma sensibilização junto aos delegados e inspetores quanto à importância do preenchimento dos campos. Segundo o secretário da SEDHMI, muitas vezes, um homossexual é agredido e o caso não é registrado como homofobia, por exemplo.

“Ou algum praticante de determinada religião sofre uma agressão e o registro, ocasionalmente, também não é realizado como intolerância religiosa. Isso, sem dúvida, gera uma subnotificação e maquia a real situação dos casos de preconceito no estado. Por isso, solicitamos essa sensibilidade por parte das autoridades no momento do registro de ocorrência”, disse Nunes.

De agosto a dezembro de 2017, foram registrados pela secretaria 45 casos de intolerância religiosa, dos quais a maioria se refere a praticantes de religiões de matriz africana. O secretário informou que no ano passado, a SEDMHI atendeu mais de 10 mil pessoas, direta e indiretamente. Entre as denúncias registradas estão os diversos tipos de intolerância, como religiosa, racial, homofobia, xenofobia, trabalho escravo, e outras.

As demandas foram recebidas por meio dos canais de comunicação da secretaria, entre os quais o Disque Combate ao Preconceito, criado em agosto de 2017 para receber denúncias sobre todo tipo de violação aos direitos humanos. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quinta, 28 de junho de 2018

13:30 - Sargento da PM morre em operação no Morro dos Macacos, na zona norte do Rio

08:49 - Tiro que matou menino partiu de blindado da polícia

08:40 - Forças de segurança fazem megaoperação na zona norte do Rio de Janeiro

Quarta, 27 de junho de 2018

08:57 - Mãe de aluno morto afirma dormir com frase; 'Eles não viram o uniforme?'

Quinta, 21 de junho de 2018

10:16 - Forças Armadas bloqueiam vias e revistam pessoas em operação no RJ

Segunda, 18 de junho de 2018

12:00 - Bandidos roubam depósito no Rio, trocam tiros com policiais e fogem

Sábado, 16 de junho de 2018

09:09 - Jungmann sugere que intervenção continue por mais um ano no RJ

Domingo, 10 de junho de 2018

12:30 - Homem é baleado em confronto com a PM em Copacabana

Sexta, 08 de junho de 2018

12:30 - Operação das Forças Armadas na zona oeste do Rio entra no 2º dia

Quinta, 07 de junho de 2018

12:40 - Mãe morre após saber que filho PM foi morto a tiros na Baixada Fluminense


// leia também

Segunda, 16 de julho de 2018

12:40 - Operação em São Gonçalo prende cinco pessoas

10:20 - Líder do Comando Vermelho é preso na zona norte do Rio de Janeiro

09:38 - Ministério do Trabalho é invadido e amanhece com salas reviradas; 1º andar é interditado

Domingo, 15 de julho de 2018

10:40 - Suspeitos de matar grávida e roubar bebê são presos no Rio

10:31 - Em ranking mundial de homicídios, Brasil ocupa 13º lugar

Sábado, 14 de julho de 2018

22:00 - Dengue já matou 77 pessoas no Brasil este ano

20:00 - Tempo seco prejudica qualidade do ar em São Paulo

13:00 - 'Não tem como ficar calada', diz mãe de Marielle

12:40 - Ônibus tomba na BR-101 e deixa feridos em Niterói

12:30 - Moradores relatam tiroteios na zona norte do Rio


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 16/07/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 16/07/2018
9f9f40805dad392c56e3de9c5f02d729 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Por que Luciano Huck, Datena e Roberto Justus desistiram da política?




Logo_classifacil









Loja Virtual