Futuro da investigação da Lava Jato está em jogo, diz delegado da PF | Gazeta Digital

Quinta, 07 de dezembro de 2017, 08h48

Política Nacional

Futuro da investigação da Lava Jato está em jogo, diz delegado da PF


Estadao

O delegado da Polícia Federal (PF) Márcio Anselmo, que iniciou as investigações da Operação Lava Jato em Curitiba, em 2013, afirmou que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5508 coloca em jogo a delação e o ‘futuro da própria investigação criminal‘.

Considerado o principal delegado da Lava Jato, Anselmo pediu para sair da força-tarefa em Curitiba, em 2016, depois de a Procuradoria exigir que a PF ficasse de fora da delação da Odebrecht - atualmente ele é corregedor no Espírito Santo.

‘A colaboração premiada consiste em técnica especial de investigação, principal meio de obtenção de prova contra o crime organizado e importante mecanismo de combate à corrupção‘, afirmou Anselmo.


Delegado da PF Márcio Anselmo FOTO DENIS FERREIRA NETTO / ESTADAO  

O delegado Edivandir Paiva, presidente eleito da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), afirmou que ‘será um prejuízo absurdo‘ se a Corte proibir a PF de negociar acordos de delação premiada.

Já o procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima, da Lava Jato em Curitiba, disse que há um risco de que a PF vire uma ‘segunda porta‘ onde os ‘afogados‘ vão buscar um acordo, depois de terem tentativas frustradas no MPF.

‘Tenho muitas dúvidas, porque vai causar uma insegurança jurídica tão grande que acho que vai afastar os colaboradores. Só vai procurar os acordos quem estiver extremamente desesperado‘, disse o procurador.

Carlos Fernando citou o caso do lobista Marcos Valério, que fechou acordo com a PF. ‘O que Marcos Valério traz é insuficiente para fazer acordo. O que vai acontecer é que as pessoas vão começar a ganhar acordos e perceber que podem começar a contar histórias mal arrumadas.‘  

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sábado, 16 de dezembro de 2017

12:01 - PGR reafirma denúncia contra Jucá por propina de R$ 150 mil da Odebrecht

09:50 - Lava Jato faz nova denúncia contra Tacla Duran

Quarta, 13 de dezembro de 2017

18:00 - Irmão de Cabral assume ter recebido dinheiro por empresa e não prestado serviço

Terça, 12 de dezembro de 2017

11:37 - Odebrecht muda política para separar família e gestão

11:29 - Moro estende perícia a sistema de propina da Odebrecht revelado pela Suíça

11:28 - Relator da CPMI da JBS pede indiciamento de Janot e Pelella por três crimes

07:57 - Marqueteiros falam em R$ 20 milhões de caixa dois a Haddad

Segunda, 11 de dezembro de 2017

12:04 - Picciani admite ter vendido gado para empresa suspeita de caixa 2

08:36 - Operação da Polícia Federal investiga esquema de propina em créditos tributários

Quarta, 06 de dezembro de 2017

08:54 - Mãe de Geddel e Lúcio teria papel ativo na lavagem de dinheiro


// leia também

Domingo, 17 de dezembro de 2017

08:55 - Alckmin promete punir tucano que votar contra texto da Previdência

08:35 - PT vê risco de rebeldia popular sem petista em 2018

Sábado, 16 de dezembro de 2017

15:00 - Gilmar Mendes prevê dificuldades com fake news nas eleições de 2018

14:00 - Dodge dá parecer contra lei que deu status de ministro a Moreira Franco

13:00 - Uso de recursos por partidos dificultará renovação em 2018

09:09 - Contador não sabe se Lula pagou aluguel de partamento

08:36 - Por eleição, Temer reduz período de horário de verão a partir do ano que vem

08:34 - BNDES prorrogará dívidas de Estados no total de R$ 8,2 bi

Sexta, 15 de dezembro de 2017

18:30 - Temer diz que é 'ótimo' que reforma da Previdência fique para fevereiro

17:30 - Juiz negou a Marcelo Odebrecht sigilo no processo de execução de sua pena


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 17/12/2017
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 17/12/2017
A8d779b2bd7ab2b00d41f7ea176ec574 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Quatro em cada dez crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, segundo IBGE




Logo_classifacil









Loja Virtual