STJ nega suspender processo contra Adriana Ancelmo | Gazeta Digital

Sexta, 21 de abril de 2017, 10h06

STJ nega suspender processo contra Adriana Ancelmo


Estadao

A ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Maria Thereza de Assis Moura negou um pedido de liminar feito pela ex-primeira dama do Estado do Rio de Janeiro Adriana Ancelmo, que buscava a suspensão do processo em que é ré na 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Adriana Ancelmo foi presa em 6 de dezembro junto com o marido - o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral - na Operação Calicute, e se encontra em regime de prisão domiciliar.

A ex-primeira dama do Rio de Janeiro questionava no STJ uma decisão do Tribunal Regional Federal da 2ªRegião (TRF2), que reconheceu a prevenção da 7ª Vara para o processamento e julgamento do caso dela. O TRF2 concluiu pela existência de conexão entre os fatos imputados a Adriana Ancelmo no processo criminal decorrente da operação Calicute e os relativos a processos originários de duas outras investigações, em que supostamente também participavam integrantes da organização criminosa que atuava no esquema de corrupção no governo do Rio.

A defesa alega que, entre os diversos processos resultantes das investigações, não havia relação - seja por conexão ou continência - que justifique não distribuir a ação penal da ex-primeira dama livremente por sorteio, refutando, portanto, a prevenção do citado juízo de primeiro grau. No mérito do recurso, a defesa pede o reconhecimento da incompetência do juízo da 7ª Vara e, na liminar, pretendia suspender o processo até o julgamento final do recurso.

A ministra Maria Thereza de Assis Moura disse que as questões levantadas pela defesa são complexas e exigem uma análise detalhada dos autos, e que isso deveria ser feito pelo órgão colegiado competente. Até que seja apreciado o recurso pela Sexta Turma do STJ, o processo prossegue normalmente na 7Ð Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. O julgamento ainda não tem data definida. (Breno Lemos Pires)
 



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Terça, 27 de junho de 2017

18:35 - Janot defende denúncia e diz que ninguém está acima da lei

18:06 - Nicolao Dino é o mais votado por procuradores para suceder Janot na PGR

17:46 - Temer classifica denúncia de 'ficção', critica Janot e cobra provas concretas

15:51 - 'Denúncia é grave, mas não é condenação', ameniza Alckmin

14:50 - Eunício diz que denúncia contra Temer cabe ao STF e à Câmara

13:20 - Reunidas as assinaturas para recurso contra arquivamento

12:49 - No dia seguinte da denúncia, Temer passa a manhã no Jaburu

12:41 - Lula pede renúncia de Temer e antecipação de eleições presidenciais

12:39 - João Doria quer Aécio fora do comando tucano

11:20 - Pacote de R$ 55 bi influi apoio de prefeito e Alckmin a Temer


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 28/06/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 28/06/2017
709682c66590260fb3edf747d9f8deb8 anteriores




Indicadores Econômicos

Indicadores Agropecuário

Mais Lidas Enquete

Profissionais de saúde devem ser obrigados a registrarem nos prontuários de atendimento médico os indícios de violência contra a mulher?




waze

Logo_classifacil









Loja Virtual