Conselheiros afastados não serão mais ouvidos em ação contra Riva e Silval | Gazeta Digital

Terça, 06 de março de 2018, 10h11

fraudes na assembleia

Conselheiros afastados não serão mais ouvidos em ação contra Riva e Silval

Celly Silva, repórter do GD


A juíza Célia Regina Vidotti, da vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular, homologou as desistências das oitivas dos conselheiros afastados do Tribunal de Contas do Estado (TCE) José Carlos Novelli e Antonio Joaquim Moraes Rodrigues Neto na ação de improbidade administrativa que tem como réus os ex-deputados estaduais José Riva, Silval Barbosa, Hermínio Barreto e Humberto Bosaipo.

Marcus Vaillant/Marcos Bergamasco

Antonio Joaquim e Novelli foram descartados na ação

A decisão foi tomada no dia 21 de fevereiro, após as testemunhas arroladas pela defesa de Riva faltarem mais uma vez em audiência de instrução e julgamento do caso que envolve acusação de desvio de mais de R$ 693 mil dos cofres da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, por meio da emissão de cheques para a empresa Guará Táxi Aéreo Ltda, que foi contratada sem licitação, de acordo com denúncia do Ministério Público Estadual.

A publicação da decisão foi publicada na segunda-feira (5).

O processo se arrasta há mais de 10 anos na Justiça. A defesa do ex-presidente do Legislativo estadual José Riva vinha insistindo no interrogatório dos conselheiros, mas acabou desistindo, o que foi acatado pela magistrada. Antonio Joaquim e Novelli foram deputados estaduais no final dos anos 1990 e início dos anos 2000, antes de se tornarem conselheiros de contas. Desde setembro do ano passado, eles estão afastados do TCE por terem sido citados na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa como beneficiários de propinas milionárias entre os anos de 2013 e 2014, em troca da falta de fiscalização em obras e aprovação de contas do governo.  

A defesa de Hermínio Barreto ainda insistiu na redesignação para oitiva do ex-chefe de gabinete Márcio Gley da Silva, mas Célia Vidotti negou. Outras testemunhas que não compareceram também foram descartadas, conforme já havia sido acordado anteriormente entre as partes e a juíza. É o caso do ex-secretário de Finanças da ALMT Nasser Okde, de Ari Ferreira Bonilha, Anderson Angelo de Oliveira, Rossilene Bitencourt Ianhes Barbosa e João Vieira de Andrade.

Resta ainda o prazo de 40 dias para que seja devolvida a carta-precatória relativa à oitiva da testemunha Jovair Camilo Pereira, que mora em Alta Floresta.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Segunda, 16 de abril de 2018

17:42 - Zeca Viana aciona Taques e secretário de saúde no MPF por improbidade

08:54 - Ação contra Mendes que pode suspender direitos políticos segue parada desde 2016

Terça, 10 de abril de 2018

15:20 - Juíza condena ex-servidor e comparsa a devolverem R$ 1,6 mil ao Estado

Quinta, 22 de março de 2018

10:10 - Juiz manda bloquear R$ 1,5 milhão de ex-vereador

Segunda, 26 de fevereiro de 2018

07:00 - Juiz inocenta ex-prefeito e advogada em processo por desvio de bens

Segunda, 05 de fevereiro de 2018

14:42 - Juíza aceita denúncia e Kleber Lima vira réu por assédio sexual e moral

Quinta, 01 de fevereiro de 2018

18:03 - Juiz nega bloquear R$ 7,4 milhões de Silval e outros 4

08:10 - MP intima prefeito de Itiquira para anular doação ilegal de terrenos

Domingo, 28 de janeiro de 2018

07:30 - Justiça bloqueia bens de ex-prefeito por prejuízo de R$ 600 mil aos cofres

Segunda, 22 de janeiro de 2018

15:51 - MPE pede sequestro de bens de prefeito de Nova Bandeirantes


// leia também

Quinta, 19 de abril de 2018

16:39 - Funcionários decidem continuar trabalhando no Hospital Jardim Cuiabá

15:36 - Faixa informa fim do atendimento no Hospital Jardim Cuiabá

11:39 - Ex-secretário réu por desvios na Seduc ganha autorização para viajar

11:38 - Nova administradora do Hospital Jardim Cuiabá não apresenta alvará sanitário

11:04 - Justiça mandar ALMT exonerar braço direito de Riva

10:45 - Ministério Público exonera promotor que surtou e agrediu policiais

08:24 - TJ não paga auxílios além do salário de R$ 26 mil a juiz afastado por invalidez

07:25 - Justiça manda Estado concluir obras residenciais paralisadas há 24 anos

Quarta, 18 de abril de 2018

15:56 - Jardim Cuiabá acusa arrendatária de não possuir alvarás para gerir hospital

15:49 - Justiça proíbe optometrista de fazer exames a pedido do CRM


 veja mais
Cuiabá, Quinta, 19/04/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quinta, 19/04/2018
0dfec3686f6e169d3080155acd32f8de anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Comando Vermelho anda deixando sua marca pelos muros da cidade




Logo_classifacil









Loja Virtual