Justiça argentina absolve jovem condenada após sofrer aborto espontâneo | Gazeta Digital

Terça, 28 de março de 2017, 08h55

BUENOS AIRES

Justiça argentina absolve jovem condenada após sofrer aborto espontâneo


Estadao

 - A Justiça argentina absolveu nesta segunda-feira a jovem condenada por abortar no banheiro de um hospital público após sofrer a interrupção espontânea da gravidez, depois que ela permaneceu em prisão preventiva por dois anos, revelaram fontes judiciais à agência Telam.

A Corte Suprema da Província de Tucumán (norte) absolveu Belén (pseudônimo) nesta segunda-feira depois de ela ter sido condenada em 2016 a 8 anos de prisão por "homicídio agravado pelo vínculo", disse em um comunicado a organização que lançou a campanha pela libertação da jovem.

Em 2014 Belén foi a um hospital público da província com forte dor no ventre, sem saber que estava grávida de 22 semanas, e foi atendida por um médico que afirmou que se tratava de um "aborto espontâneo incompleto sem complicações".

As profissionais que a atenderam denunciaram que a jovem havia abortado após um feto ser encontrado em um dos banheiros do hospital, disse à agência EFE a diretora de Promoção e Proteção dos Direitos Humanos da Anistia Internacional Argentina, Paola García Rey.

Ela assegurou que durante o processo foram violados os direitos da jovem, pois havia "muitas irregularidades" e nunca foram realizados exames de DNA para confirmar que o feto encontrado no banheiro era de Belén.

"Ela foi submetida pelo pessoal médico e pelos funcionários da Justiça a um circuito de violência que começou com a violação do segredo profissional e continuou com a cumplicidade judicial que não apenas respaldou sua ação como também aplicou um direito penal seletivo que a condenou", diz o comunicado.

A Anistia Internacional lançou uma campanha que conseguiu que "mais de 120 mil pessoas em todo o mundo" se juntassem à exigência de que as autoridades argentinas absolvessem e libertassem a jovem.

Belén recuperou a liberdade em agosto quando entrou em vigor a medida da Corte Suprema de Justiça de Tucumán que deixou sem efeito a ordem de prisão preventiva disposta pela sala 3ª da Câmara Penal, que a condenou a 8 anos de prisão.

Na ocasião, a corte odenou a liberdade da jovem ao entender que não havia nenhum risco de que isso afetasse o processo judicial. Atualmente na Argentina o aborto é considerado ilegal, a não ser em casos em que a vida da mãe corre perigo ou se a gravidez é fruto de estupro. / EFE

 



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Segunda, 08 de maio de 2017

14:57 - Argentina e Itália querem acelerar conversas entre União Europeia e Mercosul

Quinta, 20 de abril de 2017

15:41 - Argentina promulga lei para uso medicinal da maconha

Segunda, 10 de abril de 2017

09:38 - Protesto de professores em Buenos Aires termina com vários detidos

Quinta, 30 de março de 2017

14:30 - Argentina aprova uso medicinal da maconha

Sábado, 04 de março de 2017

09:30 - Greve suspende jogos de abertura do Campeonato Argentino

Sábado, 19 de novembro de 2016

10:30 - Milhares de argentinos marcham por aprovação de lei

Quinta, 20 de outubro de 2016

10:52 - Mulheres fazem protesto e greve contra feminicídio na Argentina

Quarta, 28 de setembro de 2016

16:05 - Argentina anuncia convocados para eliminatórias sem Messi

08:52 - Hospedagem para turista estrangeiro na Argentina ficará 21% mais barata

Segunda, 26 de setembro de 2016

16:55 - Maior sindicato argentino anuncia greve geral contra Macri


// leia também

Sexta, 23 de junho de 2017

16:22 - Líderes da UE apoiam avanços em negociações comerciais com México e Mercosul

15:50 - Político republicano baleado em tiroteio de Virginia, nos EUA, deixa a UTI

14:47 - Rússia dispara mísseis contra Estado Islâmico na Síria

12:04 - Coreia do Norte nega que tenha torturado americano detido no país

09:00 - Ex-dona de casa onde Hitler nasceu luta contra desapropriação

08:57 - Polícia diz que incêndio em prédio residencial de Londres começou em um freezer

Quinta, 22 de junho de 2017

16:09 - França aprova polêmico projeto de lei antiterrorista

16:01 - Cerca de 5% da população mundial consumiu drogas em 2015, diz ONU

15:33 - Trump diz que não tem gravações de suas conversas com ex-diretor do FBI

11:03 - Maduro troca ministros na Venezuela, de olho na Assembleia Constituinte


 veja mais
Cuiabá, Sábado, 24/06/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sábado, 24/06/2017
0ea2206de2d809058fcdc883f395d97f anteriores




Indicadores Econômicos

Indicadores Agropecuário

Mais Lidas Enquete

Segundo a ONU a população mundial chegará a 8,6 bilhões até 2030, um aumento de 1 bilhão de pessoas em 13 anos.




waze

Logo_classifacil









Loja Virtual