Penitenciária de Alcaçuz tem 71 presos 'desaparecidos', aponta relatório | Gazeta Digital

Quarta, 17 de maio de 2017, 08h57

Brasil

Penitenciária de Alcaçuz tem 71 presos 'desaparecidos', aponta relatório


Estadao

Peritos do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, da Secretaria de Direitos Humanos, constataram que o governo do Estado do Rio Grande do Norte não conhece o paradeiro de 71 detentos que cumpriam pena na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, durante a rebelião no mês de janeiro. Na prática, a administração estadual não soube informar se os detentos fugiram, foram transferidos ou morreram no local. Oficialmente, 26 presidiários morreram durante os 14 dias de motim no local. Agora, há a suspeita de que o número de vítimas pode ser maior.

As informações constam em um relatório produzido pelo Mecanismo durante visita à unidade situada na Grande Natal entre os dias 6 e 10 de março. Dados oficiais publicizados pela Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Sejuc) relativos à chacina nas unidades prisionais em janeiro passado, contabilizaram 26 mortos. Os peritos do MNPCT destacam, porém, que existem pelo menos 71 detentos que supostamente cumpriam pena ou aguardavam sentença nas dependências das carceragens rebeladas e desapareceram após os atos de vandalismo e morticínio.

estadão

Em decorrência dos descumprimentos às leis que garantem o tratamento humanitário ao preso, o Estado do Rio Grande do Norte foi denunciado à Organização dos Estados Americanos (OEA) e à Organização das Nações Unidas (ONU).

"Foram identificados 71 processos judiciais de pessoas que estariam presas em todos os pavilhões de Alcaçuz, mas que não estão lá", revela trecho do documento. Os peritos afirmaram que os presos podem ter sido transferidos, fugido, recapturados e não registrados, soltos em alvará ou mortos durante o maior massacre da história do Sistema Prisional do Rio Grande do Norte. O número levantado pelos profissionais do Mecanismo Nacional se aproxima dos relatados por agentes penitenciários, presos e familiares desses à época das rebeliões em janeiro passado. O Governo do Estado, porém, nega a informação.

Em nota, o Instituto Técnico de Perícia (Itep/RN), afirmou que "o trabalho de identificação e de contagem de corpos foi feito de acordo com o que os peritos (estaduais) encontraram dentro da Penitenciária durante as perícias que foram realizadas na unidade. Em relação ao número de mortes, o órgão reafirma que realizou os exames de acordo com os fundamentos técnicos-científicos que regem a atividade pericial e que apenas trabalha com números embasados no que foi observado, recolhido e analisado."

Até hoje, o Itep/RN não identificou quatro dos 26 corpos recolhidos após as rebeliões, por não dispor de laboratório de exame de DNA em sua sede, na capital potiguar. Outros quatro corpos foram liberados para sepultamento incompletos. Eles estavam sem as respectivas cabeças.

 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 06 de junho de 2017

08:05 - 'Atlas' aponta que RN é o Estado com maior aumento da taxa de homicídio

Segunda, 16 de janeiro de 2017

08:44 - Após massacre, RN registra nova rebelião


// leia também

Quinta, 21 de setembro de 2017

21:02 - Construído para a Olimpíada do Rio, Parque Radical é reaberto após nove meses

20:47 - Liminar que permitiria fazer o Revalida 2017 sem diploma é suspensa

20:32 - PM apreende armas e drogas em ações na Rocinha e outras comunidades do Rio

19:35 - MP investiga irregularidades na retirada de ingressos para Rock in Rio

17:56 - Primavera deve ser chuvosa e sem frio atípico

16:10 - Inclusão escolar é tema de doutorado na Unesp

15:49 - Pressionado, Brasil afirma que protege 'todas as famílias'

13:45 - STJ manda suspender buscas e apreensões na favela do Jacarezinho

12:47 - PM reage ao ser assaltada e mata criminoso na zona norte de SP

12:15 - Ministério Justiça autoriza atuação da Força Nacional no Pará


 veja mais
Cuiabá, Sexta, 22/09/2017
 
Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 22/09/2017
E92cf67fcd8c519c4958954f838c8798 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Muitos que aparecem nos vídeos das delações ainda não deram explicações à sociedade




Logo_classifacil









Loja Virtual