Juíza condena ex-servidor e comparsa a devolverem R$ 1,6 mil ao Estado | Gazeta Digital

Terça, 10 de abril de 2018, 15h20

Juíza condena ex-servidor e comparsa a devolverem R$ 1,6 mil ao Estado

Celly Silva, repórter do GD


A juíza Célia Regina Vidotti, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular, condenou o ex-servidor da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas) Lino Dias Vieira e o ex-caixa de posto de combustível João Paulo do Nascimento Lima pela prática de improbidade administrativa e determinou que ambos devolvam aos cofres públicos o montante de R$ 1,666 mil, referente ao dano causado.

Assessoria TJ

Juíza Célia Vidotti

Conforme a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE), em 2011, Lino Vieira era motorista da Setas e, em conluio com João Paulo (então funcionário do posto do combustível Amazônia 11), abastecia os veículos da secretaria pagando om o cartão do sistema de Abastecimento e Gestão Automotiva (Saga). No entanto, os abastecimentos ocorriam em quantidade inferior ao que era pago e a diferença de valor era compartilhada entre os condenados, ficando 30% com João Paulo e 30% com Lino.

Por conta disso, o ressarcimento do prejuízo de R$ 1,666 mil gerado pelo esquema de corrupção também ficou partilhado proporcionalmente ao que cada um deles recebia na época dos fatos, ficando Lino responsável por devolver R$ 1,166 mil e João Paulo, R$ 500. Os valores serão acrescidos de juros de 1% ao mês e correção monetária desde o dia 20 de agosto de 2011, data do último abastecimento fraudulento.

Além da devolução do dano, Lino dias Vieira também terá que pagar multa civil de R$ 2,333 mil e João Paulo Lima de R$ 1 mil, valores também acrescidos de juros e correção monetária, a serem contados a partir da data da sentença, proferida no último dia 6. Os valores também serão revertidos aos cofres do Executivo estadual.

Além de ter que devolver o dinheiro, ambos tiveram seus direitos políticos suspensos pelo período de 5 anos e ficaram proibidos de contratar com o Poder Público ou dele receber benefícios ou incentivos fiscais também por 5 anos.

A ação civil tramitou desde janeiro de 2014. Outro processo sobre o mesmo caso tramitou na 7ª Vara Criminal, onde João Paulo fez acordo de delação premiada e se livrou de uma condenação de 3 anos e 4 meses de prisão, por meio do perdão judicial concedido pela juíza (atualmente aposentada) Selma Rosane Santos Arruda.

Na mesma decisão, proferida em agosto de 2016, a magistrada determinou a perda do cargo de Lino Dias Vieira e o condenou a 3 anos e 6 meses de reclusão, pena que acabou sendo substituída por prestação de serviços comunitários e restrição de horário nos finais de semana.  

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Segunda, 16 de abril de 2018

17:42 - Zeca Viana aciona Taques e secretário de saúde no MPF por improbidade

08:54 - Ação contra Mendes que pode suspender direitos políticos segue parada desde 2016

Quinta, 22 de março de 2018

10:10 - Juiz manda bloquear R$ 1,5 milhão de ex-vereador

Terça, 06 de março de 2018

10:11 - Conselheiros afastados não serão mais ouvidos em ação contra Riva e Silval

Segunda, 26 de fevereiro de 2018

07:00 - Juiz inocenta ex-prefeito e advogada em processo por desvio de bens

Segunda, 05 de fevereiro de 2018

14:42 - Juíza aceita denúncia e Kleber Lima vira réu por assédio sexual e moral

Quinta, 01 de fevereiro de 2018

18:03 - Juiz nega bloquear R$ 7,4 milhões de Silval e outros 4

08:10 - MP intima prefeito de Itiquira para anular doação ilegal de terrenos

Domingo, 28 de janeiro de 2018

07:30 - Justiça bloqueia bens de ex-prefeito por prejuízo de R$ 600 mil aos cofres

Segunda, 22 de janeiro de 2018

15:51 - MPE pede sequestro de bens de prefeito de Nova Bandeirantes


// leia também

Quinta, 19 de abril de 2018

16:39 - Funcionários decidem continuar trabalhando no Hospital Jardim Cuiabá

15:36 - Faixa informa fim do atendimento no Hospital Jardim Cuiabá

11:39 - Ex-secretário réu por desvios na Seduc ganha autorização para viajar

11:38 - Nova administradora do Hospital Jardim Cuiabá não apresenta alvará sanitário

11:04 - Justiça mandar ALMT exonerar braço direito de Riva

10:45 - Ministério Público exonera promotor que surtou e agrediu policiais

08:24 - TJ não paga auxílios além do salário de R$ 26 mil a juiz afastado por invalidez

07:25 - Justiça manda Estado concluir obras residenciais paralisadas há 24 anos

Quarta, 18 de abril de 2018

15:56 - Jardim Cuiabá acusa arrendatária de não possuir alvarás para gerir hospital

15:49 - Justiça proíbe optometrista de fazer exames a pedido do CRM


 veja mais
Cuiabá, Quinta, 19/04/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quinta, 19/04/2018
0dfec3686f6e169d3080155acd32f8de anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Comando Vermelho anda deixando sua marca pelos muros da cidade




Logo_classifacil









Loja Virtual