Por que os treinamentos motivacionais não dão certo? | Gazeta Digital

Quinta, 14 de junho de 2018, 11h32

Cynthia Lemos

Por que os treinamentos motivacionais não dão certo?

Cynthia Lemos


Motivação, produtividade e realização, esses são alguns dos maiores desejos de qualquer empresa em relação aos seus funcionários.

Mas o que significa ser motivado? Ser produtivo? E ser alguém que gera realizações?

Perceba que nessas três perguntas estão contidas três repetições profundas que não se tratam de um estado, mas de SER.

Muitas vezes o que acontece é que as pessoas acreditam, que a criação desses 3 fatores se trata simplesmente de apertar um “botão”, ou de um estímulo único, mágico e transformador. As empresas muitas vezes investem fortunas para criar esses estados com treinamentos motivacionais, para que suas equipes possam ficar mais animadas a produzir e realizar.

Algumas acreditam realmente nisso.

É muito comum para mim este tipo de pergunta.

“Cynthia, precisamos de um treinamento motivacional, você faz? A equipe está muito desmotivada, precisamos dar uma animada neles.”

Geralmente questiono essas demandas, e busco aprofunda-las para que se busque a compreensão dessas queixas a nível mais profundo.

Ouço muitas vezes também:

“A gente já fez muito treinamento motivacional, ficam animados por alguns dias. Depois volta tudo como era antes.”

Ser motivado, produtivo e realizador. 

Ser se trata de identidade. 

Assim o que vai diferenciar o ter motivação para o ser motivado é o tempo de sustentação deste estado no tempo.

Enquanto a empresa continuar a acreditar que gerar motivação e produtividade se trata de “...dar uma animada neles!” ou “...dar uma motivada!” (Falas comuns de alguns Gestores) em nível de estado emocional, não haverá um nível de estabilidade necessário para que se possa identificar alguém como uma pessoa que carrega essas três competências como uma característica interna.

Aliás, aqui acho importante compartilhar com vocês, que para esses estados se transformem em identidade, antes, os mesmos precisam ir além, seguir sendo trabalhados em um nível mais profundo: interno e pessoal de compreensão, para que após essa, esta nova habilidade identificada possa ser praticada repetidas vezes, até que se tornem um hábito e se fixe como uma nova forma de ser no ambiente, uma característica interna.

Talvez aí está a grande respostas às empresas porque muitas vezes os treinamentos motivacionais não dão certo.

As expectativas em relação a eles são maiores e mais profundas do que eles são capazes de entregar.

Treinamentos motivacionais são uma sensibilização, um tocar, um expandir de consciência. Mas só isso não é suficiente para mudança de comportamentos e resultados de verdade.

É nessa parte do percurso que muitos desistem, pois a vida está em constante mutação, e dependendo do nível que essas mudanças acontecem alguns hábitos são pausados. Mas, se já são hábitos, tendem a retornar, porém se ainda não são, se são estados, provavelmente se perderão no meio do caminho dando amplo lugar a atitudes antigas que talvez se desejasse mudar.

Meus amigos, para se criar um hábito é preciso força de vontade e persistência. Criar um hábito doí. Às vezes doí profundamente. Se houvesse um segredo diante disso, eu diria a você, está no suportar a dor da mudança e persistir, somente assim o novo poderá ser criado.

E essa travessia não é bonitinha, não costuma ser ao som de poesia e música de vitória.

Então realmente sinto dizer isso a você! Sinto em não poder te motivar gritando em seus ouvidos ou fazendo você chorar de emoção, pois não se trata de estar motivado, estar feliz, se trata de ser. E para ser é preciso se conhecer o motivo lá no íntimo pelo qual você vai querer aplicar a ação para agir repetidamente, mesmo que diante das adversidades, porque você sabe lá no íntimo, o que quer criar.

Assim autoconhecimento é o que todo ser humano precisa se quiser criar essas três palavrinhas lá de cima e tantas outras quanto desejar.

Expanda sua consciência para que você realmente possa gerar ações que transformam.

Cynthia Lemos é psicóloga empresarial e coach na Grandy Desenvolvimento Humano. Especialista no desenvolvimento de líderes e empresas. Email: cynthia@grandy.com.br

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 11 de maio de 2018

15:41 - É preciso acolher a dor para curá-la

Sábado, 03 de fevereiro de 2018

12:01 - A gestão do Conto de Fadas

Quinta, 25 de janeiro de 2018

17:57 - A turma de Cá, e a Turma de Lá!

Sexta, 12 de janeiro de 2018

11:41 - Problemas com Funcionário? Se não der certo, troca!

Sábado, 06 de janeiro de 2018

15:17 - Como você avalia os prós e contras de suas decisões?

Sexta, 29 de dezembro de 2017

10:05 - Quem é o seu gerente?

Quinta, 14 de dezembro de 2017

15:04 - Querida Joana...

Quinta, 07 de dezembro de 2017

10:48 - Crescer exige mudanças

Segunda, 06 de novembro de 2017

11:06 - Amizade e Liderança no Trabalho, é possível?

Sexta, 27 de outubro de 2017

14:40 - Eu não sou feliz com meu trabalho, e agora?


// leia também

Quarta, 15 de agosto de 2018

00:00 - A nova capital do Brasil

00:00 - O homem que amava os cachorros

00:00 - Napoleão e os contribuintes

00:00 - O atendimento à saúde vai mudar

00:00 - Clima de deserto no inverno

Terça, 14 de agosto de 2018

00:00 - Golpe de Maggi contra Cuiabá

00:00 - O jovem, o eleitor e o cidadão

00:00 - Bandidagem na periferia

00:00 - Como prevenir assédio?

00:00 - Luz no túnel


 ver todas as notícias
GDEnem

Cuiabá, Quarta, 15/08/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 15/08/2018
Dcb362fa6df370b7d120182d5bfb19db anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Qual sua opinião sobre os debates com candidatos na TV e rádio?




Logo_classifacil









Loja Virtual