Justiça não serve para ricos, desabafam filhas de verdureiro após soltura de médica | Gazeta Digital

Terça, 17 de abril de 2018, 15h10

Polícia

Justiça não serve para ricos, desabafam filhas de verdureiro após soltura de médica

Rayane Alves, repórter do GD


Marcus Vaillant

Filhas do verdureiro

"Isso nos prova mais uma vez que a Justiça pro rico não serve". O desabafo é compartilhado pelas irmãs Francinilda Silva e Vânia Silva, 23, por causa  decisão do desembargador Orlando de Almeida Perri, que concedeu habeas corpus à médica Letícia Bortolini, 37, presa por atropelar e matar o vendedor de verduras Francisco Lúcio Maia, 48, pai das duas jovens.

Elas conversaram com o Gazeta Digital e afirmaram que a indignação é compartilhada pelos demais familiares da vítima.

Na avaliação de Francinilda, a Justiça não funciona para os trabalhadores pobres e sim "para os ricos", pois antes mesmo de completar 24 horas que o pai foi sepultado, a Justiça concedeu liberdade à médica que no dia do acidente sequer parou para prestar socorro. O principal motivo para a soltura foi o fato de Letícia ter uma criança de 1 ano e 6 meses que depende dela.

Poucas horas depois do caso registrado na noite de sábado (14), na Avenida Miguel Sutil, a médica foi presa e encaminhada para o presídio feminino Ana Maria do Couto. A juíza da 9ª Vara Criminal, Renata do Carmo Evaristo Pereira, foi quem decretou converteu o flagrante em prisão preventiva e negou o pedido de fiança solicitado durante a audiência de custódia, no Fórum de Cuiabá. Quanto ao pedido da defesa de para que fosse convertida em prisão domiciliar a magistrada plantonista deixou para que o juiz titular do caso apreciasse o pedido.

"Estamos abismados com esta situação. Mal terminamos de enterrar um trabalhador e pai de família e ela já ganha liberdade? Isso nos prova mais uma vez que a Justiça pro rico não serve. Agora se fosse um pobre que tivesse atropelado alguém da alta sociedade certamente o motorista perderia o direito de dirigir e ainda o carro", desabafou.

Vânia Silva relembrou da rotina do pai antes de seguir em direção ao ponto onde vendia verduras e frutas em frente ao Posto de Saúde do bairro Coophamil. Francisco acordava por volta das 3h e ia até a feira do Industriário escolher verduras e legumes para depois revender aos clientes.

Deletran

Manifestação por Justiça

Para demonstrar a insatisfação com a liberdade da médica, familiares de Francisco agendaram uma manifestação para esta terça-feira (17), a partir das 19h na Praça Central do bairro Coophamil. Amigos e parentes irão se reunir no local vestidos de preto para demonstrar o luto. Faixas e cartazes também serão utilizadas no ato.

Algumas devem ser instaladas no local onde o trabalhador vendia as verduras."É triste sentimos um vazio enorme dentro de casa. Pro meu pai não tinha tempo ruim era chuva ou sol que ele levantava para trabalhar. Dai surge uma mulher, que se diz médica e tira a vida dele. Acreditamos que se os 2 tivessem parado o carro e prestado os primeiros socorros meu pai poderia estar vivo. Mas, a única coisa que sentimos neste momento além da dor profunda que parece não ter fim é a incapacidade de lutar pela Justiça contra a motorista", afirmou Vânia.

Investigação

Gazeta Digital

O delegado Christian Cabral, da Delegacia Especializada em Delitos de Trânsito (Deletran), responsável pelo inquérito que investiga o atropelamento já começou a ouvir as testemunhas do acidente.

Além disso, imagens de câmeras de segurança são utilizadas para identificar quem dirigia o Jeep Compass se, de fato, era a médica Letícia Bortolini, 37, que foi presa e ganhou habeas corpus na tarde desta segunda-feira (16), ou o marido dela, também médico, Aritony de Alencar Menezes, 37, que fugiu durante o registro da ocorrência. O depoimento de Aritony está agendado para esta tarde na na Deletran e os familiares irão acompanhar.

Segundo o delegado, não há nada de concreto nas investigações que possam indicar que Letícia tenha assumido a culpa para livrar o marido. Porém após algumas informações que surgiram durante as investigações, tal possibilidade também é apurada.

O caso

O caso foi registrado no sábado (14), por volta das 19h50, quando o casal de médicos, Letícia e Aritony de Alencar Menezes, 37, passou em um Jeep Compass e atropelou o trabalhador que chegava próximo do canteiro central da pista. O veículo era conduzido pela mulher que não prestou socorro,
Testemunhas que presenciaram o fato ligaram na delegacia e para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas o óbito foi confirmado.

Depois de receber as características do veículo, a PM saiu à procura e localizou a motorista e o passageiro em um condomínio no bairro Jardim Itália. A mulher apresentava sinais visíveis de embriaguez. Ela estava com os olhos vermelhos e se recusou a fazer o teste do bafômetro.

Porém foi levada a Central de Flagrantes, onde foi autuada por omissão de socorro, lesão corporal, homicídio culposo e direção perigosa e de lá encaminhada à audiência de custódia. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 16 de maio de 2018

15:30 - Inquérito sobre morte de verdureiro atropelado por médica será prorrogado

Quinta, 26 de abril de 2018

16:00 - Delegado não interrogará médica para concluir inquérito sobre atropelamento

Quarta, 25 de abril de 2018

18:25 - Médica diz que só irá a delegacia se polícia garantir sua integridade física

Segunda, 23 de abril de 2018

13:30 - Juiz quer saber se criança depende de médica que matou verdureiro

Quinta, 19 de abril de 2018

17:25 - Politraumatismo craniano matou verdureiro, aponta laudo da Politec

Quarta, 18 de abril de 2018

19:07 - Câmeras registram momento em que verdureiro é atropelado - veja vídeo

Terça, 17 de abril de 2018

18:15 - Médico envolvido em acidente diz que dormia e não viu atropelamento

15:23 - Médico envolvido em acidente que matou verdureiro presta depoimento

07:30 - Delegado solicita imagens para confirmar quem dirigia carro que matou verdureiro

Segunda, 16 de abril de 2018

18:59 - Desembargador revoga prisão de médica que atropelou verdureiro


// leia também

Segunda, 21 de maio de 2018

12:01 - Jovem é morto com tiros na cabeça e no peito

10:59 - Adolescente é morto a facadas pelo padrasto após discussão entre família

09:32 - Suspeito de alta periculosidade oferece R$ 100 mil para não ser preso

09:15 - Ofensa racista durante campeonato brasileiro vai parar na polícia

08:26 - Mulher é morta com várias facadas e corpo deixado em matagal

07:52 - Homem acusado de matar o filho é amarrado e preso

Domingo, 20 de maio de 2018

15:40 - Ex-funcionário é preso por roubar R$ 16 mil da casa de patrão

10:56 - Homem morre durante confronto com polícia

10:33 - Jovem é preso depois de tentar roubar viatura da Polícia Militar

10:01 - Homem é preso no flagra por furtar tesouras da Drogasil em Cuiabá


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 21/05/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 21/05/2018
D1f041d7a04ba04c4ffc9a628f06da54 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Projeto reconhece como família união entre pessoas independente do gênero




Logo_classifacil









Loja Virtual