Professor da UFMT será indenizado em R$ 10 mil por agressão de policiais | Gazeta Digital

Sexta, 21 de abril de 2017, 10h37

PROTESTO EM 2013

Professor da UFMT será indenizado em R$ 10 mil por agressão de policiais

Celly Silva, repórter do GD


O geólogo e professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Caiubi Emanuel Souza Kuhn ganhou na Justiça uma ação contra o Estado, em que pedia indenização por danos morais decorrentes de agressões que sofreu durante um protesto em 2013, em que ele se manifestava contra o fechamento de casas estudantis mantidas pela universidade. Na época, ele ainda era estudante e bolsista da instituição.

Otmar de Oliveira/Reprodução

Caiubi Kuhn e outros estudantes foram agredidos e presos por protestar contra fechamento de casas estudantis, em 2013

No processo, ele requeria indenização de R$ 200 mil por danos morais e R$ 200 mil por danos estéticos, mas o juiz Roberto Teixeira Seror, da 5 ª Vara Especializada da Fazenda Pública, julgou procedente somente o dano moral, reduzindo o valor da indenização para R$ 10 mil.

O valor deverá ser corrigido com juros e mora, a partir da data em que ocorreu o protesto, em 6 de março de 2013. Na sentença, o juiz considerou o abalo psicológico sofrido por Caiubi.
Por se tratar de decisão de primeira instância, o Estado pode recorrer.

O caso

Na época dos fatos, Caiubi Kuhn era estudante de Geologia e morador da Casa do Estudante da UFMT. Em fevereiro daquele ano, os moradores de cinco casas que eram mantidas pela instituição souberam por terceiros que os contratos de aluguéis seriam rescindidos e que os moradores teriam que deixar as residências.

Após tentativas frustradas de informações junto à Reitoria, cerca de 50 estudantes fizeram uma manifestação, em 6 de março de 2013, fechando a Avenida Fernando Corrêa da Costa, no sentido Centro, na esquina do campus universitário.

Os manifestantes fizeram acordo com agentes de trânsito e policiais militares para que o protesto ocorresse por um tempo determinado. Ao fim do período estabelecido, viaturas da Ronda Ostensiva Tático Metropolitana (Rotam) chegaram e os policiais ordenaram o fim do protesto.

Otmar de Oliveira

Estudante à época, Viviane Gomes foi atingida com tiro na virilha  

Houve conflito e os estudantes acabaram sendo alvos de tiros de borracha e espingarda, bombas de efeito moral, além de agressões físicas, como tapas no rosto. Cerca de 10 estudantes ficaram feridos, sendo duas jovens, uma com tiro na virilha e outra com tiro na mão, que quebrou um osso. Seis estudantes acabaram detidos por seis horas na Delegacia do bairro Planalto, mesmo feridos.

Entre os presos, estava Caiubi, que foi atingido por seis tiros de bala de borracha no tórax e foi levado para a cela. Durante o período que ficou preso junto aos colegas, o geólogo afirma que sofreu diversas ameaças por parte dos policiais e apontou excesso de força e abuso de autoridade.

Em contrapartida, o Estado contestou, argumentando que os policiais agiram “em estrito cumprimento do dever legal”.

Na época, dois dos policiais da Rotam foram afastados do patrulhamento nas ruas e encaminhados para serviços administrativos.

Atualmente, Caiubi Kuhn é professor no curso de Engenharia de Minas da UFMT, na mesma instituição, ele fez mestrado em Geociências e participou de movimentos estudantis tanto na graduação, quanto na pós-graduação. Com o perfil político, ele disputou, em 2014, o cargo de deputado federal pelo PDT, mas não se elegeu.
 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quinta, 09 de novembro de 2017

07:30 - Professores da UFMT paralisam atividades na próxima sexta-feira

Sexta, 13 de outubro de 2017

11:52 - UFMT publica edital de concurso para docente com 63 vagas

Sexta, 11 de agosto de 2017

16:44 - Conselho de Medicina aciona Justiça para multar UFMT em R$ 2 milhões

Domingo, 14 de maio de 2017

14:32 - UFMT prepara programação para receber novos alunos

Sábado, 29 de abril de 2017

08:05 - UFMT contrata professor substituto na área de Psicologia Social

Sábado, 25 de março de 2017

11:51 - Polícia prende 8 com drogas após festa no campus da UFMT - Veja fotos

Segunda, 20 de março de 2017

09:19 - UFMT oferece 1.070 vagas em pós-graduação na modalidade a distância

Sexta, 20 de janeiro de 2017

17:15 - Depois de 2 meses reitora recebe alta do hospital

Terça, 22 de novembro de 2016

16:45 - Bloco de Veterinária da UFMT fecha após roubo

Sexta, 18 de novembro de 2016

09:19 - Professores da UFMT aprovam indicativo de greve


// leia também

Domingo, 17 de dezembro de 2017

10:30 - MPF apura prática de improbidade administrativa no DNPM

Sábado, 16 de dezembro de 2017

16:32 - Jornal é proibido de publicar matérias sobre processo em que donos são réus

12:35 - Pedro Nadaf é condenado a mais de sete anos de prisão

11:06 - Claro suja nome de quem sequer era cliente e terá que pagar R$ 8 mil por danos morais

Sexta, 15 de dezembro de 2017

20:45 - Ex-governador Silval Barbosa é condenado a 13 anos e 7 meses de prisão

17:28 - Estado deve cumprir legislação sobre abono de permanência a policiais civis

16:55 - Juíz proíbe restaurante do Parque das Águas de servir 12 pratos

15:10 - Juíza nega autorização para dono de jornal viajar ao Nordeste

12:25 - Justiça condena asilo Mãos Unidas a pagar R$ 10 mil a ex-abrigados

10:31 - Idoso é condenado por tentar 'fugir' de financiamento de caminhonete


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 17/12/2017
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 17/12/2017
A8d779b2bd7ab2b00d41f7ea176ec574 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Quatro em cada dez crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, segundo IBGE




Logo_classifacil









Loja Virtual