Orçamento para saúde no Brasil fica abaixo da média mundial, revela OMS | Gazeta Digital

Quarta, 17 de maio de 2017, 11h20

Orçamento para saúde no Brasil fica abaixo da média mundial, revela OMS


Estadao

O Brasil destina à saúde menos que a média mundial e mais da metade dos gastos acaba sendo pago pelo paciente. Dados publicados nesta quarta-feira, 17, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que, em 2014, 6,8% do orçamento público do governo federal eram destinados ao setor, taxa que caiu desde 2010. No mundo, a média é de cerca de 11,7%.

O levantamento da OMS com governos de todo o mundo aponta que, ao longo dos anos, o volume de dinheiro destinado à saúde no Brasil aumentou. Ele era de apenas 4,1% do total dos gastos públicos em 2000. Em 2010, essa taxa subiu para 9,9%. Mas acabou sendo reduzida para 8,2% em 2011 e 7% em 2013. A taxa atingiu 6,8% em 2014, o último ano disponível pela contabilidade da OMS.

Atualmente, a taxa é ainda inferior à média do que se gasta na África, com 9,9% dos orçamentos nacionais para a saúde. Nas Américas, a taxa é de 13,6%, contra 13,2% na Europa.

Em alguns casos, a proporção destinada para a saúde em alguns países chega a ser três vezes o índice brasileiro. Nos Estados Unidos, 21,3% do orçamento nacional vai para a saúde, contra 22% na Suíça, 23% na Nova Zelândia e 20% no Japão. Em alguns países em desenvolvimento, o índice também é elevado. No Uruguai, ele chega a 20%, contra 23% na Corta Rica ou 24% na Nicarágua.

Em uma comparação ao PIB, a taxa no Brasil também é inferior à média internacional. No restante do mundo, cerca de 9,9% do PIB se refere à gastos na Saúde. No Brasil, a taxa está em 8,3%. No mundo, US$ 7 trilhões são gastos em saúde por todos os governos e cidadãos.

Gastos do paciente

Os dados também revelam que, apesar de certos avanços, mais da metade dos gastos de um paciente com a saúde sai de suas próprias economias, seja pelo pagamento de planos privados ou arcando com consultas e operações. No total, 53,9% dos gastos com a saúde no Brasil vem da renda dos cidadãos. Em 2000, essa taxa chegava a quase 60%. Mas a média mundial é de 39%.

Descontando planos de saúde, a OMS também destaca que 25% do custo com o setor no Brasil sai dos bolsos dos pacientes. Ainda que a taxa também seja considerada como alta, ela é inferior aos 36% registrados há dez anos.

Apesar dos avanços, o Brasil ainda não atinge as taxas médias mundiais, de 18% do gasto com a saúde saindo do bolso do cidadão. ‘A pergunta que tem de ser feita é se os cidadãos estão recebendo os serviços que precisam ter sem passar por dificuldades financeiras‘, disse Gretchen Stevens, analista da OMS, sem citar o nome de países. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 19 de setembro de 2017

17:58 - Mundo está ficando sem antibióticos, alerta OMS

Segunda, 18 de setembro de 2017

15:00 - Com aval da Justiça, mulher tenta o quarto filho por fertilização in vitro

Domingo, 17 de setembro de 2017

09:56 - Presidente da AMM afirma que secretário de saúde ignora dívida de 2016

Sábado, 16 de setembro de 2017

19:59 - Luiz Soares escapa de prisão neste sábado

Sexta, 15 de setembro de 2017

13:12 - Brasil é um dos países com maior cobertura de vacinação

09:04 - Uso de Lente de contato causa 20 vezes mais infecção na córnea do que cirurgia

08:59 - Maternidade do PSVG é inaugurada para 180 partos por mês

Quinta, 14 de setembro de 2017

18:27 - Equipes de saúde que atuam nas penitenciárias são capacitadas para diagnóstico da hanseníase

Quarta, 13 de setembro de 2017

23:10 - Senado aprova projeto que aprimora atuação de agentes comunitários de saúde

Terça, 12 de setembro de 2017

21:43 - Especialistas discutem cura da Aids e alertam para diagnóstico da hepatite C


// leia também

Quinta, 21 de setembro de 2017

21:02 - Construído para a Olimpíada do Rio, Parque Radical é reaberto após nove meses

20:47 - Liminar que permitiria fazer o Revalida 2017 sem diploma é suspensa

20:32 - PM apreende armas e drogas em ações na Rocinha e outras comunidades do Rio

19:35 - MP investiga irregularidades na retirada de ingressos para Rock in Rio

17:56 - Primavera deve ser chuvosa e sem frio atípico

16:10 - Inclusão escolar é tema de doutorado na Unesp

15:49 - Pressionado, Brasil afirma que protege 'todas as famílias'

13:45 - STJ manda suspender buscas e apreensões na favela do Jacarezinho

12:47 - PM reage ao ser assaltada e mata criminoso na zona norte de SP

12:15 - Ministério Justiça autoriza atuação da Força Nacional no Pará


 veja mais
Cuiabá, Sexta, 22/09/2017
 
Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 22/09/2017
E92cf67fcd8c519c4958954f838c8798 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Muitos que aparecem nos vídeos das delações ainda não deram explicações à sociedade




Logo_classifacil









Loja Virtual