Deputado vê com desconfiança acordo entre Estado e Consórcio | Gazeta Digital

Quinta, 20 de abril de 2017, 09h43

obras do VLT

Deputado vê com desconfiança acordo entre Estado e Consórcio

Karine Miranda, repórter do GD


O deputado estadual Zeca Viana (PDT) usou a tribuna nesta quarta-feira (19) para afirmar que “causa estranheza” a insistência do Governo do Estado em promover um novo acordo com o Consórcio VLT para que a continuidade das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), em Cuiabá.

O novo acordo prevê que o Estado pague mais R$ 922 milhões para a conclusão da obra do modal de transporte. O acordo ainda precisa ser homologado pela Justiça Federal. “Essa obra do VLT, na forma que o governo quer conduzir, temos que estar atento que talvez venha um 'chucho' maior do que Silval Barbosa”, disse.

Fablício Rodrigues/Secom-AL

Deputado Zeca Viana vê com desconfiança acordo entre Estado e Consórcio VLT

De acordo com o deputado, é inadmissível o governo manter o Consórcio VLT à frente das obras do modal de transporte, diante do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras da Copa.

O relatório apontou a existência de fraudes, descumprimento de contratos, superfaturamento, pagamentos indevidos e má qualidade dos serviços nas obras feitas durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

Além disso, o documento apontou ainda a necessidade de devolução, por parte do Consórcio VLT, de R$ 315 milhões, por suposto superfaturamento das obras, bem como o descumprimento do cronograma proposto para a execução das obras, que já custou R$ 1 bilhão.

“Estranho que o Governo vem forçando uma necessidade de gastar R$ 922 milhões com esse VLT. Colocando R$ 300 milhões de dinheiro bom em cima de dinheiro ruim, aonde a CPI apontou que o consórcio precisa devolver dinheiro para o Estado e o Estado vem falando em por R$ 300 milhões por obra conclusa e mais R$ 600 e pouco milhões para concluir”, afirmou.

De acordo com o deputado, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso e uma empresa chinesa apontaram que a conclusão do VLT, mantendo-se o projeto original, custaria R$ 710 milhões “sem o governo colocar um centavo”.

“Por que ele não aceitou essa empresa? É inaceitável deixar de pagar R$ 710 milhões para R$ 922 milhões. São R$ 240 milhões de economia que, botando na saúde do Estado, vamos ter um equilíbrio no atendimento à população”, afirmou.

Explicações - Zeca Viana apresentou um requerimento cobrando explicações do Governo do Estado sobre o valor que o Estado terá que desembolsar para concluir as obras do VLT e fazer as desapropriações necessárias. A obra do VLT está parada há mais de dois anos.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 19 de julho de 2017

10:18 - Com 2 licitações fracassadas, governo estuda aditivar valor de contrato

Sábado, 22 de abril de 2017

10:45 - Taques defende consórcio e diz que VLT sairá pela 'metade do preço'

Terça, 18 de abril de 2017

15:49 - Licitação para conclusão da trincheira Santa Rosa será dia 27

07:18 - Bezerra vê tentativa de 'minar CPI da Copa para que acabe em pizza'

Quarta, 05 de abril de 2017

15:47 - Trânsito na ponte sob o rio Coxipó é liberado

Segunda, 27 de março de 2017

19:02 - Governo do Estado lança edital para concluir Trincheira Santa Rosa

Quinta, 16 de março de 2017

16:15 - Interdição de ponte sobre o rio Coxipó completa um mês

Domingo, 12 de março de 2017

13:35 - Estado investe R$ 4 mi em drenagens de viaduto

10:04 - MPE investiga mais de 40 fraudes em obras da Copa

Quarta, 08 de março de 2017

18:04 - Exército avalia ceder ponte que será colocada sobre via interditada


// leia também

Domingo, 22 de outubro de 2017

10:20 - Antonio Joaquim sinaliza explorar escândalos da gestão Taques

09:20 - PSB retira Fábio Garcia da CCJ na Câmara para não votar a favor de Temer

Sábado, 21 de outubro de 2017

12:42 - Promotoria questiona negócio entre irmã de Gilmar Mendes e governo de MT

09:30 - Prefeito contesta ONG que denunciou R$ 700 mi de contratos sem licitação

08:00 - Câmara de Cuiabá aprova lei para arquivar multas de trânsito

Sexta, 20 de outubro de 2017

19:16 - Cabo diz que encontro com Paulo Taques foi para selar acordo financeiro - veja vídeo

16:22 - Antonio Joaquim anuncia pré-candidatura e detona gestão Taques

15:17 - Delegada suspeita de venda de conversas grampeadas

10:47 - Antonio Joaquim ingressa no PTB e assume presidência do partido

09:42 - Delegada rebate críticas do MPE e defende legalidade de depoimento


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 22/10/2017
 
Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 22/10/2017
D3e2a447985aa5e9b6e52041918b0ea4 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Deputados tentam reunião com presidente do STF para ajudar Gilmar Fabris, que está preso




Logo_classifacil









Loja Virtual