Depoimento de Alan Malouf acontece em junho | Gazeta Digital

Quarta, 10 de maio de 2017, 16h22

Operação Rêmora

Depoimento de Alan Malouf acontece em junho

Karine Miranda, repórter do GD


O empresário Alan Ayoub Malouf, detido em prisão domiciliar, vai prestar depoimento à juíza da 7ª Vara Criminal, Selma Arruda, no início do próximo mês. As audiências de instrução e julgamento em relação ao caso foram designadas para os dias 30 de maio, 1º, 6 e 8 de junho.

Malouf é réu por corrupção numa ação penal, derivada da terceira fase da Operação Rêmora, no qual é processado pelos crimes de organização criminosa e corrupção passiva. Ele chegou a impetrar uma ação de exceção de incompetência contra a Selma Arruda, que foi indeferida pela própria magistrada.

Otmar de Oliveira

Depoimento de Alan Malouf acontece em junho

Nas audiências do dia 30 de maio e 1º de junho serão inquiridas as testemunhas arroladas pela acusação. No dia 6, serão inquiridas as testemunhas de defesa. Já no dia 8, serão interrogados Alan Malouf e o engenheiro eletricista Edézio Ferreira da Silva, processado junto com Malouf.

De acordo com o Ministério Público, ambos fazem parte da organização criminosa, cuja chefia é atribuída ao ex-secretário de Educação, Permínio Pinto.

A expectativa é que Malouf reafirme o depoimento já prestado no ano passado, ao Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), onde revelou que doou R$ 10 milhões, por meio de caixa dois, para a campanha do governador Pedro Taques (PSDB) em 2014.

O empresário Giovani Guizardi, em delação premiada, citou que Malouf foi favorecido com o dinheiro desviado da Secretaria de Estado de Educação a titulo de ressarcimento do dinheiro à doação ao tucano.

Ao todo, Malouf é réu em três ações penais, sendo que uma é proveniente da Operação Sodoma, que investigou esquemas de corrupção na gestão de Silval Barbosa (PMDB), e outras duas são da Operação Rêmora, que desarticulou outro esquema de corrupção e fraudes a licitações no atual governo, do tucano Pedro Taques.

Prisão domiciliar – O empresário está em prisão domiciliar desde dezembro, depois de permanecer 10 dias preso no sistema carcerário. O Gaeco pedia o retorno do empresário à cadeia, porém, o pedido foi negado pela juíza Selma Arruda.

A magistrada não encontrou nos argumentos dos promotores nenhum fato novo que motivasse a reforma na decisão de prisão domiciliar.

 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Domingo, 19 de novembro de 2017

08:55 - Juíza concede mais 10 dias de prazo aos réus por fraudes na Seduc

Terça, 14 de novembro de 2017

18:02 - Justiça mantém obrigação de Alan Malouf usar tornozeleira

Terça, 24 de outubro de 2017

14:10 - Juíza envia processo à PGR para investigar autoridades

10:08 - Mesmo com vida abastada, ganância levou Malouf a liderar crimes na Seduc

Segunda, 23 de outubro de 2017

23:00 - Empresário Alan Malouf é condenado a 11 anos de prisão por corrupção na Seduc

Sexta, 20 de outubro de 2017

15:56 - Juíza nega prazo e diz que defesas tentam atrasar sentença

Quarta, 11 de outubro de 2017

15:00 - Guilherme Maluf nega envolvimento em corrupção na Seduc

11:24 - MPE denuncia Guilherme Maluf como líder do esquema de propina na Seduc

09:53 - Juíza não envia processo ao Superior Tribunal de Justiça

Quarta, 04 de outubro de 2017

19:30 - MP processa Permínio por atrasar investigações


// leia também

Quinta, 23 de novembro de 2017

17:45 - MPE investiga sobrepreço de R$ 5,1 milhões em obra

16:06 - Estado é intimado em processo por causa de atraso salarial

15:04 - Viúva de ex-secretário-geral da ALMT é interrogada

14:06 - Juíza ouve policial que vazou dados do Gaeco

11:57 - 'Se deixar ele vende até o Estado', alertou Silval sobre Chico Lima

10:10 - TRT inocenta empresa de acidente que deixou trabalhador com sequelas

09:58 - Fazenda paga R$ 700 mil de multa e juiz destina para entidades de Sapezal

09:37 - MPE denuncia 99 por venda de carteiras de habilitação em MT e Goiás

Quarta, 22 de novembro de 2017

17:30 - Fraude na desapropriação no Renascer foi de R$ 21 milhões, diz Nadaf

15:34 - Juízes vão ao STF contra imunidade para deputados de MT


 veja mais
Cuiabá, Sexta, 24/11/2017
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 24/11/2017
802e41ce112274fb550d4d86efa27dd7 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

A CPI do Paletó teve o número de assinaturas necessário e foi, finalmente, instalada




Logo_classifacil









Loja Virtual