Juíza extingue ação, mas encaminha ao MPE para investigar possível improbidade | Gazeta Digital

Segunda, 09 de julho de 2018, 14h05

desvio no fethab 2

Juíza extingue ação, mas encaminha ao MPE para investigar possível improbidade

Celly Silva, repórter do GD


A juíza Célia Regina Vidotti, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular, extinguiu um processo proposto pela Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja) e por sindicatos rurais de 38 municípios contra o Estado. No entanto, a magistrada determinou o encaminhamento de cópia dos autos para o Ministério Público Estadual (MPE) para que tome providências, já que as informações apontam suposto cometimento de ato de improbidade administrativa e crime de responsabilidade.

A decisão foi proferida no último dia 29 de junho e publicada no Diário de Justiça nesta segunda-feira (9).

Assessoria TJ

Juíza Célia Vidotti

No processo, as entidades pediam a declaração de inconstitucionalidade, por exceção, de artigos da Lei nº 7.263/2000 (alterados pela Lei nº 10.353/2015), que trata da criação do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e, segundo os requerentes, estava tendo destinação ilegal dos recursos pagos pelos produtores.

Além da declaração de inconstitucionalidade, a categoria também pedia a condenação do Estado de Mato Grosso para que devolvesse aos contribuintes a arrecadação suplementar de Fethab com commodities em todos os meses de 2017 e de todas as contribuições deste ano, uma vez que a destinação de receita foi diferente da prevista em lei.

Os contribuintes do setor do agronegócio também queriam que a juíza concedesse liminar suspendendo as alterações na lei do Fethab e suspendesse a cobrança do acréscimo das commodities.

Leia também - Secretário afirma que governo tem autonomia para reter valores do Fethab

Desvio de finalidade

Na petição, os produtores argumentaram que o Fethab II foi criado especificamente para atender à necessidade de melhorias na infraestrutura da malha viária do Estado, por onde é escoada a produção agrícola, com efeito a partir de 1º de janeiro do ano passado, mas que o Estado estava destinando os recursos para outras finalidades e sem dar transparência aos seus atos, ofendendo os princípios da legalidade e da publicidade e gerando danos aos produtores que foram onerados com a contribuição extraordinária.

Chico Ferreira

Produtores reclamam da cobrança do Fethab 2, que estaria tendo recursos desviados para finalidades diversas da melhoria das rodovias

Segundo a Aprosoja e os sindicatos rurais, além de contrariar a própria lei do Fethab II, o Estado também infringiu outras leis, como as que tratam de normas gerais de direito financeiro para elaboração e controle do orçamento público, da Responsabilidade Fiscal (LRF), do acesso à informação (LAI) e a Constituição federal.

“Impropriedade insanável”

Ao negar o recebimento da ação contra o Estado, a juíza Célia Vidotti apontou que a inicial e os documentos juntados aos autos padeciam de uma “impropriedade insanável”. Ela apontou que a Lei n.º 7.347/85 não permite ação civil pública quando a pretensão envolva tributo.

“Não há dúvida quanto a natureza tributária da referida contribuição e a relação jurídico-tributária – e não de consumo - existente entre o Estado e o contribuinte. Portanto, a Ação Civil Pública não é o instrumento processual adequado, por expressa vedação legal, para atender a pretensão deduzida na inicial”, destacou Vidotti.

A magistrada também afirmou que o pedido de declaração de inconstitucionalidade de artigos da lei do Fethab II teria como consequência a retirada da eficácia da mesma, equivalendo ao resultado de uma ação direta de inconstitucionalidade, por conta da abrangência.

Isso porque o processado é o Estado, ou seja, a mudança na lei atingiria os órgãos que o compõem, por serem indissociáveis. “Os efeitos, portanto, configuram resultado idêntico ao das decisões do Supremo Tribunal Federal, quando no exercício do controle abstrato da compatibilidade constitucional”, diz trecho da decisão.  

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 05 de junho de 2018

20:13 - CPI do Fethab encerra fase de oitivas e dá início à elaboração de relatório final

16:34 - Neurilan aponta prejuízos para Prefeituras após retenção do Fundeb em 2017

Terça, 29 de maio de 2018

17:54 - Maluf assume presidência da CPI do Fundos após prisão de Mauro Savi

Terça, 17 de abril de 2018

17:58 - Duarte critica proposta de reformulação do Fethab apresentada por Eder Moraes

Segunda, 14 de agosto de 2017

15:11 - Governo repassa R$ 559 milhões do Fethab para os 141 municípios

Terça, 25 de julho de 2017

08:51 - Aumento do diesel vai prejudicar MT, diz chefe da Casa Civil

Terça, 11 de julho de 2017

12:10 - Taques regulamenta lei sobre destinação do Fethab; entenda

Quarta, 05 de julho de 2017

15:19 - Prefeituras receberam R$ 542 milhões do Fethab durante gestão Pedro Taques

Sexta, 28 de abril de 2017

14:37 - AMM elabora modelo de prestação de contas do Fethab

Quinta, 16 de março de 2017

17:38 - Governo repassa R$ 488 milhões do Fethab aos municípios


// leia também

Quarta, 18 de julho de 2018

19:30 - Testemunha diz que réu por morte de personal é ligado à facção criminosa

17:17 - TJ mantém rescisão de contrato para obras no Aeroporto Marechal Rondon

14:35 - Juiz marca audiência para formar conselho contra tenente acusada por morte de aluno

14:14 - Taques aguarda nova decisão sobre duodécimo e seguirá PEC do Teto de Gastos

12:00 - Audiências em ação penal da Operação Seven são retomadas

12:00 - Advogada de médico diz que é cedo para julgar conduta

11:25 - Postagens de Pedro Taques, Mauro Mendes e Fagundes são alvos do TRE

09:00 - PGR é contra pedido do Estado para evitar pagar duodécimo atrasado

Terça, 17 de julho de 2018

15:57 - Com dívidas de R$ 48 milhões, Grupo Engeglobal entra em recuperação

13:37 - Policial que matou adolescente por engano é liberado da prisão


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 18/07/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 18/07/2018
93ae6ae9690a2b7358a5399642de1263 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Qual sua opinião sobre o recesso dos parlamentares no mês de julho?




Logo_classifacil









Loja Virtual