TJ vai decidir se vereadores podem assumir cargos de deputado e senador | Gazeta Digital

Domingo, 01 de julho de 2018, 11h10

sem renunciar

TJ vai decidir se vereadores podem assumir cargos de deputado e senador

Celly Silva, repórter do GD


Um pedido de vistas do desembargador Marcos Machado adiou o julgamento de uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) movida pelo sub-procurador-geral de Justiça, Marcelo Terra de Carvalho, contra a Câmara Municipal de Cuiabá, que no final de março deste ano aprovou uma emenda à Lei Orgânica do Município que autoriza vereadores a ocuparem cargos de senador, deputado federal e estadual sem precisarem renunciar ao cargo de vereador.

Chico Ferreira

Leia também - Vereadores poderão assumir na AL e no Congresso

No início de abril, o representante do Ministério Público Estadual (MPE) impetrou ingressou com a Adin, que ficou sob relatoria da desembargadora Serly Marcondes Alves. Durante sessão do Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) na última quinta-feira (28), ela votou pelo indeferimento do pedido.

Porém, o desembargador Luís Carlos da Costa apresentou questão de ordem pedindo que sequer a ação fosse conhecida e que ainda fosse extinguida sem resolução do mérito, ou seja, sem análise do pedido principal que é a anulação da emenda aprovada pelos parlamentares. O argumento do magistrado é de que o sub-procurador-geral de justiça não tem prerrogativa para impetrar Ação Direta de Inconstitucionalidade, que o correto é que o procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, o fizesse.

Por outro lado, o desembargador Marcos Machado pediu vistas, afirmando que irá verificar tal prerrogativa na lei orgânica do Ministério Público. Até o momento, 3 desembargadores votaram com a relatora, 7 seguiram o voto divergente de Luís Carlos da Costa e outros 6 preferiram aguardar o voto-vista de Machado, adiando o julgamento para a próxima sessão do Pleno.

Ednei Rosa/Câmara Cuiabá

Vereador Marcrean foi beneficiado com alteração na lei

Leia também - Marcrean 'vira' deputado e assume vaga na AL sem renunciar na Câmara

O caso na Câmara gerou polêmica na época da aprovação por levantar dúvida quanto ao parlamentar poder acumular 2 cargos políticos. No final de abril, o vereador Marcrean Santos (PRTB) foi beneficiado com a mudança na lei ao assumir uma vaga na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, onde ficou por 2 meses no lugar de Adalto de Freitas, o Daltinho (Patriota), que havia saído de licença médica. Na ocasião, Marcrean se licenciou da Câmara e quem o substituiu foi o suplente Sargento Vidal (PMN).

Marcrean alegou que não houve acúmulo de cargo, já que é titular no cargo de vereador, porém, é suplente no cargo de deputado estadual e que, ao se licenciar do primeiro, não mais recebeu a remuneração correspondente ao período. ele também afirmou que não precisava renunciar porque assumiria a vaga de deputado temporariamente. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 18 de julho de 2018

09:42 - Vereador abre seletivo para vaga na Câmara de Cuiabá

Segunda, 16 de julho de 2018

12:03 - Vereadores entram de recesso para repor energias

Sexta, 13 de julho de 2018

18:40 - Procuradora reafirma cassação de vereadores

Quarta, 11 de julho de 2018

07:08 - Ex-secretária de Saúde de Cuiabá é convocada para depoimento em CPI

Terça, 10 de julho de 2018

19:33 - Casa dos Horrores registra novo bate-boca

Sexta, 06 de julho de 2018

08:10 - Plugin criado por publicitário eterniza Câmara como 'Casa dos Horrores'

Quinta, 05 de julho de 2018

11:45 - Renivaldo Nascimento confirma 'erro' e diz que já devolveu R$ 2,6 mil ao Legislativo

Quarta, 04 de julho de 2018

07:59 - Em 'errata', vereador Renivaldo confirma que foi à Rússia passear

Sexta, 29 de junho de 2018

08:01 - Leis dizem que justificativas só são necessárias para evitar descontos em salário

Quinta, 28 de junho de 2018

19:03 - Câmara faz por merecer o apelido que tem


// leia também

Sexta, 20 de julho de 2018

11:55 - Juiz nega pedido de advogado que tentava remarcar audiência da grampolândia

10:20 - Acusado de mandar matar prefeito de Colniza quer ser ouvido por carta precatória

07:17 - MPE arquiva investigação contra o MT PAR e assina acordo de ajustamento

Quinta, 19 de julho de 2018

16:32 - Gustavo Oliveira é impedido de concorrer eleição da Fiemt

14:55 - Juiz pede ajuda da polícia e pode prender Arcanjo no dia 2 de agosto

13:46 - Juiz bloqueia R$ 1,2 milhão de deputado, mas nega afastamento

12:25 - Zuquim nega vistoria da AL na cela de Mauro Savi mas autoriza visitas

10:55 - TJ mantém Humberto Bosaipo condenado por improbidade administrativa

10:04 - Juiz do TRE nega condenar Taques por reuniões com servidores

Quarta, 18 de julho de 2018

19:30 - Testemunha diz que réu por morte de personal é ligado à facção criminosa


 veja mais
Cuiabá, Sexta, 20/07/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 20/07/2018
96031af100be886f438de72020f399a8 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Países onde mais mulheres estão no governo têm menos corrupção, diz estudo




Logo_classifacil









Loja Virtual