Juiz federal revalida parte do acordo de leniência da J&F | Gazeta Digital

Quinta, 12 de outubro de 2017, 11h54

Juiz federal revalida parte do acordo de leniência da J&F


Agência Brasil

Um mês após suspender o acordo de leniência da J&F para fins criminais, o juiz federal Vallisney de Souza, da 10ª Vara Federal em Brasília, decidiu hoje (11) revalidar parte do acordo firmado em junho pelo grupo e a Procuradoria da República no Distrito Federal.

Na decisão, Vallisney diz que a sustação do acordo poderia prejudicar o andamento de investigações relativas à Operação Greenfield, que apura um esquema de desvio em fundos de pensão de empresas estatais, e a Lava Jato, além de atrasar o processo de pagamento de indenizações.

“A sustação dos efeitos da homologação pode prejudicar de fato a própria verdade real que se quer buscar com as investigações e processos criminais na Operação Greenfiels, Cui Bono (Lava Jato) e Sépis, pelo fato de que possíveis aderentes pessoas naturais podem vir a ser testemunhas ou colaboradores na investigação criminal e que, se continuar a sustação da homologação, haverá prejuízo para a Justiça Penal”, argumentou Vallisney de Souza.

A decisão de hoje, segundo o magistrado, refere-se apenas à Cláusula 13 do acordo, que trata da adesão de pessoas ao acordo para fins criminais exclusivos às operações Operação Greenfiels, Cui Bono e Sépis.

O acordo de leniência firmado com o Grupo J&F, controlador da JBS, prevê que empresa pague R$ 10,3 bilhões de multa e ressarcimento mínimo pelo esquema de corrupção envolvendo o pagamento de propina a agentes públicos. Prevê ainda que a destinação de R$ 8 bilhões a órgãos públicos prejudicados pelos atos criminosos e o restante (R$ 2,3 bilhões) para o financiamento de projetos sociais. Além disso, o acordo estabelece o pagamento da multa, ao longo de 25 anos, corrigida pelo Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA). Com isso, a previsão do Ministério Público é de que a multa, ao final, supere os R$ 20 bilhões.

No mês passado, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, anulou a imunidade penal que havia concedido ao empresário Joesley Batista, dono da JBS, e a Ricardo Saud ex-executivo da empresa. O benefício foi anulado porque Janot concluiu que Batista e Saud omitiram informações durante o processo de assinatura do acordo de delação premiada.

Logo após a decisão da Procuradoria-Geral da República, a Justiça Federal em Brasília decidiu suspender o acordo de leniência da J&F para fins criminais.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 17 de outubro de 2017

15:05 - Maia diz que divulgar vídeos de Funaro não afeta relação com Temer

13:30 - Adiar votação sobre afastamento é 'constrangedor', diz Randolfe

12:43 - Fachin entende que inquérito contra Maia não está ligado à Lava Jato

12:16 - CCJ discute parecer pela inadmissibilidade de denúncia contra Temer

12:02 - STF determina que votação sobre afastamento de Aécio será aberta

10:23 - Por Aécio, Senado deve adiar votação de afastamento

08:36 - Votação sobre afastamento de Aécio deve ter 12 ausências

Segunda, 16 de outubro de 2017

22:06 - Aliados de Temer culpam Supremo por divulgação de vídeos

17:18 - Irmãos Batista viram réus por manipulação de mercado financeiro

13:21 - Randolfe recorre ao STF para que votação seja aberta


// leia também

Terça, 17 de outubro de 2017

14:56 - Temer diz que 'nada atrapalha' a votação de amanhã de segunda denúncia da CCJ

11:44 - Reforma eleitoral abre espaço para propaganda paga em sites

11:33 - Indicações de Temer mudam perfil do Cade e provocam críticas

10:56 - MST ocupa prédio do Ministério do Planejamento, em Brasília

09:53 - Ex-presidente Lula forçou nomeação de Costa na Petrobras

Segunda, 16 de outubro de 2017

20:42 - Geddel foi o primeiro a ligar quando minha irmã foi solta, diz Funaro

16:40 - Moraes é relator de mandado de segurança para que votação sobre Aécio seja aberta

14:13 - Defesa de Dilma usará delação de Funaro para pedir anulação do impeachment

14:05 - Temer envia carta 'desabafo' a parlamentares e diz ser 'vítima' de conspiração

13:38 - Militantes tucanos criam site pró-Alckmin


 veja mais
Cuiabá, Terça, 17/10/2017
 
Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Terça, 17/10/2017
D2bab0a64433d8a82c0d6ba1796fedd3 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Executivo não irá encaminhar um novo projeto de suplementação orçamentária à Câmara.




Logo_classifacil









Loja Virtual