Macri enfrenta primeira grande crise e juros sobem para 40% na Argentina | Gazeta Digital

Sábado, 05 de maio de 2018, 11h47

Economia

Macri enfrenta primeira grande crise e juros sobem para 40% na Argentina


Estadao

Pouco mais de dois anos após chegar ao comando da Argentina e se transformar em uma das apostas preferidas do mercado financeiro, o governo de Mauricio Macri atravessou sua primeira crise: diante de uma saída de capitais que desvalorizou sua moeda em 8% em uma semana, o Banco Central aumentou a taxa básica de juros de 27,25% para 40% - a maior do mundo. Ao todo, foram três anúncios de alta em oito dias, todos pegando os investidores de surpresa.

Ontem (4), após o BC elevar em 6,75 pontos porcentuais o juro básico e o governo reduzir a meta do déficit público de 3,2% do PIB para 2,7% em 2018, o mercado finalmente se acalmou e o dólar caiu quase 2%. A moeda americana encerrou o dia cotada a 21,82 pesos, depois de chegar a 23 pesos na quinta-feira.

Getty Images

Na avaliação do economista Alberto Ramos, do Goldman Sachs, o BC atuou ontem de ‘forma contundente‘, melhorando ‘um pouco‘ a situação e corrigindo ‘a implementação errática das últimas medidas‘.

A Argentina é o país que vem sendo mais afetado pela valorização do dólar no mercado internacional, com as perspectivas de um aumento maior dos juros nos Estados Unidos - o que torna o mercado americano mais atraente aos investidores e afeta diretamente as economias emergentes. Nesta semana, a IIF, associação que reúne os maiores bancos do mundo, já havia manifestado preocupação em relação aos rumos da economia do país.

O Banco Central argentino vinha perdendo credibilidade desde dezembro, quando a equipe econômica de Macri elevou a meta de inflação de 10% para 15%, em uma tentativa de aumentar o ritmo da economia. Apesar de o mercado já não acreditar que esses números seriam atingidos - a inflação em 2017 ficou em 24,8% e as projeções para 2018 são de mais de 20% -, a interpretação foi de que o controle da inflação havia deixado de ser prioridade.

Também contribuíram para o caos desta semana a criação de um imposto sobre ganhos financeiros de investidores estrangeiros e a avaliação de que os déficits das contas públicas e externo continuam altos. Para Martín Redrado, ex-presidente do BC, as políticas econômicas de Macri não têm conseguido segurar a inflação, e falta ao governo um programa econômico integral. ‘Os problemas de fundo não foram resolvidos, há desequilíbrio fiscal e uma inflação resistente.‘

Ramos, do Goldman, acrescentou que o juro na casa dos 40% pode desacelerar a economia. ‘Não tem parto sem dor, mas, se o BC não tivesse feito nada, a crise seria maior. A inflação perderia o controle.‘ Para ele, a alta dos juros pode ter impacto no Brasil, ainda que não muito significativo. Os economistas também não descartam a possibilidade de o BC elevar novamente os juros. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Segunda, 25 de junho de 2018

09:05 - Greve geral na Argentina atinge vários setores e envolve sociedade civil

Sábado, 16 de junho de 2018

10:00 - Conheça a cidade da Argentina que tem apenas um habitante

Quarta, 13 de junho de 2018

09:41 - Lei do aborto começa a ser votada nesta quarta-feira na Argentina

Domingo, 13 de maio de 2018

15:30 - Colapso de 2001 volta a assombrar os argentinos

Quarta, 11 de abril de 2018

15:27 - Policiais argentinos acusam ratos de comer meia tonelada de maconha

Terça, 03 de abril de 2018

16:12 - Ex-ministro argentino é acusado de corrupção em caso ligado à Odebrecht

Quinta, 29 de março de 2018

15:45 - Após desfalcar Argentina em 2 jogos, Messi treina no Barça e deve pegar o Sevilla

Terça, 27 de março de 2018

20:00 - Lesionado, Messi é descartado até do banco e volta a desfalcar a Argentina

Domingo, 25 de março de 2018

10:09 - Messi volta a treinar e deve reforçar a Argentina contra a Espanha

Sexta, 23 de março de 2018

08:36 - Independiente denuncia rede de prostituição de menores dentro do próprio clube


// leia também

Domingo, 24 de junho de 2018

17:00 - Portabilidade de crédito cresce quase 100% em 2017

14:00 - Protesto na Alemanha pede veto ao carvão para gerar eletricidade

13:30 - Lideranças do Reino Unido advertem para risco de Brexit sem acordo com UE

11:03 - Brasileiros sem emprego aceitam ofertas abaixo de sua capacitação nos EUA

10:27 - Transportadoras afirmam que tabela do frete não está em vigor

Sábado, 23 de junho de 2018

16:00 - Interferência do governo no preço dos combustíveis atrapalha venda de refinarias

14:00 - Juiza mantém 7 na prisão por desvios no Rodoanel norte

13:30 - Com titulares poupados, seleção faz treino leve após vitória sobre a Costa Rica

13:00 - Medidas do ajuste fiscal emperram Congresso

09:10 - Projeto do pré-sal favorece Petrobras


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 25/06/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 25/06/2018
Afeda58f8fad104f8a7e7e0d17408684 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Transsexualidade deixa de ser considerada uma doença mental




Logo_classifacil









Loja Virtual