Delegada e MP não comentam inquérito sigiloso contra prefeita | Gazeta Digital

Quinta, 20 de abril de 2017, 17h42

LUCIANE BEZERRA

Delegada e MP não comentam inquérito sigiloso contra prefeita

Welington Sabino, repórter do GD



Luciane Bezerra é investigada em inquérito sigiloso

A delegada Alexandra Fachone, da Delegacia Fazendária (Defaz), evitou tecer qualquer tipo de comentário sobre um inquérito policial sigiloso que investiga um possível envolvimento da hoje prefeita de Juara, Luciane Bezerra (PSB), num dos fatos investigados na Operação Sodoma envolvendo um suposto recebimento de R$ 700 mil do ex-secretário de Fazenda, Pedro Nadaf. Fachone foi ouvida pela juíza Selma Rosane Santos Arruda como testemunha de defesa na ação penal da 4ª fase da Sodoma.

Quem fez o questionamento para a delegada sobre as investigações envolvendo a ex-deputada estadual e hoje prefeita foi o advogado João Nunes da Cunha Neto, defensor do procurador aposentado, Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o Chico Lima, um dos réus na ação penal que tramita na 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

O processo crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, coação no curso do processo, organização criminosa e receptação qualificada por causa um esquema de cobrança de propina de R$ 15,8 milhões envolvendo a desapropriação do terreno do bairro Jardim Liberdade, em Cuiabá. A área foi comprada pelo Estado por R$ 31,8 milhões quando estava avaliada em R$ 17, 8 milhões.

João Vieira

Delegada Alexandra Fachone foi questionada por advogado sobre inquérito contra Luciane Bezerra

Diante da insistência do jurista, a promotora Ana Cristina Bardusco interveio na conversa e esclareceu que por tratar-se de um caso que está sob sigilo não cabia à testemunha fazer qualquer comentário. Bardusco Reforçou também que Luciane hoje é prefeita e, portanto, possui foro por prerrogativa de função, o que significa que não cabe à juíza Selma Rasane decidir sobre qualquer questão ou acusação que respingue na ex-deputada. A competência é do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).

Entenda

Nas investigações da 4ª fase da Operação Sodoma a Polícia Civil descobriu que um cheque da SF Assessoria e Organização de Eventos Eirelli – ME, empresa criada pelo empresário Filinto Muller para lavar dinheiro na ordem de R$ 15,857 milhões, foi depositado na conta corrente da empresa J. Lisboa da Hora EPP, de propriedade do empresário Celso Ricardo Azóia que é irmão de Luciane.

O caso veio à tona através de um depoimento de Pedro Nadaf em 25 de julho de 2016, onde o ex-secretário que afirmou ter usado parte do dinheiro desviado dos cofres públicos do Estado na fraude destinada a desapropriação do bairro Jardim Liberdade I, para pagar uma dívida de R$ 700 mil que o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) mantinha com a ex-deputada Luciane Bezerra. No depoimento, Nadaf assegurou que Luciane Bezerra tinha pleno conhecimento de que o dinheiro recebido tinha origem ilícita.

Nadaf disse que o ex-governador Silval Barbosa quitou uma dívida de R$ 1 milhão. Diante dos indícios, a delegada Alexandra Fachone solicitou a abertura de um novo inquérito policial. De acordo com Nadaf, no ano de 2014, Silval Barbosa o convocou para ir a seu gabinete e revelou que possuía uma dívida com Luciane Bezerra.

A parlamentar teria dito a Silval Barbosa que não aceitaria mais receber os pagamentos por meio do chefe de Gabinete, Silvio César Corrêa de Araújo, que havia sido escalado para transferir o dinheiro em seu favor. Luciane Bezerra teria cobrado que os pagamentos fossem feitos pelo ex-secretário Pedro Nadaf, considerado em sua avaliação uma pessoa mais confiável e de melhor trato para lidar com a situação.

Nadaf revelou que a partir disso repassava pessoalmente o dinheiro à então deputada Luciane Bezerra em reuniões previamente agendadas em seu gabinete no Palácio Paiaguás. Para quitar a dívida por completo, Luciane Bezerra teria procurado Pedro Nadaf por 4 vezes em seu gabinete, no período de maio a agosto de 2014, oportunidade em que repassou mais R$ 300 mil.

Outro lado - A assessoria de Luciane Bezerra encaminhou nota onde informa que a prefeita está a disposição da Justiça e por enquanto não foi chamada para ser ouvida.

Confira a íntegra

A prefeita do muncípio de Juara, Luciane Bezerra (PSB), reafirma que encontra-se a disposição da justiça pra qualquer tipo de esclarecimentos. Nesta tarde (20/04), seu nome foi citado em reportagens em alguns veículos de comunicação do Estado que acompanhavam o depoimento da delegada Alexandra Fachone, da Delegacia Fazendária (Defaz), para à juíza Selma Arruda, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá.

A delegada mencionou que Luciane Bezerra esteja sendo investigada sob sigilo, após o depoimento de Pedro Nadaf no ano passado (2016).

Luciane esclarece que até o momento não tem informações sobre a investigação e que se for chamada para prestar qualquer tipo de esclarecimentos estará a disposição da justiça. Luciane é prefeita de Juara, ex-deputada estadual e esposa do deputado Oscar Bezerra (PSB).



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quinta, 11 de maio de 2017

18:32 - TJ decide que Alberto Ferreira é o relator da Sodoma

Segunda, 08 de maio de 2017

09:55 - Confissão de Silval Barbosa é adiada

Quinta, 04 de maio de 2017

15:32 - Com várias derrotas no STF, defesa de Cursi pede outro HC

Quarta, 03 de maio de 2017

16:01 - Licença médica de juíza 'linha dura' alivia Silval

Quarta, 26 de abril de 2017

14:44 - Ex-contador de Arcanjo abriu empresa que lavou R$ 15 milhões

Terça, 25 de abril de 2017

18:36 - Ligação de gestores com buffett será 'inesquecível'

17:59 - Testemunha entrega Pedro Nadaf e é 'pega' pelo MPE

17:01 - Nadaf foi contratado, mas não ministrou palestras, diz testemunha

Sexta, 21 de abril de 2017

15:50 - Delegada diz a advogado que 'réus sempre mentem'

15:06 - Sumiço de advogados de Silval reforça 'delação'


// leia também

Sexta, 26 de maio de 2017

16:46 - Juiz decreta falência da rede de mercados Compre Mais

09:38 - Novos membros do TRE são eleitos pelo Pleno do TJ

Quinta, 25 de maio de 2017

18:04 - Juiz devolve ao Estado 2 imóveis que serão demolidos em breve

17:42 - MP quer bloqueio de R$ 9 mil do Estado para custear hospital

17:36 - Juiz condena loja a pagar R$ 300 mil a shopping center

15:11 - Justiça federal condena Eder Moraes e mais dois por corrupção

10:55 - MPE denuncia fiscais da Sefaz, advogados e executivos por fraudes em tributos

Quarta, 24 de maio de 2017

16:52 - Bosaipo insiste em acareação com Riva, mas juiz nega

16:13 - Telefone do Gaeco também foi grampeado, denuncia MPE

15:11 - TJ nega recurso de Sérgio Ricardo e mantém afastamento e bloqueio de bens


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 28/05/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado waze

titulo_jornal Domingo, 28/05/2017
745201164383996eb0a29412c52e67f4 anteriores




Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O que o poder público deve fazer para acabar com áreas conhecidas como cracolândias nas cidades?



Logo_classifacil









Loja Virtual