Sexta, 21 de abril de 2017, 00h00

Educação e prática cultural

Elias Januário


Refletir acerca do tema prática cultural em comunidades tradicionais, consiste num desafio de grandes proporções pelo pouco interesse de uma parcela considerável de jovens das futuras gerações, em valorizar os elementos constitutivos da cultura como, por exemplo, a pintura corporal, a dança, o artesanato e a comida típica que, a médio prazo, está fadado a ficar apenas na história e na memória dos mais velhos.

Diante deste contexto a educação tem sido uma área importante que, por meio do trabalho dos professores em inserir no currículo escolar temas relacionados às práticas culturais, buscam um caminho de reverter esse quadro que hoje se encontra delineado na organização social de muitos povos tradicionais. Ao contrário do que muita gente pensa, os povos indígenas continuam mantendo sua alteridade graças às estratégias próprias de vivência sociocultural, sendo a prática pedagógica uma delas. A educação praticada e vivenciada pelos povos indígenas possibilita que o modo de ser e a cultura venham a ser produzidas pelas novas gerações.

Assim, as crianças desde cedo vão aprendendo a assumir desafios e responsabilidades que lhes permitam inserir-se na vida social e o fazem, principalmente, por meio da observação e da experiência empírica proporcionadas pelos mitos, histórias, festas, cerimônias e rituais realizados para tal fim. Os bons exemplos dos pais, dos irmãos mais velhos e dos líderes comunitários são fundamentais para o desenvolvimento do caráter, das atitudes, dos comportamentos, das virtudes e das habilidades técnicas de uma pessoa, indispensáveis para a vida individual e a boa convivência social.

Cada povo indígena projeta e deseja para si um tipo de alteridade, o que confunde com o ideal de uma pessoa. O ideal da vida de um indivíduo tem a ver com o que é bom para ele e para o seu povo. Em conformidade com esse ideal, a prática pedagógica tradicional indígena integra, sobretudo, elementos relacionados entre si: o território, a língua, a economia e o parentesco. O modo como se vive esse sistema de relações caracteriza cada um dos povos indígenas, nos explica o professor indígena Luciano Baniwa.

Portanto, a educação indígena é um processo de ensino que ocorre ao longo de gerações, onde os pais passam seus conhecimentos tradicionais aos seus filhos e netos, demonstrando e incentivando os jovens sobre a importância de valorizar e preservar as suas práticas culturais.

Elias Januário é educador, antropólogo e historiador, escrever às sextas-feiras em A Gazeta. E-mail: eliasjanuario@terra.com.br



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Sábado, 29 de abril de 2017

00:00 - O povo fez a leitura

00:00 - Negacionismo (2)

00:00 - Os samurais e a liderança

00:00 - Bicho virtual

00:00 - Revisão sim, porém sem precipitação

Sexta, 28 de abril de 2017

07:39 - Os quatro elos do sucesso

07:32 - A hora das concessões

00:00 - Contratei um vendedor. E agora?

00:00 - Vitória pela metade

00:00 - Os dias eram assim


 ver todas as notícias
Cuiabá, Sábado, 29/04/2017
 

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado waze

titulo_jornal Sábado, 29/04/2017
6637d166db2af4ee95c6d595829972c2 anteriores




Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O desemprego subiu no Brasil este ano e já atinge 14,2 milhões de pessoas. Na sua opinião, a crise vai demorar a passar?



Logo_classifacil









Loja Virtual