Demanda por voos domésticos sobe em março após 19 meses de queda, diz Abear | Gazeta Digital

Quinta, 20 de abril de 2017, 16h31

Demanda por voos domésticos sobe em março após 19 meses de queda, diz Abear


R7

A aviação doméstica brasileira interrompeu a trajetória de queda e registrou em março um crescimento de 5,9% na demanda por voos na comparação com março de 2016, o primeiro avanço após 19 meses consecutivos de retração no indicador, informou nesta quinta-feira (20) a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas).

A entidade, que apresenta a estatística com base no desempenho de suas associadas (Avianca, Azul, Gol e Latam), também informa que a oferta por voos domésticos aumentou 3,98% na mesma base de comparação, a primeira alta após 18 meses seguidos de retração.

Com a demanda crescendo num ritmo superior à oferta, a taxa de ocupação dos voos domésticos em março deste ano cresceu 1,44 ponto porcentual (p.p.) ante o mesmo mês de 2016, chegando a 79,07%.

Apesar dos resultados positivos, o consultor técnico da Abear, Maurício Emboaba, avalia que os números não devem ser interpretados como o início de um "boom" na aviação doméstica brasileira.

"Março de 2016 foi um mês especialmente ruim, a base de comparação era muito baixa", destacou. Em março do ano passado, a demanda por voos domésticos recuou 7,3% na comparação anual, enquanto a oferta diminuiu 7,6% na mesma base.

No total, as companhias aéreas transportaram juntas 7,468 milhões de passageiros no segmento doméstico no mês passado, número 5,72% maior que o verificado no mesmo mês de 2016.

Em termos de participação de mercado, a Gol se manteve na liderança no segmento doméstico no mês passado, com 35,22%, seguida pela Latam, com 33,16%. A Azul ficou em terceiro, com 18,84% de market share, enquanto a Avianca Brasil registrou participação de 12,78%.

Trimestre

No acumulado dos três primeiros meses de 2017, a demanda doméstica apresenta uma retração de 0,24% ante o mesmo período de 2016, enquanto a oferta doméstica diminuiu 1,61% na mesma base de comparação. Com isso, a taxa de ocupação no primeiro trimestre desse ano melhorou 1,11 p.p. ante o ano passado, para 81,10%.

No total, as empresas transportaram 22,6 milhões de pessoas no segmento doméstico entre janeiro e março de 2017, uma queda de 0,98% em relação aos mesmos meses de 2016.

Internacionais

A demanda por voos internacionais de passageiros, medida em RPK (Passageiros-quilômetro pagos transportados, na sigla em inglês), cresceu 18,43% em março deste ano na comparação com o mesmo mês de 2016, de acordo com a Abear.


A entidade, que apresenta a estatística com base no desempenho de suas associadas (Avianca, Azul, Gol e Latam) também informa que, em termos de oferta internacional, foi verificado um aumento de 9,33% no mês passado ante março de 2016.

Desta maneira, a taxa de ocupação dos voos internacionais em março de 2017 ficou em 84,46% um aumento de 6,49 pontos porcentuais (p.p.) na comparação com o mesmo mês de 2016. Segundo a Abear, foram transportados 676 mil passageiros no segmento internacional no mês passado, um crescimento de 16,78% na mesma base de comparação.

Dentre as empresas nacionais, a Latam liderou o transporte internacional de passageiros em março, com 77,65% da participação de mercado. A Gol teve 11,69% e a Azul respondeu por 10,57%. A Avianca Brasil obteve 0,10% de market share.

No acumulado dos três primeiros meses de 2017, a demanda internacional apresenta um crescimento de 9,53% ante o mesmo período de 2016, enquanto a oferta internacional aumentou 3,81% na mesma base de comparação. Com isso, a taxa de ocupação no primeiro trimestre deste ano melhorou 4,48 p.p. ante o ano passado, para 85,80%.

No total, as empresas transportaram 2,124 milhões de pessoas no segmento internacional de janeiro a março, uma alta de 9,76% em relação aos mesmos meses de 2016.

Projeções

Maurício Emboaba avalia que a aviação doméstica brasileira continuará apresentando um bom desempenho nos próximos meses em bases anuais. "Há a expectativa que as taxas de crescimento no futuro próximo continuem sendo altas, as bases de comparação serão muito ruins", disse.

Em abril de 2016, por exemplo, a demanda doméstica recuou 12,2% ante abril de 2015, com a oferta caindo 10,3%. Em maio, as retrações na demanda e oferta foram de 7,69% e 8,08%, respectivamente. Em junho, a demanda caiu 6,09%, e a oferta, 6,58%.

Dada a perspectiva positiva para os próximos meses, Emboaba ainda afirmou que, para o ano, a expectativa é que tanto a demanda quanto a oferta doméstica cresçam pouco menos de 2% na comparação com o resultado de 2016.

No entanto, o executivo ressaltou que qualquer tipo de previsão é muito frágil e que o mercado de aviação doméstica está sujeito a uma série de fatores, tanto internos quanto externos, que fogem ao controle das companhias.

Em março de 2017, a demanda doméstica cresceu 5,9% na comparação com o mesmo mês de 2016, a primeira alta após 19 meses seguidos de retração, enquanto a oferta doméstica avançou 3,98% na mesma base de comparação.

Com isso, o acumulado do primeiro trimestre deste ano mostra uma queda de 0,24% na demanda e uma contração de 1,61% na oferta ante os três primeiros meses de 2016. 



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Terça, 27 de junho de 2017

19:21 - Dólar sobe com cautela com reformas após denúncia contra Temer

18:51 - Rodrigo Janot pede suspensão da lei da terceirização

18:30 - Não há confisco ou sequestro do FGTS, diz ministro do Planejamento

17:28 - Situação fiscal do Brasil continua 'gravíssima', diz ministro

16:47 - Nível de atividade da indústria da construção volta a cair em maio

14:28 - Aneel aprova reajuste de 74,74% nas receitas das transmissoras

13:30 - Receita reduz para 60 dias prazo de restituição do Simples e MEI

12:45 - Temer sanciona Programa Seguro-Emprego e mais 5 novas leis

12:25 - Juros sobem com dólar em meio giro fraco e receio das reformas

11:28 - Gasto de brasileiros no exterior cresce e atinge quase R$ 5 bilhões


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 28/06/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 28/06/2017
709682c66590260fb3edf747d9f8deb8 anteriores




Indicadores Econômicos

Indicadores Agropecuário

Mais Lidas Enquete

Profissionais de saúde devem ser obrigados a registrarem nos prontuários de atendimento médico os indícios de violência contra a mulher?




waze

Logo_classifacil









Loja Virtual