Advogado tenta anular delação de Júnior Mendonça na Ararath | Gazeta Digital

Terça, 09 de janeiro de 2018, 13h46

Advogado tenta anular delação de Júnior Mendonça na Ararath

Celly Silva, repórter do GD


Atualizada às 14h41 - O advogado Ulisses Rabaneda protocolou um agravo interno à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármem Lúcia, contra a decisão do ministro Luiz Fux, que negou seguimento a uma reclamação impetrada por ele contra o Ministério Público Federal (MPF). O agravo encontra-se concluso para decisão.

No agravo, o advogado que representa um empresário investigado na operação Ararath pede que o ministro Luiz Fux se retrate no processo e decline a competência de julgamento para o ministro Dias Toffoli, apontando prevenção deste por conta de inquérito anterior, já arquivado por falta de provas, que apurava a participação do senador licenciado e ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP).

Otmar de Oliveira

Advogado Ulisses Rabaneda

Subsidiariamente, caso o primeiro pedido não seja atendido, Rabaneda requer que Luiz Fux profira juízo de retratação quanto ao julgamento monocrático que negou a reclamação, determinando a inclusão em pauta de julgamento colegiado que permita ao advogado fazer sustentação oral. Segundo a defesa, Fux violou o princípio da colegialidade ao proferir sentença monocrática sobre a reclamação.

Com o acolhimento do agravo interno, a defesa busca fazer com que o ministro Dias Toffoli retorne à relatoria dos autos da Ararath. Além disso, também busca anular o acordo de colaboração premiada do empresário Gércio Marcelino Mendonça Júnior, o Júnior Mendonça, dono da Amazônia Petróleo.

Entenda o caso

Ulisses Rabaneda alega usurpação de competência praticada pelo juiz da 5ª Vara Federal de Cuiabá, Jeferson Schneider, ao homologar, em 2014, a delação que citava pessoas com foro privilegiado, como além de Blairo Maggi, Silval Barbosa e José Riva (quando estes ainda eram, respectivamente, governador e deputado estadual), ao invés de remeter o caso para o STF, que é o órgão competente para julgar autoridade com foro em nível federal.

Nessa lógica, Rabaneda solicitou também que seja determinado o desentranhamento da delação e de toda e qualquer medida judicial ou investigativa dela derivada, relacionada ou dependente.

Chico Ferreira

Empresário Júnior Mendonça

A reclamação contra o acordo de delação premiada havia sido distribuída a Dias Toffoli inicialmente, que submeteu para deliberação da presidente do STF sobre a existência de prevenção ou não do ministro Luiz Fux, que foi quem assumiu a relatoria da Ararath desde que o ex-governador Silval Barbosa passou a figurar como colaborador do MPF.

A ministra Cármem Lúcia então seguiu parecer da procuradora-geral da República Raquel Dodge – que apontou que a reclamação foi distribuída a Toffoli porque ele detinha prevenção por conta do inquérito contra Blairo Maggi, mas que já estava arquivado desde junho de 2016, findando assim sua prevenção para julgar autos da Ararath.

Mas o advogado rebateu argumentando que a “suposta decisão" do ministro Dias Toffoli é desconhecida, não constando nos autos, "dificultando o controle da defesa sobre sua pertinência ao caso, bem como seu acerto ou desacerto".

Procurado, o advogado Ulisses Rabaneda confirmou a interposição da medida junto ao Supremo Tribunal Federal e ressaltou que "a distribuição dos autos ao ministro Luiz Fux decorreu de uma manobra ilegal, já que a prevenção é do ministro Dias Toffoli, o que poderá levar à nulidade integral dos atos até agora desenvolvidos pelo Supremo", disse.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 13 de julho de 2018

16:43 - Janaina tem salário liberado, mas R$ 55 mi da família Riva seguem bloqueados

Quinta, 12 de julho de 2018

09:43 - Justiça bloqueia R$ 1,2 milhão de deputado, Silval e mais 3

Segunda, 09 de julho de 2018

09:55 - Delegado da PF envia pacote surpresa para o STF

07:15 - Polícia Federal encaminha provas de pessoas com foro ao STF

Terça, 03 de julho de 2018

07:54 - Inquérito no STF contra Nininho pode 'cair' para a Justiça Federal

07:27 - Provas confirmam delação contra Antônio Joaquim, diz Polícia Federal

Terça, 26 de junho de 2018

10:21 - Antônio Joaquim detona Silval e diz que preferem a palavra de um gangster

Quarta, 20 de junho de 2018

16:55 - Eder Moraes tacha delação de Silval como 'sorrateira' e forjada com aliado

Terça, 19 de junho de 2018

07:00 - Antonio Joaquim pede para ser investigado no STJ

Segunda, 18 de junho de 2018

17:30 - Ex-deputado confirma ter recebido R$ 50 mil gravado em vídeo de delator


// leia também

Sábado, 14 de julho de 2018

08:30 - Juiz Jorge Tadeu remarca audiências contra réus por fraude de R$ 7 milhões

Sexta, 13 de julho de 2018

18:29 - TCE investiga Faiad por doações de veículos e prejuízo de R$ 2,6 milhões

17:41 - Presidente do STF não julga pedido de liberdade de réu da Bereré

14:31 - Ré por morte de prefeito pede para ir à audiência sem roupa de presidiária

11:45 - MPE pede bloqueio de bens e afastamento de Luiz Soares

07:25 - Juiz arquiva processo contra 8 servidores da Sefaz

Quinta, 12 de julho de 2018

14:10 - Zuquim se afasta e TJ não julga empresários presos propina no Detran

12:05 - Ministro Gilmar Mendes volta a ser processado por crime ambiental

10:35 - Juiz nega adiar audiência para que PM que vazou dados do Gaeco frequente curso

10:14 - Pais acusados de matar recém-nascida em Cuiabá vão a júri


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 16/07/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 16/07/2018
9f9f40805dad392c56e3de9c5f02d729 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Por que Luciano Huck, Datena e Roberto Justus desistiram da política?




Logo_classifacil









Loja Virtual