Estratégia de coronel Lesco em confessar crime não convenceu delegados | Gazeta Digital

Quarta, 11 de outubro de 2017, 08h22

preso há duas semanas

Estratégia de coronel Lesco em confessar crime não convenceu delegados

Janaiara Soares, repórter do GD


O delegado da Polícia Civil Flávio Stringueta, que acompanhou o interrogatório do coronel Evandro Lesco e de sua esposa, a personal trainer Hellen Lesco, na tarde desta terça-feira 10, afirmou que o ex-secretário da Casa Militar tentou livrar sua mulher de continuar presa com o novo depoimento, porém, por não ter apresentado nenhuma informação nova, não deve conseguir amenizar as punições da educadora física.

"Ele confessou todos os fatos a ele atribuídos na Operação Esdras, numa tentativa de livrar da cadeia sua mulher, Helen. Não acrescentou nada, portanto, sua estratégia não convenceu. O que ele confessou já está plenamente confirmado nos autos", disse Stringueta ao Gazeta Digital.

Leis também - Coronel Lesco e esposa confessam crimes durante interrogatório - Veja vídeos

João Vieira

Evandro Lesco na saída de seu depoimento no Complexo Miranda Reis

O delegado informou também que o desembargador Orlando Perri determinou a transferência de Lesco para uma cela no quartel da Rotam, na Avenida do CPA. Inicialmente, ele estava preso no 3º Batalhão da Polícia Militar, mas foi alvo de denúncia de que teria saído de lá para ir a uma farmácia, acompanhado de dois policiais.

Na decisão do desembargador Orlando de Almeida Perri, que determinou a prisão do casal, Lesco é acusado de apresentar os militares responsáveis pela realização dos grampos ao coronel Zaqueu Barbosa, incumbido pela criação do Escritório/Núcleo de Inteligência. Conforme Perri, os integrantes do que ele classificou como organização criminosa pretendiam montar uma farsa para afastá-lo da relatoria do caso no Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Além disso, Lesco teria dado ordem a um militar para evitar a qualquer custo que o então secretário de Justiça e Direitos Humanos, Airton Benedito Siqueira, fosse preso por envolvimento no esquema para "não fragilizar o grupo" que teria grampeado ilegalmente centenas de pessoas entre políticos, jornalistas e até membros do Judiciário.

Helen, por sua vez, tentou atrapalhar as investigações sobre o esquema de interceptações telefônicas ilegais praticadas por membros do alto escalão do governo e da Polícia Militar na atual gestão. Na ocasião, a organização criminosa cooptou o tenente-coronel José Henrique Costa Soares e instalou na farda dele uma microcâmera espiã para que ele pudesse gravar o desembargador Orlando Perri.

A ideia era extrair do magistrado qualquer frase que pudesse ser utilizada pelo grupo criminoso para pedir sua suspeição na condução dos 6 inquéritos relacionados ao esquema da "gramplândia pantaneira".

De acordo com o depoimento prestado pelo coronel Soares, ele foi inicialmente abordado pela personal trainer Helen Lesco quando o marido dela ainda estava preso pela primeira vez. Ela teria dito ao policial que sabia dos problemas dele com as drogas e pedido que ele avisasse sobre tudo o que acontecesse no curso do inquérito policial militar e também que monitorasse os passos do desembargador Orlando Perri.  

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Domingo, 22 de outubro de 2017

14:34 - Cabo da PM confessa que operou grampos de dentro do Gaeco

Sexta, 20 de outubro de 2017

19:16 - Cabo diz que encontro com Paulo Taques foi para selar acordo financeiro - veja vídeo

15:20 - Sem a grampolândia, delegados saem de cena

15:17 - Delegada suspeita de venda de conversas grampeadas

09:42 - Delegada rebate críticas do MPE e defende legalidade de depoimento

08:54 - Botelho contesta Taques sobre pouco tempo para empenhar emendas

Quinta, 19 de outubro de 2017

19:53 - PM entregou imagens de encontro e muitos prints

Quarta, 18 de outubro de 2017

19:05 - STF não aprecia habeas corpus e Paulo Taques permanece preso

17:03 - Após confissão, delegados querem revogar prisão do cabo Gerson

15:25 - Cabo diz que juíza e promotor 'montaram história' para grampear Silval


// leia também

Domingo, 22 de outubro de 2017

10:20 - Antonio Joaquim sinaliza explorar escândalos da gestão Taques

09:20 - PSB retira Fábio Garcia da CCJ na Câmara para não votar a favor de Temer

Sábado, 21 de outubro de 2017

12:42 - Promotoria questiona negócio entre irmã de Gilmar Mendes e governo de MT

09:30 - Prefeito contesta ONG que denunciou R$ 700 mi de contratos sem licitação

08:00 - Câmara de Cuiabá aprova lei para arquivar multas de trânsito

Sexta, 20 de outubro de 2017

16:22 - Antonio Joaquim anuncia pré-candidatura e detona gestão Taques

10:47 - Antonio Joaquim ingressa no PTB e assume presidência do partido

09:41 - Bezerra afirma que Pronto Socorro terá emenda de R$ 82 milhões na íntegra

Quinta, 19 de outubro de 2017

18:35 - Prefeito libera R$ 3,3 milhões em suplementação à Câmara

18:34 - Câmara de Cuiabá passa a realizar 2 sessões em apenas 1 dia da semana


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 22/10/2017
 
Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 22/10/2017
D3e2a447985aa5e9b6e52041918b0ea4 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Deputados tentam reunião com presidente do STF para ajudar Gilmar Fabris, que está preso




Logo_classifacil









Loja Virtual