Divórcio de R$ 50 milhões termina em acordo após seis anos | Gazeta Digital

Sexta, 19 de maio de 2017, 19h16

Após seis anos

Divórcio de R$ 50 milhões termina em acordo após seis anos

Redação do GD


Um processo de divórcio que tramitava na justiça há seis anos chegou ao fim. A causa de R$ 50 milhões foi finalizada depois de quatro audiências, com duração de apenas um mês e já foi homologado e encaminhado para o juiz do processo dar baixa.

A mediadora voluntária do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais (Nupemec), advogada Meire Costa Marques falou que é preciso destacar a sensibilidade do desembargador Rubens de Oliveira, que ao ler o processo percebeu a necessidade que o mesmo fosse encaminhado para a Central de Conciliação para mediação.

Assessoria

Casal chega a acordo sobre divórcio de R$ 50 milhões em MT

Ela falou da importância do método, principalmente em casos como este que envolve partilha e alimentos. “A mediação busca o que não está no processo, que é o olhar, é a falta do pedido de perdão. Na mediação podemos perceber muito, enxergar o outro. Este foi o entendimento do desembargador ao pegar o processo. Ele viu que era um processo mediável”.

Mais importante que finalizar o processo, explica a mediadora, é restabelecer o diálogo entre as partes. “A mediação é o novo sistema que diz que por trás do processo tem uma pessoa e por trás da pessoa tem sentimento. Esse caso foi um sucesso porque houve persistência e houve o início do restabelecimento do vínculo. Os advogados das partes também foram extremamente necessários e muito colaborativos. Eles entenderam a importância da mediação nesta ação e tiveram a sensibilidade na orientação de seus clientes”.

O advogado de uma das partes da ação, Fábio Wazleswski disse que não tinha tido uma experiência como esta e que foi muito boa. Ele destacou a importância da mediação neste caso, já que o processo tramitava há muitos anos na justiça. Para ele foi uma situação atípica ver que um desembargador pediu para o processo ser enviado para a Central de Conciliação.

“Achamos uma situação inusitada, meu cliente achou que isso ia atrasar o processo, mas o orientei e disse que não haveria prejuízo quanto a isso. Foram realizadas quatro audiências, bem desgastantes porque as partes não conheciam a mediação, mas foram passos importantes. Na terceira audiência já havia se chegado a um acordo e em menos de um mês o processo estava resolvido”. (Com informações do TJMT)

 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Domingo, 17 de dezembro de 2017

10:30 - MPF apura prática de improbidade administrativa no DNPM

Sábado, 16 de dezembro de 2017

16:32 - Jornal é proibido de publicar matérias sobre processo em que donos são réus

12:35 - Pedro Nadaf é condenado a mais de sete anos de prisão

11:06 - Claro suja nome de quem sequer era cliente e terá que pagar R$ 8 mil por danos morais

Sexta, 15 de dezembro de 2017

20:45 - Ex-governador Silval Barbosa é condenado a 13 anos e 7 meses de prisão

17:28 - Estado deve cumprir legislação sobre abono de permanência a policiais civis

16:55 - Juíz proíbe restaurante do Parque das Águas de servir 12 pratos

15:10 - Juíza nega autorização para dono de jornal viajar ao Nordeste

12:25 - Justiça condena asilo Mãos Unidas a pagar R$ 10 mil a ex-abrigados

10:31 - Idoso é condenado por tentar 'fugir' de financiamento de caminhonete


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 18/12/2017
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 18/12/2017
2460d513a351119a678ad6c5220f2984 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Quatro em cada dez crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, segundo IBGE




Logo_classifacil









Loja Virtual