Justiça bloqueia bens de ex-prefeito por prejuízo de R$ 600 mil aos cofres | Gazeta Digital

Domingo, 28 de janeiro de 2018, 07h30

rondonópolis

Justiça bloqueia bens de ex-prefeito por prejuízo de R$ 600 mil aos cofres

Janã Pinheiro, repórter MP/MT


Chico Valdiner/Secom-MT

Ananias

A Justiça decretou a indisponibilidade de bens do ex-prefeito de Rondonópolis, Ananias Martins de Souza Filho, pelos prejuízos causados pela redução indevida de renúncia fiscal dos cartórios e registros públicos da cidade, que tiveram a alíquota de Imposto sobre Serviço (ISS) reduzida de 5% para 2%, causando um prejuízo na ordem de R$ 601.142, 83 aos cofres municipais. A decisão atende pedido formulado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 2ª Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Rondonópolis, na Ação Civil de Responsabilidade por Ato de Improbidade.

De acordo com a ação, o prefeito aprovou a redução da alíquota sem a realização de prévio estudo de impacto orçamentário-financeiro e sem medidas de compensação na arrecadação, descumprindo a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Conforme o MPE, o ex-prefeito Ananias Martins de Souza Filho, no apagar das luzes de sua administração, implementou uma “privilegiada benesse aos cartórios e registros públicos da cidade, reduzindo-lhes a alíquota de tributação do Imposto sobre Serviços (ISS), de 5% para 2%.

“Referida renúncia de receita, verdadeira benesse com chapéu alheio, no caso, o erário da sociedade, foi praticada sem nenhum estudo prévio de impacto financeiro, sem qualquer estudo técnico de medidas de compensação tributária, enfim, sem o prévio preenchimento dos requisitos legais determinados e exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, causando concreto dano ao erário municipal”, diz a ação.

Segundo o MPE, “tão lesiva foi a injustificada renúncia de receita provocada pelo ex-prefeito municipal que a gestão posterior teve de encaminhar novo projeto de lei à Câmara Municipal de Rondonópolis para recompor as bases da arrecadação municipal do ISS sobre referido serviço, ainda que parcialmente, posto que a par do projeto enviado contemplar o restabelecimento da alíquota original de 5%, esta foi majorada pelo Poder Legislativo para 4%, consoante se observa pela Lei Complementar nº184, de 13 de dezembro de 2013”.

Na decisão, o juiz Wagner Plaza Machado Junior determinou, ainda, que sejam expedidos mandados os Cartórios de Registros de Imóveis de Rondonópolis e Cuiabá, para que averbem a indisponibilidade na matrícula dos eventuais imóveis encontrados em nome do réu, concedendo prazo de 10 dias para cumprimento e resposta, sob pena de crime de desobediência”.

A Justiça promoveu, também, o bloqueio dos veículos terrestres - via Renajud, bem como o bloqueio de valores existente em instituições financeiras - via Bacenjud. “Determino que as Juntas Comerciais do Estado de Mato Grosso e do Estado de São Paulo indiquem e registrem em todos os contratos sociais em que o réu figure como sócio. Expeçam-se os devidos mandados, concedendo prazo de 10 dias para cumprimento e resposta, sob pena de crime de desobediência”.

A liminar de indisponibilidade de bens foi deferida nos autos: 1009464-49.2017.8.11.0003 (PJe)

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Segunda, 16 de abril de 2018

17:42 - Zeca Viana aciona Taques e secretário de saúde no MPF por improbidade

08:54 - Ação contra Mendes que pode suspender direitos políticos segue parada desde 2016

Terça, 10 de abril de 2018

15:20 - Juíza condena ex-servidor e comparsa a devolverem R$ 1,6 mil ao Estado

Quinta, 22 de março de 2018

10:10 - Juiz manda bloquear R$ 1,5 milhão de ex-vereador

Terça, 06 de março de 2018

10:11 - Conselheiros afastados não serão mais ouvidos em ação contra Riva e Silval

Segunda, 26 de fevereiro de 2018

07:00 - Juiz inocenta ex-prefeito e advogada em processo por desvio de bens

Segunda, 05 de fevereiro de 2018

14:42 - Juíza aceita denúncia e Kleber Lima vira réu por assédio sexual e moral

Quinta, 01 de fevereiro de 2018

18:03 - Juiz nega bloquear R$ 7,4 milhões de Silval e outros 4

08:10 - MP intima prefeito de Itiquira para anular doação ilegal de terrenos

Segunda, 22 de janeiro de 2018

15:51 - MPE pede sequestro de bens de prefeito de Nova Bandeirantes


// leia também

Quinta, 19 de abril de 2018

16:39 - Funcionários decidem continuar trabalhando no Hospital Jardim Cuiabá

15:36 - Faixa informa fim do atendimento no Hospital Jardim Cuiabá

11:39 - Ex-secretário réu por desvios na Seduc ganha autorização para viajar

11:38 - Nova administradora do Hospital Jardim Cuiabá não apresenta alvará sanitário

11:04 - Justiça mandar ALMT exonerar braço direito de Riva

10:45 - Ministério Público exonera promotor que surtou e agrediu policiais

08:24 - TJ não paga auxílios além do salário de R$ 26 mil a juiz afastado por invalidez

07:25 - Justiça manda Estado concluir obras residenciais paralisadas há 24 anos

Quarta, 18 de abril de 2018

15:56 - Jardim Cuiabá acusa arrendatária de não possuir alvarás para gerir hospital

15:49 - Justiça proíbe optometrista de fazer exames a pedido do CRM


 veja mais
Cuiabá, Quinta, 19/04/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quinta, 19/04/2018
0dfec3686f6e169d3080155acd32f8de anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Comando Vermelho anda deixando sua marca pelos muros da cidade




Logo_classifacil









Loja Virtual