Divórcio de R$ 50 milhões termina em acordo após seis anos | Gazeta Digital

Sexta, 19 de maio de 2017, 19h16

Após seis anos

Divórcio de R$ 50 milhões termina em acordo após seis anos

Redação do GD


Um processo de divórcio que tramitava na justiça há seis anos chegou ao fim. A causa de R$ 50 milhões foi finalizada depois de quatro audiências, com duração de apenas um mês e já foi homologado e encaminhado para o juiz do processo dar baixa.

A mediadora voluntária do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais (Nupemec), advogada Meire Costa Marques falou que é preciso destacar a sensibilidade do desembargador Rubens de Oliveira, que ao ler o processo percebeu a necessidade que o mesmo fosse encaminhado para a Central de Conciliação para mediação.

Assessoria

Casal chega a acordo sobre divórcio de R$ 50 milhões em MT

Ela falou da importância do método, principalmente em casos como este que envolve partilha e alimentos. “A mediação busca o que não está no processo, que é o olhar, é a falta do pedido de perdão. Na mediação podemos perceber muito, enxergar o outro. Este foi o entendimento do desembargador ao pegar o processo. Ele viu que era um processo mediável”.

Mais importante que finalizar o processo, explica a mediadora, é restabelecer o diálogo entre as partes. “A mediação é o novo sistema que diz que por trás do processo tem uma pessoa e por trás da pessoa tem sentimento. Esse caso foi um sucesso porque houve persistência e houve o início do restabelecimento do vínculo. Os advogados das partes também foram extremamente necessários e muito colaborativos. Eles entenderam a importância da mediação nesta ação e tiveram a sensibilidade na orientação de seus clientes”.

O advogado de uma das partes da ação, Fábio Wazleswski disse que não tinha tido uma experiência como esta e que foi muito boa. Ele destacou a importância da mediação neste caso, já que o processo tramitava há muitos anos na justiça. Para ele foi uma situação atípica ver que um desembargador pediu para o processo ser enviado para a Central de Conciliação.

“Achamos uma situação inusitada, meu cliente achou que isso ia atrasar o processo, mas o orientei e disse que não haveria prejuízo quanto a isso. Foram realizadas quatro audiências, bem desgastantes porque as partes não conheciam a mediação, mas foram passos importantes. Na terceira audiência já havia se chegado a um acordo e em menos de um mês o processo estava resolvido”. (Com informações do TJMT)

 



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Quinta, 25 de maio de 2017

18:04 - Juiz devolve ao Estado 2 imóveis que serão demolidos em breve

17:42 - MP quer bloqueio de R$ 9 mil do Estado para custear hospital

17:36 - Juiz condena loja a pagar R$ 300 mil a shopping center

15:11 - Justiça federal condena Eder Moraes e mais dois por corrupção

10:55 - MPE denuncia fiscais da Sefaz, advogados e executivos por fraudes em tributos

Quarta, 24 de maio de 2017

16:52 - Bosaipo insiste em acareação com Riva, mas juiz nega

16:13 - Telefone do Gaeco também foi grampeado, denuncia MPE

15:11 - TJ nega recurso de Sérgio Ricardo e mantém afastamento e bloqueio de bens

14:06 - Seduc não precisa pagar por reposição de aulas, decide juiz

13:10 - Ministro abre apuração sobre condutas de juíza Selma Arruda


 veja mais
Cuiabá, Quinta, 25/05/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado waze

titulo_jornal Quinta, 25/05/2017
2bfe5dfa7ceff93a31b5aca3dea94fda anteriores




Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O presidente Michel Temer fez certo ao baixar decreto convocando as Forças Armadas para atuar em Brasília?



Logo_classifacil









Loja Virtual