Cientistas descobrem nova 'super-Terra' na órbita de estrela vizinha | Gazeta Digital

Quarta, 19 de abril de 2017, 16h45

mundo

Cientistas descobrem nova 'super-Terra' na órbita de estrela vizinha


Estadao

Na órbita de uma estrela ‘vizinha‘, cientistas descobriram um novo planeta rochoso como a Terra, mas de dimensões maiores - um tipo de astro apelidado pelos astrônomos de ‘super-Terra‘. A descoberta foi publicada nesta quarta-feira, 19, na revista Nature.

Segundo os autores do artigo científico, a super-Terra tem características que a colocam na ‘zona habitável‘ de sua estrela, isto é, o novo planeta teria as condições necessárias para a existência de água em estado líquido.

A presença de água líquida, segundo os cientistas, é o critério indispensável para a potencial existência de vida em um planeta. Com isso, a nova super-Terra é considerada uma candidata às pesquisas em busca de vida extraterrestre.

O artigo revela que a estrela LHS 1140, em cuja órbita foi descoberto o novo planeta, está a 39 anos-luz do nosso Sol. Embora a distância seja imensa, a estrela pode ser considerada ‘vizinha‘ em relação à extensão da nossa galáxia, a Via Láctea, que abrange cerca de 100 mil anos-luz.

‘É o exoplaneta mais emocionante que vi na última década. Dificilmente poderíamos esperar um alvo melhor para realizar uma das maiores buscas da ciência: evidências de vida fora da Terra‘, declarou o autor principal do estudo, Jason Dittmann, do Centro Smithsonian de Astrofísica, em Cambridge (Estados Unidos).

De acordo com Dittmann, a LHS 1140 é uma estrela anã, como são chamadas as estrelas cuja massa equivale a menos de 60% da massa do Sol. As estrelas anãs são a classe de estrelas mais comuns na Via Láctea.

Dittmann explicou que a nova super-Terra, batizada de LHS 1140b, tem uma órbita circular em torno de sua estrela e possui um diâmetro 40% maior que o da Terra, com uma massa 6,6 vezes maior que a do nosso planeta.

Embora fique mais próximo de sua estrela, em comparação à distância entre a Terra e o Sol, o LHS 1140b tem clima temperado, já que a pequena estrela emite menos radiação. Essas condições colocam o planeta na ‘zona habitável‘ do sistema LHS 1140.

Segundo os autores, o tamanho reduzido da estrela LHS 1140 e sua proximidade em relação à Terra, deixam o novo planeta acessível aos telescópios, tornando-o um excelente candidato a estudos mais aprofundados em busca de vestígios da existência de vida.

‘As condições atuais da anã vermelha são particularmente favoráveis - a LHS 1140 gira mais lentamente e emite menos radiação de alta energia do que outras estrelas similares de baixa massa‘, disse outro dos autores do estudo, Nicola Astudillo-Defru, do Observatório de Genebra (Suíça).
 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Terça, 22 de agosto de 2017

16:36 - Cientistas em todo o mundo pedem mais ações para parar "robôs assassinos"

15:39 - Ex-procuradora-geral da Venezuela participa de evento em Brasília

11:27 - Americana com câncer recebe R$ 1,3 bilhão da Johnson & Johnson por uso de talco

11:16 - EUA localizam restos mortais de marinheiros desaparecidos

11:09 - Governo Trump teria feito 'avanços significativos' na reforma tributária

10:23 - Afeganistão se tornará 'cemitério' para EUA se tropas permanecerem no país

10:16 - Mais da metade dos americanos reprovam resposta de Trump a confrontos raciais

10:10 - Marinha dos EUA vai suspender operações globais após colisão de destróier

Segunda, 21 de agosto de 2017

17:20 - Chanceler venezuelano chama presidentes do Brasil e do Paraguai de 'imorais'

16:52 - Ofensiva contra Estado Islâmico provoca fuga em massa no Iraque


 veja mais
Cuiabá, Terça, 22/08/2017
 

Sebrae

Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Terça, 22/08/2017
257859098765d0b60b75149a30f064ab anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Velocidade e embriaguez ao volante são os dois principais causadores de mortes no trânsito.




Logo_classifacil









Loja Virtual