PF questiona Temer sobre participação de senador em suposto esquema | Gazeta Digital

Terça, 09 de janeiro de 2018, 15h21

Política de MT

PF questiona Temer sobre participação de senador em suposto esquema

Redação do GD


O senador mato-grossense Wellington Fagundes (PR) é citado em duas das 50 perguntas feitas pela Polícia Federal ao presidente Michel Temer (PMDB) no inquérito que investiga a suspeita de favorecimento indevido ao setor portuário em decreto presidencial que alterou regras de concessões.

O decreto foi publicado por Temer em 11 de maio e aumentou o prazo dos contratos de concessão de áreas portuárias de 25 anos para 35, podendo ser prorrogado até 70 anos, beneficiando as atuais empresas concessionárias.

Marcus Vaillant

PF questiona Michel Temer sobre senador de MT

As perguntas foram divulgadas pela Época, que teve acesso ao conteúdo da investigação. De acordo com a publicação, a PF faz a seguinte questão ao presidente: “Foi procurado pelo senador Wellington Fagundes para tratar sobre o novo decreto dos portos? Se sim, quando e onde? Explicitar as demandas do senador. O senador Wellington Fagundes defendia a inclusão de solução das concessões dos contratos pré-93 no novo decreto dos portos? Quais as justificativas apresentadas pelo senador?”

Em outra pergunta a PF questiona: “Por que Gustavo Rocha e Beto Mansur disseram, durante diálogos com Rocha Loures, devidamente autorizados pela Justiça, que a inserção da questão pré-93, tanto defendida por Rocha Loures, Beto Mansur e Wellington Fagundes, seria uma ‘exposição para o presidente’? Vossa Excelência sabe dizer se tal normatização por meio do novo decreto dos portos seria ilegal? Por quê?”

A PF já tomou o depoimento de quase todos os investigados, o inquérito já entrará em sua fase final.
Além de Temer, a PF investiga o ex-deputado Rodrigo da Rocha Loures, famoso por ter sido flagrado em uma corridinha com a mala de R$ 500 mil entregue pela JBS.

A PF também investiga o coronel João Baptista Lima Filho, acusado de receber propina em nome de Temer, e o advogado e ex-assessor José Yunes, que já admitiu ter recebido um pacote de dinheiro do operador Lúcio Funaro.

De acordo com a Época, os elementos colhidos até agora pela PF confirmam um intenso lobby da empresa Rodrimar, concessionária de áreas no Porto de Santos, junto a autoridades públicas para conseguir benefícios no decreto presidencial. A empresa recorreu a Rocha Loures, ao deputado Beto Mansur, do PRB de São Paulo, e ao senador Wellington Fagundes, do PR de Mato Grosso.

Confira a íntegra da matéria aqui.
 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Quarta, 25 de abril de 2018

15:03 - Projeto que cria Fundo Emergencial chega na AL - veja quem terá que contribuir

13:45 - Fávaro descarta qualquer possibilidade de subir no palanque de Taques

12:43 - Lucimar antecipa salário de abril para esta sexta-feira em VG

11:30 - Em política só não vi boi voar, diz Wilson ao 'garantir' que o DEM apoiará Taques

10:41 - Empresários alvos de operação eram contra licitação do transporte intermunicipal

07:10 - Defaz investiga fraudes em concessões de transporte; políticos e empresários são alvos

Terça, 24 de abril de 2018

18:23 - Auditor da CGE confirma em CPI a retenção de R$ 331 milhões do Fundeb

15:38 - Ex-aliados de Taques lançam manifesto contra reeleição

10:39 - O Zeca queria estar apreciando as contas de 1500!, dispara Wilson Santos

10:00 - Governo de MT prepara Programa de Demissão Voluntária para reduzir gastos


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 25/04/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 25/04/2018
72a9403112aff7a049263a318f98e418 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Proposta sugere que presos ainda não condenados tenham prisão substituída por atividades escolares




Logo_classifacil









Loja Virtual