Coronel Lesco e esposa confessam crimes durante reinterrogatório - veja vídeos | Gazeta Digital

Terça, 10 de outubro de 2017, 14h16

esquema dos grampos

Coronel Lesco e esposa confessam crimes durante reinterrogatório - veja vídeos

Celly Silva e Alcione dos Anjos, do GD


João Vieira

Evandro Lesco deixando o Complexo Miranda

Atualizada às 18h45 - Presos há 13 dias sob acusação de obstrução de Justiça e participação numa farsa para tentar gravar o desembargador Orlando de Almeida Perri, o coronel da Polícia Militar, Evandro Alexandre Ferraz Lesco, ex-secretário da Casa Militar e sua esposa, a personal trainer Helen Christy Carvalho Dias Lesco, decidiram colaborar com as investigações sobre o esquema de escutas telefônicas clandestinas. Após reinterrogatório que durou cerca de 5 horas, o advogado do casal  confirmou que dessa vez eles responderam aos questionamentos dos delegados Ana Cristina Feldner e Flávio Henrique Stringueta. 

João Vieira

Advogado Stalyn Paniago Pereira

“Apenas decidiram assumir a responsabilidade daquilo que eles têm conhecimento e estão envolvidos”, disse o advogado Stalyn Paniago Pereira na saída do Complexo Miranda Reis de Juizados Especiais, em Cuiabá. Detalhes dos depoimentos não foram repassados nem pela defesa e nem pelos delegados. Argumentam que as investigação são sigilosas. Na semana passada, o casal foi interrogado, mas ficou em silêncio. Veja o vídeo do advogado explicando que agora eles admitiram participação no esquema.

              

Evandro e Helen chegaram escoltados por policiais e agentes prisionais para serem novamente interrogados pelos delegados da Polícia Civil em um dos inquéritos que investigam o esquema de interceptações telefônicas clandestinas, a chamada "grampolândia pantaneira".

João Vieira

Helen sendo escoltada até a sala onde será reinterrogada

A própria defesa do casal que pediu o reinterrogatório. Eles estão presos desde o dia 27 de setembro por determinação do desembargador Orlando Perri, responsável pelo caso dos grampos no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). 

Evandro Lesco chegou ao local por volta das 12h enquanto Helen foi escoltada por agentes penitenciários que a deixaram no Complexo Miranda Reis por volta das 14h. Ela chegou usando uniforme de presidiária da Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, porém, dessa vez não estava algemada. 

Na semana passada, ela foi a única presa que chegou algemada, o que levantou questionamentos sobre o tratamento diferenciado recebido pelos demais presos que chegaram sem uniformes de unidades prisionais e com as mãos livres. Diante da situação, o desembargador Orlando Perri enviou ofício para a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) cobrando explicação sobre o motivo da algema. Para o magistrado, não havia necessidade do uso de algemas em Helen.

João Vieira

Helen Lesco após depoimento na semana passada

Nesta terça-feira, Helen chegou em um carro descaracterizado, um Chevrolet Ônix branco, acompanhada por um policial civil e uma agente penitenciaria. Eles, juntamente com outras 6 pessoas, são acusados de montar uma farsa para conseguir o afastamento do desembargador Orlando de Almeida Perri das investigações do caso que ficou conhecido como “grampolândia pantaneira”.

Embora os delegados do caso e nem a defesa revelem o teor dos depoimentos, entre os questionamentos que foram  feitos ao casal diz respeito ao plano de tentar gravar o desembargador Orlando Perri e depois usar a conversa ou alguma frase fora do contexto para pedir o afastamento dele do caso.

João Vieira

Agentes chegam com computadores que estavam passando por perícia

A farsa foi denunciada pelo tenente-coronel José Henrique Soares que afirmou ter sido coagido pelos integrantes do grupo para que permitisse a instalação de uma câmera espiã em sua farda que deveria ser usada quando participasse de alguma reunião com o desembargador Orlando Perri para falar sobre as investigações. Soares era o escrivão do inquérito policial militar instaurado pela Polícia Militar para apurar a participação de oficiais da corporação no caso.

Nesta terça-feira os delegados também interrogaram o advogado Marciano Xavier que antes era o responsável pela defesa do casal Lesco, mas deixou o caso depois que seu nome também foi citado nas investigações. Marciano teria ajudado Helen Lesco a conseguir uma gravação em áudio de uma reunião que o escrivão participou juntamente com o desembargador Orlando Perri, a delegada Ana Cristina Feldner e o responsável pelo IPM, coronel Jorge Catarino Ribeiro, já que o intuito era conseguir meios de pedir a suspeição de Perri, prejudicando assim todo o andamento do inquérito.

              

Computadores periciados

Durante a oitiva, o delegado Flávio Stringueta deixou o prédio para realização de diligências complementares. Depois retornou junto com investigadores trazendo vários computadores, que segundo ele, estavam na Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) passando por perícia. Trata-se de equipamentos apreendidos na Operação Esdras, quando além das prisões, foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas residências dos acusados e também na Secretaria de Segurança Pública (Sesp).
 

                   

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 15 de dezembro de 2017

11:49 - Deputados de MT comemoram aprovação do FEX pelo Senado

11:13 - AL espera R$ 50 milhões do Estado para fechar ano sem dívidas

Terça, 12 de dezembro de 2017

09:44 - Ministro nega autorização para major viajar a Portugal

Segunda, 11 de dezembro de 2017

12:30 - STF deixa Siqueira 'ficar' com a esposa delegada

10:55 - Taques confirma pagamento de salários nesta segunda-feira

Quinta, 07 de dezembro de 2017

11:10 - LOA entra em pauta, mas votação é adiada por pedido de vista

Quarta, 06 de dezembro de 2017

12:41 - Relator da LOA aponta recurso irrisório para Defensoria e cobra mais investimento

11:47 - STJ deixa major ficar junto com a esposa servidora pública

Terça, 05 de dezembro de 2017

16:35 - Corregedoria do MP arquiva denúncia contra promotor Mauro Zaque

16:28 - Governo recebe dívida da Conab e efetua repasses de R$ 164,5 milhões


// leia também

Domingo, 17 de dezembro de 2017

12:11 - Gilmar Mendes e Silvam devem ser investigados

10:39 - Vereadores de Cuiabá terão emenda impositiva de R$ 350 mil

08:34 - Câmara pode manter 480 servidores

Sábado, 16 de dezembro de 2017

10:03 - Políticos lamentam execução do prefeito de Colniza

08:20 - PP decide se manter na base do prefeito Emanuel Pinheiro

08:14 - Resolução do TCE ameaça derrubar 13º de vereadores

Sexta, 15 de dezembro de 2017

17:07 - Senador diz que Temer não conseguirá aprovar a Reforma da Previdência

08:19 - PF vasculha escritório e casa do deputado Savi atrás do celular dele

Quinta, 14 de dezembro de 2017

11:25 - Vice líder do governo quer aprovar LOA na próxima semana

10:14 - Fábio Garcia filia-se ao Democratas em evento em Brasília


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 17/12/2017
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 17/12/2017
A8d779b2bd7ab2b00d41f7ea176ec574 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Quatro em cada dez crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, segundo IBGE




Logo_classifacil









Loja Virtual