Juiz determina prioridade em processo para progressão de pena de Arcanjo | Gazeta Digital

Quarta, 06 de dezembro de 2017, 10h53

Juiz determina prioridade em processo para progressão de pena de Arcanjo

Celly Silva, repórter do GD


O Juízo da Vara de Execuções Penais determinou que seja agendada a realização do exame criminológico do ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro, necessário para que se decida sobre o pedido de progressão de pena que ele cumpre por homicídio qualificado. O exame avalia as condições psicológica e psiquiátrica do apenado, como seu grau de agressividade, periculosidade, maturidade, entre outros quesitos, com o objetivo de prever seu potencial de reincidência na prática criminosa.

Edson Rodrigues/TJMT

João Arcanjo Ribeiro

Conforme decisão proferida no último dia 4, os honorários da perita nomeada já foram depositados, o que agiliza o procedimento. Além disso, consta na decisão que Arcanjo também tem direito ao benefício previsto no Estatuto do Idoso, por ter mais de 60 anos, que garante a ele prioridade na tramitação dos autos.

Leia mais - Justiça libera patrimônio bilionária de Arcanjo

O presidiário nasceu no dia 30 de março de 1951, estando atualmente com 66 anos. Com isso, até mesmo a identificação dos volumes do processo passaram a ser feitos com o uso de tarjas amarelas, para indicar a agilidade em decorrência da idade do reeducando.

Conforme o advogado Zaid Arbid, representante de Arcanjo nos autos, havia solicitado no mês passado à Justiça, também foi determinado que o cálculo da pena imposta ao ex-bicheiro seja atualizada, utilizando-se a fração de 1/3 para o cálculo do livramento condicional e, permanecendo a fração de 1/6 para o cálculo da progressão regimental. A base para contagem da progressão do regime é a data da prisão definitiva de Arcanjo, que ocorreu no dia 11 de abril de 2003. As tentativas de progressão de pena vêm sendo feitas desde 2009.

Leia também - Arcanjo está em Cuiabá, preso no raio 5 da PCE

Após seu retorno para Mato Grosso, a defesa de Arcando entrou novamente com os pedidos para redução da pena, bem como pediu autorização para que ele receba visitas dos netos, que ele sequer conhecia pelo fato da proibição da entrada de menores em presídio federal, onde ele passou os últimos anos.

Desde o mês passado, esse pedido foi concedido e João Arcanjo Ribeiro recebe visitas familiares na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá.  

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Domingo, 17 de dezembro de 2017

10:30 - MPF apura prática de improbidade administrativa no DNPM

Sábado, 16 de dezembro de 2017

16:32 - Jornal é proibido de publicar matérias sobre processo em que donos são réus

12:35 - Pedro Nadaf é condenado a mais de sete anos de prisão

11:06 - Claro suja nome de quem sequer era cliente e terá que pagar R$ 8 mil por danos morais

Sexta, 15 de dezembro de 2017

20:45 - Ex-governador Silval Barbosa é condenado a 13 anos e 7 meses de prisão

17:28 - Estado deve cumprir legislação sobre abono de permanência a policiais civis

16:55 - Juíz proíbe restaurante do Parque das Águas de servir 12 pratos

15:10 - Juíza nega autorização para dono de jornal viajar ao Nordeste

12:25 - Justiça condena asilo Mãos Unidas a pagar R$ 10 mil a ex-abrigados

10:31 - Idoso é condenado por tentar 'fugir' de financiamento de caminhonete


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 17/12/2017
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 17/12/2017
A8d779b2bd7ab2b00d41f7ea176ec574 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Quatro em cada dez crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, segundo IBGE




Logo_classifacil









Loja Virtual