Entenda os escândalos envolvendo o primeiro-ministro de Israel | Gazeta Digital

Quarta, 21 de fevereiro de 2018, 15h40

mundo

Entenda os escândalos envolvendo o primeiro-ministro de Israel


Estadao

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, luta para se manter no cenário político do país enquanto se vê envolvido em uma série de escândalos, junto à família e alguns amigos próximos.

Abir Sultan/Agência Lusa

Na semana passada, a polícia israelense anunciou que tem evidências suficientes para indiciar o premiê por corrupção, fraude e abuso de confiança em dois casos. Nesta semana, uma nova acusação surgiu e pode ser a mais perigosa de todas, depois que um dos amigos mais próximos de Netanyahu concordou em depor contra ele em um escândalo de tráfico de influência.

O líder israelense e sua mulher, Sara, lidam há tempos com acusações de gastos excessivos e uso questionável do dinheiro público. Netanyahu nega todas as acusações e culpa a mídia por conduzir uma campanha que visa tirá-lo do poder.

Mas com um colega sob intenso escrutínio público e policial, e seus leais aliados políticos em silêncio, o premiê lida com o desafio mais duro de seu longo mandato. Veja abaixo as acusações que ele enfrenta.

Presentes

A polícia recomendou indiciar Netanyahu por receber cerca de US$ 300 mil em presentes do magnata Arnon Milchan, produtor de cinema israelense que trabalha em Hollywood, e do bilionário australiano James Packer.

Autoridades dizem que em troca de itens como joias, charutos e garrafas de champagne Netanyahu agiu em nome de Milchan em assuntos ligados a vistos americanos, tentou conseguir uma generosa redução de impostos para ele e procurou promover seus interesses na imprensa israelense.

A polícia não comentou o que Packer teria conseguido, e o premiê disse que tudo que ele recebeu foram presentes de amigos. O procurador-geral Avihai Mandelblit, nomeado por Netanyahu, é o encarregado de decidir sobre arquivar ou não o processo, que deve durar vários meses.

Imprensa

Policiais também recomendaram indiciar Netanyahu por supostamente ter fechado um acordo secreto com Arnon Mozes, editor do jornal Yediot Aharonot, para uma cobertura favorável aos seus interesses.

Fontes alegam que o líder israelense foi gravado pedindo a Mozes para publicar uma imagem sua positiva. Em troca, ele ajudaria a enfraquecer o Israel Hayom, jornal pró-Netanyahu que entrou nos negócios do Yediot.

Israel Hayom é financiado por Sheldon Adelson, amigo americano bilionário de Netanyahu, e funciona como um porta-voz do premiê. Netanyahu percebeu que um projeto para enfraquecer a publicação não seria aprovado. Mandelblit também terá de decidir sobre esse caso.

Telecomunicações

Ontem, dois amigos próximos de Netanyahu foram presos sob suspeita de oferecer um acordo avaliado em milhões de dólares ao grupo de telecomunicações Bezeq. Em troca, o site de notícias Walla - que pertence ao veículo - faria uma cobertura favorável a Netanyahu e sua família.

Nir Hefetz, um ex-porta-voz da família do premiê, e Shlomo Filber, ex-diretor do Ministério das Comunicações, estão sob custódia, assim como Shaul Elovitch, diretor do grupo Bezeq, sua mulher, seu filho e outros executivos da companhia.

Jornalistas que trabalharam no site Walla afirmaram que foram pressionados a evitar reportagens negativas sobre Netanyahu. O premiê ainda não foi considerado suspeito neste caso, mas pode ser interrogado. Filber teria concordado em levar uma testemunha estatal contra o líder em troca de uma redução na pena.

Submarinos alemães

Netanyahu não é considerado suspeito, mas alguns de seus sócios mais próximos foram implicados em um caso relacionado a um possível conflito de interesses envolvendo a compra de submarinos alemães por US$ 2 bilhões. O advogado pessoal de Netanyahu, que também é seu primo, representou a empresa alemã envolvida.

Subornos

A polícia disse ontem que Hefetz é suspeito de tentar subornar uma juíza para encerrar o caso de corrupção contra a mulher de Netanyahu. Ele também é acusado de sugerir, por meio de um intermediário, à juíza Hila Gerstel em 2015 que ela poderia ser nomeada procuradora-geral se desistisse do caso contra Sara por gastos excessivos. O intermediário está sob custódia.

A oferta nunca foi concretizada e o atual procurador-geral de Israel recomendou há alguns meses indiciar a mulher do premiê por corrupção, fraude e abuso de confiança por gastar mais de US$ 100 mil do dinheiro público em refeições pessoais na residência oficial. Netanyahu negou a acusação e qualificou o caso como ‘ridículo‘. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 22 de maio de 2018

13:06 - Israel anuncia ataques com aviões caças F-35 em combate no Oriente Médio

Segunda, 21 de maio de 2018

09:51 - Paraguai inaugura embaixada em Jerusalém, seguindo decisão de EUA e Guatemala

Quarta, 16 de maio de 2018

10:49 - Paraguai poderá ser o 3º país a transferir embaixada em Israel

Segunda, 14 de maio de 2018

16:33 - Número de mortes em Gaza chegaria a 50; genro de Trump culpa palestinos

10:37 - Enviados de Trump inauguram embaixada dos EUA em Jerusalém

09:08 - Protestos contra abertura da embaixada dos EUA em Jerusalém deixa 37 mortos

Domingo, 13 de maio de 2018

13:00 - Israel se prepara para abertura de embaixada dos EUA em Jerusalém

Sábado, 21 de abril de 2018

13:30 - Membro do Hamas é morto na Malásia, um dia após ameaça de Israel

Sábado, 31 de março de 2018

10:34 - Israelenses ameaçam atacar 'grupos terroristas' em Gaza se violência continuar

Segunda, 19 de fevereiro de 2018

15:55 - Embaixada da Polônia em Israel é pichada com suástica


// leia também

Sábado, 26 de maio de 2018

10:46 - Colômbia se tornará o primeiro parceiro da Otan na América Latina

10:37 - Anistia Internacional diz que uso das Forças Armadas pode desencadear violência

Sexta, 25 de maio de 2018

14:59 - Na Rússia, Macron faz aceno a Putin, em teste para relação com Trump

14:39 - Greve de caminhoneiros repercute na mídia internacional

10:12 - Coreia do Norte reagiu bem ao cancelamento de reunião, disse Donald Trump

Quinta, 24 de maio de 2018

19:12 - Contestado, Maduro toma posse para novo mandato na Venezuela

16:54 - Três ativistas sauditas são libertadas após 10 dias presas

14:06 - Míssil russo derrubou voo da Malaysia Airlines em 2014, afirmam investigadores

09:50 - Coreia do Norte cumpre e detona local onde testes nucleares eram realizados

09:41 - EUA realizam novo ataque à Síria, diz agência síria


 veja mais
Cuiabá, Sábado, 26/05/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Sábado, 26/05/2018
Ea13e1b35911b70cafc047d78e906f1b anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Projeto de Lei reconhece o funk como manifestação cultural popular




Logo_classifacil









Loja Virtual