Senador defende diretas sem participação de políticos investigados | Gazeta Digital

Quinta, 18 de maio de 2017, 17h48

Sem mácula

Senador defende diretas sem participação de políticos investigados

Karine Miranda, repórter do GD


O senador José Medeiros (PSD) defendeu que haja eleições diretas para a Presidência da República após o presidente Michel Temer (PMDB) ter sido gravado supostamente sugerindo a compra do silêncio do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Além de novas eleições, o senador sugeriu que os investigados em processos criminais sejam impedidos de participar do pleito.

Temer foi gravado, em áudio, pelo empresário Joesley Batista, onde teria sugerido que se mantivesse pagamento de mesada de Batista ao ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e ao doleiro Lúcio Funaro, para que estes ficassem em silêncio. A denúncia veio à tona no jornal O Globona quarta-feira (17).

Waldemir Barreto/Agência Senado

Senador defende eleições diretas sem investigados 

De acordo com o senador, que é vice-líder de Temer no Senado, a melhor solução para “os problemas políticos” do país é uma eleição presidencial direta, na qual o povo iria às urnas. Ele afirmou que já existe uma movimentação entre os parlamentares no Congresso Nacional para apresentação de Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

“Fomos tomados de surpresa pelas delações da JBS e surgiu diversas hipóteses sobre o destino do presidente. Mas já começou um trabalho no sentido de que tem que ter eleições e que as eleições têm que ser diretas. Concordo que o povo possa escolher, agora precisamos resolver de uma vez por todas a crise”, disse.

Segundo Medeiros, também está previsto que a emenda proíba que os investigados em processos criminais participem do pleito. “Não dá para a gente fazer uma eleição que não resolva os nossos problemas políticos. É importante fazer uma eleição que não tenha investigados”, afirmou.

Sobre o princípio da presunção de inocência, que prevê que ninguém é culpado até que o processo seja julgado, previsto na Constituição, o senador afirmou há a necessidade de se “abrir uma exceção” em decorrência do momento politico do Brasil.

“Nesse caso vamos abrir uma exceção e falar que, para presidente da República, ele não pode estar sendo investigado, não pode pesar sobre ele nenhuma mácula ou mancha que venha daqui em um futuro próximo trazer novamente uma crise politica para o Brasil”, disse.

Ainda conforme o senador, o momento politico é muito delicado para se correr o risco de que novos escândalos envolvendo presidentes ocorra. “Nós estamos em um momento em que precisamos trocar dois pneus com o carro andando e isso é muito difícil fazer sem ele tombar. Por isso, precisamos fazer rápido e de uma vez por todas”, encerrou.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Domingo, 21 de janeiro de 2018

13:00 - Grupo de advogados recorre ao STF contra posse de Cristiane Brasil

08:47 - STJ suspende decisão que impedia a posse de Cristiane Brasil

Sexta, 19 de janeiro de 2018

16:55 - Defesa de Michel Temer pede que inquérito seja encaminhado à PGR

09:15 - Michel Temer recorre ao STJ para garantir posse de Cristiane Brasil

Quinta, 18 de janeiro de 2018

17:30 - Temer nega ter pedido a Loures que recebesse 'recurso de campanha'

15:07 - Defesa de Temer entrega respostas a perguntas da PF sobre Decreto dos Portos

Quarta, 17 de janeiro de 2018

13:56 - Defesa já prepara recursos ao STJ para garantir posse de Cristiane Brasil

11:28 - Maia vê protagonismo excessivo do Judiciário no caso de Cristiane Brasil

11:27 - Auditoria da Caixa encontra e-mail de Temer para vice-presidente afastado

Segunda, 15 de janeiro de 2018

18:11 - Planalto diz que encontro de Temer com diretor da PF tratou sobre segurança


// leia também

Domingo, 21 de janeiro de 2018

10:32 - Desafio de Taques é reconstruir base e vencer eleição no 1º turno, diz Wilson

Sábado, 20 de janeiro de 2018

15:30 - Presidente do TJ nega complacência com Taques

13:45 - Baracat e Jayme deixam secretariado de Várzea Grande

12:30 - Fávaro quer disputar governo e conversa com oposição, revela Fagundes

08:30 - Wilson nega indicação ao TCE e afirma que vai à reeleição

08:07 - Preso em casa, ex-governador Silval faz faculdade de Teologia - veja vídeo

Sexta, 19 de janeiro de 2018

16:20 - Marrafon diz que conversa com Percival sobre filiação no PPS

12:06 - Prefeito sanciona 13º de vereadores

11:03 - 'É preciso transparência', diz líder do governo sobre CPI do Fundeb e Fethab

10:10 - Wilson será investigado após áudio de Jajah sobre verba indenizatória


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 22/01/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 22/01/2018
B4d605b0d0dc7c24992b546d8bbdc897 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Algum novato, de fora da política, pode surpreender nas eleições para presidente da República?




Logo_classifacil









Loja Virtual