Associação do MPE sai em defesa de Mauro Zaque | Gazeta Digital

Terça, 16 de maio de 2017, 17h08

Denúncia dos grampos

Associação do MPE sai em defesa de Mauro Zaque

Karine Miranda, repórter do GD


A Associação Mato-grossense do Ministério Público Estadual saiu em defesa do promotor Mauro Zaque, responsável por encaminhar a denúncia sobre suposto esquema de interceptações telefônicas ilegais à Procuradoria Geral da República (PGR). Em nota pública enviada à imprensa, a associação aponta a necessidade de apuração e responsabilização dos envolvidos.

Conforme a denúncia, um grupo de policiais militares teria agido à margem da lei, supostamente a mando de membros do primeiro escalão do governo Pedro Taques (PSDB), e grampeou ao menos 120 pessoas.

Jornalistas, assessores parlamentares da AL e até a deputada Janaina Riva (PMDB), figuram na lista dos grampeados. O caso só veio à tona após uma matéria do Fantástico, da Rede Globo, onde promotor Mauro Zaque aparece denunciando todo o esquema.


Associação do MPE sai em defesa de Mauro Zaque

Em nota, os promotores e procuradores de Justiça do Estado declararam irrestritamente o apoio ao promotor. São signatários da nota o presidente da Associação, o promotor Roberto Aparecido Turin, e o diretor de Defesa Institucional, promotor Ezequiel Borges.

“Pela atitude de respeito irrestrito à lei e pela consciência da seriedade e gravidade dos fatos e da necessidade de apuração e responsabilidade dos envolvidos nas fraudes e a punição rigorosa dos transgressores”, diz.

Ainda segundo a nota, as alegações de má-fé deduzidas judicialmente para obtenção de escutas telefônicas que não visam à elucidação de crimes, somente à manutenção da vigilância clandestina de terceiros, são dignas de repúdio, além de ferir a democracia.

“Fragiliza as instituições democráticas, viceja forças paralelas, institui burla inaceitável ao sistema jurídico, insulta a Constituição Federal, as liberdades individuais e o Estado de Direito”, diz.

Conforme as denúncias, os grampos ocorreram por meio de um esquema chamado “barriga de aluguel”, no qual dezenas de números de telefones foram inseridos de forma criminosa em uma ação de quebra de sigilo telefônico, autorizada pelo juiz Jorge Alexandre Ferreira, quando atuava na comarca de Cáceres.

A nota reafirma ainda o compromisso dos membros do Ministério Público “com a defesa das garantias e conquistas democráticas e de todos os Agentes Públicos que atuam legalmente no exercício das funções e na defesa da sociedade nas áreas de investigação e de inteligência no Estado de Mato Grosso.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 23 de fevereiro de 2018

09:08 - Estado aluga imóvel por R$ 9 milhões sem licitação

Quarta, 21 de fevereiro de 2018

08:53 - Desembargador mantém prisão do cabo Gerson para proteger testemunhas

Terça, 20 de fevereiro de 2018

11:05 - Estado quer trocar dívida de banco americano com Banco Mundial

08:44 - Sargento chora e defende o cabo Gerson; 'Era um bom profissional' - fotos e vídeo

Sexta, 16 de fevereiro de 2018

09:21 - Preso por grampos, cabo Gerson pede liberdade e aponta falta de isonomia

Quinta, 15 de fevereiro de 2018

16:30 - Ministro do STJ permite que casal Lesco volte a manter contato

Quarta, 14 de fevereiro de 2018

10:19 - Juiz interroga mais testemunhas contra militares envolvidos com grampos

Segunda, 12 de fevereiro de 2018

17:27 - Justiça pede intervenção federal em MT; PGE diz que pagou dívida e pedido é incabível

Sexta, 09 de fevereiro de 2018

20:03 - MP quer manutenção de prisões de militares envolvidos na grampolândia

19:29 - Defesa contesta liberdade do coronel Zaqueu por 'ter mais crimes'


// leia também

Sexta, 23 de fevereiro de 2018

13:32 - Assembleia que afastou presidente da Fecomércio é anulada pela Justiça

10:30 - Gaeco e Defaz começam interrogar 240 testemunhas sobre desvios no Detran

07:59 - João Emanuel vai ao Supremo para afastar juíza Selma

07:35 - STF autoriza investigação contra Bezerra por suspeita de fraude em licitação

Quinta, 22 de fevereiro de 2018

17:04 - Raquel Dodge pede a junção das delações de Silval e familiares

10:40 - Juiz sai de processo contra delator que não devolveu R$ 17 milhões

09:03 - Eder apela contra condenação a 10 anos e 8 meses de prisão

08:35 - Promotora corre contra o tempo para garantir Arcanjo na cadeia

07:30 - STF quer desmembrar investigação contra deputado por fraude em licitações

07:20 - STF prepara julgamento de norma que livrou Fabris da prisão


 veja mais
Cuiabá, Sexta, 23/02/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 23/02/2018
A2e8b51001c64082e6766c7843812b80 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

A pedido da ONU, Mato Grosso receberá refugiados venezuelanos




Logo_classifacil









Loja Virtual