STF manda para 1ª instância processo contra Blairo por compra de vaga | Gazeta Digital

Terça, 12 de junho de 2018, 15h47

compra de vaga no tce

STF manda para 1ª instância processo contra Blairo por compra de vaga

Celly Silva, repórter do GD


Atualizada ás 16h49 - A 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por 5 votos a 1 que ministros de governo somente podem ser julgados na Suprema Corte se o crime apurado tiver sido cometido em decorrência do cargo e no exercício do mesmo. Na votação, os ministros Rosa Weber, Luís Roberto Barroso e Marco Aurélio Mello acompanharam o relator Luiz Fux, tendo como voto vencido o ministro Alexandre de Moraes.

A discussão do assunto ocorreu em uma questão de ordem sobre a denúncia contra o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi (PP), licenciado do cargo de senador.

João Vieira

Ministro Blairo Maggi

Ele é acusado de corrupção passiva por supostamente ter participado de um esquema de compra de vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE), em 2010, quando ainda era governador de Mato Grosso para beneficiar o conselheiro (atualmente afastado) Sérgio Ricardo de Almeida, que na época era deputado estadual.

No mês passado, o Supremo já havia restringido o foro privilegiado de deputados federais e senadores, mas o caso de Blairo foi votado em separado porque apesar de senador, ele atualmente exerce o cargo de ministro, que também possui foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal.

Com esta nova decisão, o processo a que ele responde por corrupção na compra de vaga do TCE será remetida para a 1ª instância da Justiça estadual. “A decisão do STF é acertada e está em linha de convergência com os fundamentos técnicos da defesa, encaminhando-se o caso à justiça Estadual de 1º grau. Desde o começo do ano já trabalhávamos com essa perspectiva, que é tecnicamente correta e é importante para a democratização do país, julgando-se autoridades como todo cidadão, em foro único”, disse o advogado Fábio Galindo Silvestre, um dos responsáveis pela defesa do ministro.

Conforme o Gazeta Digital já havia divulgado, a Procuradoria-Geral da República (PGR) emitiu parecer para que o inquérito contra o ministro, que também é suspeito de ter recebido R$ 12 milhões em propina da empreiteira Odebrecht na época em que era governador, continue tramitando no Supremo Tribunal Federal (STF), o que acaba não sendo possível por se enquadra no mesmo cenário da suposta compra de vaga: ocorreu antes de Blairo obter foro do STF.

Por meio de nota, o ministro Blairo Maggi afirmou que já estava consciente de que perderia o foro privilegiado em julgamentos de processos a que responde, no momento em que decidiu não mais participar da vida política, não se candidatando no pleito deste ano, o que foi anunciado por ele em fevereiro deste ano.

Conforme a nota, Blairo entende como natural o desmembramento do processo que tramitava no Supremo Tribunal Federal para a Justiça estadual. Ele se diz confiante neste Juízo e que provará sua inocência.

Confira nota na íntegra:

Quando decidiu abrir mão de disputar à reeleição ao Senado para as próximas eleições, em fevereiro de 2018, antes do julgamento do STF restringindo o foro, o ministro Blairo Maggi fez uma opção consciente por desconsiderar qualquer hipótese de se valer de foro privilegiado em julgamentos. A remessa do caso à Justiça de Mato Grosso é um desdobramento natural da investigação. O ministro reafirma sua confiança na justiça de primeiro grau, onde provará sua inocência.

Assessoria do ministro Blairo Maggi 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Segunda, 11 de junho de 2018

06:00 - Sérgio Ricardo contesta no STF a relatoria de denúncia por compra de vaga

Terça, 15 de maio de 2018

09:02 - Maggi recorre para que PGR arquive processo por compra de vaga

Segunda, 14 de maio de 2018

19:10 - Vice-presidente do TJ nega retorno de Sérgio Ricardo

Sexta, 04 de maio de 2018

19:13 - Blairo Maggi reforça defesa e permanece no Mapa

Quarta, 02 de maio de 2018

17:11 - Blairo Maggi aponta 'violência' em nova denúncia do MPF

13:38 - PGR denuncia Blairo Maggi e Sérgio Ricardo por compra de vaga no TCE

Quarta, 07 de fevereiro de 2018

14:23 - Recurso de Blairo Maggi contra bloqueio de R$ 4 milhões sobe para o STJ

Terça, 14 de novembro de 2017

20:48 - TJ nega pedido de Blairo Maggi para afastar juiz

Quarta, 02 de agosto de 2017

11:37 - Por compra de vaga, Riva segue com as contas bloqueadas em R$ 4 mi

Terça, 01 de agosto de 2017

15:12 - Ministra do STF manda Procuradoria e TCE se manifestarem em 3 dias


// leia também

Domingo, 24 de junho de 2018

08:00 - Silval diz que relatórios do TCE na Copa foram usados para chantagem - veja vídeo

Sábado, 23 de junho de 2018

08:20 - Ex-deputado nega propina, mas não explica dinheiro que recebeu e guardou em pasta

Sexta, 22 de junho de 2018

16:52 - Família de servidor dado como 'morto' se revolta e quer processar o MP

16:25 - Pressionados, procuradores ingressam com 4º pedido por liberdade de Savi

12:00 - Após anunciar desistência, conselheiro tenta liberar aposentadoria

10:55 - Ministério Público investiga pagamentos a servidor morto há 28 anos

07:35 - Índias suspeitas de enterrar bebê vivo vão usar tornozeleiras

Quinta, 21 de junho de 2018

10:18 - STJ nega liberdade a empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré

07:14 - Juiz da 7ª Vara fica com ação contra Maggi por compra de vaga no TCE

Quarta, 20 de junho de 2018

18:14 - TJ nega liberdade a acusado de desviar R$ 23 milhões de cooperativa


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 25/06/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 25/06/2018
Afeda58f8fad104f8a7e7e0d17408684 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Transsexualidade deixa de ser considerada uma doença mental




Logo_classifacil









Loja Virtual